30 de novembro de 2014

Mitologia: Bakeneko

Esses dias estava querendo desenhar o meu primo caçula como algum ser mitológico, sabe, continuar a coleção two sides... Pensei nele como sendo um gato porque ele é fofo, irritante e arrogante (e eu sou alérgica a gatos), mas acho que eu poderia desenhar ele como um gremilin... ele não para de mexer no computador e no videogame...

Por causa disso eu tive a ideia de pesquisar alguma criatura com forma de gato, e encontrei um youkai chamado Bakeneko, um gato que pode mudar de forma, a maioria dos youkais em forma de animais, era animais comuns que ao morrer se tornaram youkais, apesar de que algumas variações da lenda contam que um gato muito grande, de cauda comprida, ou que chegou numa determinada idade, poderiam se tornar um bakeneko, parece que isso também originou o costume de cortar a cauda de gatos.
E eles também costumam pregar peças em seres humanos, as vezes se transformando em mulher ou então lambendo todo o óleo de peixe usado em lamparinas, fazendo que elas se apagassem.
Quando a cauda de um bakeneko se divide em duas ele passa a se chamar nekomata.
Acredito que eles são mais assustadores que kitsunes e tanukis, entre os seus poderes está a habilidade de controlar cadáveres, reanima-los ao se sentar em cima de um corpo (sério, imagina que tenso se o seu gato resolve brincar de marionete com um cadáver e o faz andar até a sua casa... Assustador, mas você tem que admitir que é uma pegadinha muito boa), e por onde passam eles deixam um fogo fantasma.
Alguns deles assumem a forma de seus donos e os devoram passando a tomar o lugar deles, de fato gatos são muito fofos, mas também são assustadores.

Quando eu era pequena, meu avô trazia muitas fitas contando lendas japonesas, eu também tinha aulas de japonês que contavam algumas lendas. Hoje em dia essas fitas se perderam ou foram danificadas pela umidade e poeira, mas se me lembro bem uma das minhas historias favoritas era sobre a casa dos gatos:

Certa vez havia um senhor muito bondoso, certo dia ele viu crianças maltratando uma gata, ele brigou com as crianças e cuidou e alimentou a gata, depois disso a gata seguiu o seu caminho e ele continuou sua vida...
Numa noite, ao voltar de uma viagem ele se perdeu na floresta, por sorte ele encontrou uma casa muito grande no meio da floresta habitada por varias mulheres que o acolheram e permitiram que ele passasse a noite. Depois de uma janta digna de um imperador, ele foi se banhar, quando estava tirando as roupas uma mulher apareceu e se assustou com ele.
-Você precisa sair daqui- Ela disse- Você não pode se banhar nessa água, ou então se tornará um gato para sempre.
A moça o ajudou a escapar da casa, mas antes de ir ele perguntou porque ela estava o ajudando, ela se transformou na mesma gata que ele havia ajudado- Você me ajudou quando eu precisei, então eu estou devolvendo o favor.
Ao fugir da casa os outro gatos perceberam que seu convidado havia escapado e correram atrás dele com baldes d'água, alguma gotas respingaram em sua nuca antes que ele conseguisse sair da floresta, e pelos de gato começaram a crescer ali, mesmo que ele cortasse os pelos sempre cresciam novamente.

Fontes:
http://aoikuwan.com/2011/09/26/criaturas-sobrenaturais-parte-14-bakeneko-e-nekomata/
http://portal-dos-mitos.blogspot.com.br/2012/12/bakeneko-nekomata.html

29 de novembro de 2014

Meu grimório

Ah... Notaram no canto da pagina tem um novo blog? Eu tinha esquecido de falar sobre ele (mentirosa, você estava era com preguiça de escrever como você sempre faz) Tosse* Tosse* Como eu estava falando, O blog Meu grimório possui vários post focados em magia, feitiços e alguns contos mitológicos e lendas, Magia do mar, natural entre outras coisas.

Ficou um pouco curto (acho que vou melhorar esse banner)

Como tudo começou- Capitulo 1

Nome: Lovelina Lótus (Mais conhecida como Lovely)
Tribo: Fadas
Família: Terra
Nível de ameaça: Alta
Estado: Banida, vivendo entre humanos
Motivo: Traição à coroa magictopiana
                -Lovely, estou preocupada, você realmente não deveria ter roubado aquele livro, quando o Leandro descobrir ele pode querer mais do que apenas recuperar o livro.
                -Eu sei, eu sei, mas você sempre diz que o melhor jeito de derrotar um feiticeiro é conhecendo os feitiços dele.
                -Você está deixando seus sentimentos tomarem decisões novamente.
                -Duh, será que é porque eu sou uma fada do amor? E eu juro que se você falar que essa não é atitude correta de uma rainha, eu vou pirar.
                Giselle suspirou- Se gosta tanto assim do Daniel a ponto de colocar a própria vida em perigo, porque não admite logo.
                -Admitir? Admitir o que? Eu não tenho nada para admitir, aquilo que eu falei no clube deveria ser algum delírio causado pela sua poção, aposto que você fez alguma coisa errada naquela poção e eu comecei a delirar.
                -Você é muito cara de pau, Lovely, desculpe se por causa daquela poção a Ice e a Diere estão te evitando.
                -Cale a boca, já leu o livro?
                -Já, é incrível ele começou estudando o som no uso de magia, musicas, poemas, melodias, chegou em um nível bem avançado até, mas parou antes de começar a desenvolver os próprios feitiços.
                -Sílabas métricas?
                -Talvez, criar feitiços que tenham um certo ritmo não é para qualquer um, é preciso de um bom ouvido e concentração, sem falar em um talento para criar.
                -Conheço métodos bem interessantes de se fazer isso
                -Fico feliz que sou senso de humor tenha voltado. Bem depois ele deixou esse tipo de magia de lado e se dedicou ao estudo dos humanos, emoções, desejos e os chamados amuletos.
                -Acho que já sei onde isso vai parar...
                -Isso é um livro de magia, e não um diário, mas acredito que alguma desilusão ou fracasso o motivou para se tornar o que ele se tornou.
                -Muito interessante, mas precisamos descobrir como reproduzir o ritual de criação de um impuro.
                -Tudo bem, Giovana já me descreveu como é o procedimento, pelo que parece você deve quebrar o seu amuleto, cortando ligação com a sua tribo, me parece mais um ato simbólico, sem falar que isso faria você perder os poderes.
                -Ele só pode ter descoberto isso por acidente, que tipo de feiticeiro iria quebrar o próprio amuleto e perder os poderes?
                -O resto me parece muito confuso, não segue os padrões de feitiços, é distorcido e assustador, mas eu lhe garanto que coisa boa não saiu daí... Apesar de tudo isso ele conseguiu recuperar os poderes de feiticeiro, mas isso o dividiu em dois seres, um completamente humano... e outro um feiticeiro completo, ele matou a copia humana dele, assim ele nunca mais poderia voltar a ser o que era, eu não gosto de falar sobre isso... Me parece errado criar uma vida desse modo...
                -Não veja por esse lado, nós damos vida a objetos inanimados às vezes como esculturas de pedra, luvas ou brinquedos. Se for sobre a questão da alma, bem Alcem foi criado artificialmente por um alquimista, e ele possui uma alma... Eu acho, minha boneca também.
                -Por favor, não vamos começar a discutir sobre alma de um ser vivo agora né?- Ela disse abrindo na ultima pagina- Outra coisa que me incomoda, tem uma lista de nomes no final do livro, alguns estão marcados como mortos.

                Lovely se aproximou para ver a lista e correu os olhos entre os nomes, havia a indicação de que tribo eles pertenciam e o nome de algum objeto ao lado- É a família dele...- Giselle disse apontando para um nome “Daniel” estava escrito.

28 de novembro de 2014

Amuletos: Nós chineses

Dar nós é uma arte, usado para fazer instrumentos e armas, e usado para se contar coisas em uma época em que números não existiam, eles também eram usado para se lembrar de eventos (assim como aquela historia de amarrar uma fitinha no dedo para se lembrar de algo importante)
Um nó chines me lembra de como os destinos das pessoas são trançados e amarrados entre si do começo ao fim.

De acordo com o dicionario enciclopedico Ci Hai, o nó sendo a união de suas cordas, ele simboliza o amor entre duas pessoas. Alem disso a palavra nó em chines possui a mesma pronuncia de felicidade

Nós chineses são usados tanto como amuletos de proteção, como decoração de roupas.Ao unir vários nós, idéias e desejos são formados, razão pela qual são também muito utilizados em amuletos de proteção, boa sorte e prosperidade.

Ao longo do tempo foram surgindo vários tipos de nós que foram se misturando, vou explicar alguns:

Pan Chang, o nó mistico

É considerado um dos oito tesouros de buda, seu padrão representa o ciclo do nascimento, vida e morte, sem fim. Ele também simboliza felicidade infinita e costuma-se amarrar três moedas chinesas nele (sim, aquelas com um furo no meio).




















Sauvastika, o nó da virtude

Ele utiliza a suástica budista, diferente do simbolo do nazismo, o simbolo do nazismo na verdade é a suástica budista invertida, em geral quando se inverte um simbolo, você esta atribuindo um significado contrario ao original, numa forma mais simples de entender é igual a: > < , muitas vezes parece que o significado ruim tem um impacto tão forte que os dois símbolos acabam por serem considerados algo ruim, mas isso é assunto para outro post. a suástica representa o coração de buda (ah, faz sentido, suas artérias e duas veias, como sou inteligente...Sqn), virtude e boa fortuna, utilizado para representar infinidade, todas as coisas.



Boa sorte

Também chamado de nó quadrado, um dos mais comuns, conhecidos e simples, simbolo de boa sorte e usado como um amuleto, e assim como o Pan Chang, amarra-se moedas nele.










Fontes:
http://aoikuwan.com/2012/02/02/os-nos-chineses/
http://www.comocriarbijuterias.com.br/tecnica-de-nos-chineses-para-bijuterias/

27 de novembro de 2014

Tecnica Kuji parte 1

To com sono... e com preguiça, queria começar algum post sem falar algo estupido... Ou alguma piada... Mas a tentação é grande... Bem hoje eu vou tentar falar sobre o Kuji...


Parece que ele é frequentemente confundido como sendo uma arte do ninjutsu (e eu não tenho a menor ideia de qual a diferença...). Mas acho que ele seria mais como uma preparação para rituais de proteção, banimento, ou purificação.

Ele é composto por nove etapas, cada uma com um nome, um mantra e um significado, o mantra pode ser tanto em sânscrito como em japonês, a versão japonesa na verdade é uma adaptação.


RINA força da mente e do corpo

Mantra em sânscrito: Om vajramanataya swaha
Mantra em japonês: On baishiraman taya sowaka



PYO/KYO/HYO A canalização da energia
Mantra em sânscrito: Om ishaanayaa yantrayaa swaha
Mantra em japonês: On isha naya in tara ya sowaka



TOH A harmonia
Mantra em sânscrito: Om jitraashi yatra jivaratna swaha
Mantra em japonês: On jite rashi itara jiba ratano sowaka



SHA A cura ou a regeneração
Mantra em sânscrito: Om haya vajramaantayaa swaha
Mantra em japonês: On haya baishiraman taya sowaka



KAI A intuição ou a premonição
Mantra em sânscrito: Om namah samanta vajranam ham
Mantra em japonês: On nomaku sanmanda basaradan kan



JIN A comunicação ou o conhecimento
Mantra em sânscrito: Om agnayaa yanmayaa swaha
Mantra em japonês: On aga naya in maya sowaka


RETSU O domínio ou a percepção do tempo e do espaço
Mantra em sânscrito: Om jyotihi chandoga jiva tay swaha
Mantra em japonês: On hirota ki shanoga jiba tai sowaka



ZAI A consciência dos elementos da criação
Mantra em sânscrito: Om srija iva rtaya swaha
Mantra em japonês: On chirichi iba rotaya sowaka


ZEN A iluminação ou o esclarecimento
Mantra em sânscrito: Om ah ra pa cha na dhi
Mantra em japonês: On a ra ba sha n sowaka



Semana que vem eu continuo (Sim, eu sou uma preguiçosa, de qualquer forma irei falar sobre as técnicas)


Fontes:
http://aoikuwan.com/2010/12/23/as-tecnicas-do-kuji/http://aoikuwan.com/2010/03/20/kuji-in/

26 de novembro de 2014

Como tudo terminou- Capitulo 15

                Lovely estava no centro de um vale rochoso, ela se posicionou no centro de um circulo e fechou os olhos enquanto dizia.
                -Venham...- Varias esculturas começaram a se levantar do chão, alguns tinham clavas de pedra, Lovely abriu os olhos e quebrou a primeira escultura que estava na sua frente enquanto as outras de aproximavam prontas para atacar- ARRGHH QUE ODIO!!!-Ela disse chutando a cabeça de outra escultura arrancando a cabeça dela. Alex a viu invocando as esculturas e se escondeu.- Desculpa se não sou perfeita, se não atendo as suas exigências- Ela disse erguendo o arco, mas logo em seguida o guardou.- Mas será que eu mereço ser punida apenas por causa de um erro?- Ela terminou de destruir as esculturas e ficou ajoelhada no chão. Alex se aproximou com cuidado e a abraçou.
                -ALEX???!!! O QUE ESTÁ FAZENDO?! PORQUE ESTÁ ME ABRAÇANDO.
                -Porque você é a melhor fada do mundo- Ele disse sorrindo- Eu sei que está furiosa com a Giselle e a Giovana...
                -Não estou brava com elas...É que eu não queria falar na frente da Diere e das minhas primas ou de você, sobre eu ter traído a confiança de uma amiga no passado. Eu só... – Ela respirou fundo antes de continuar- Estava com medo que não confiassem mais em mim, medo de ser abandonada.
                -Pelo que eu entendi você ainda era pequena na época, simplesmente saiu correndo em pânico, todo mundo já agiu como um covarde pelo menos uma vez na vida, ficar se torturando por isso não leva a lugar nenhum, levante e siga em frente. Diere e as outras não vão te abandonar assim... Pelo menos eu e a Diere não...
                -Você não me explicou porque eu sou a melhor fada do mundo. Eu me prendo a coisas insignificantes como amor ou amizade... Não estou nem ai para o reino, para o equilíbrio da magia.
                -Ok, para a Diretora Dara, uma vida não significa nada, ela se preocupa em preservar culturas, conhecimento, garantir a sobrevivência de uma espécie, ou a extinção de outra, mas se olhar com outros olhos, isso tudo se torna insignificante, você pensou nos sentimentos da Giselle, vive ao lado da Diere, mesmo sendo diferentes você gosta da Ice como ela é, e mesmo que o Daniel te cause problemas, você está tentando ajuda-lo, porque?
                Lovely esboçou um sorriso e disse:
                -Por amor...
                -Algo que as puras não parecem compreender direito. Se Dara realmente quer viver por aqui, ela deveria rever seus valores.
                -Então é isso que você acha de mim Alexander?- Dara disse seriamente
                -Alex, fique atrás de mim- Lovely ordenou
                -Não estou aqui por ele, estou aqui por você- Ela disse se aproximando até ficar bem próxima de Lovely- Você é a rainha dessas terras, e acabou de exterminar os dois últimos vampiros da terra só para salvar esse garoto? Você já deve saber o que acontece com aqueles que desafiam o destino, não é?
                Lovely ficou em silêncio, segurando Alex pelo braço
                -Eu não posso prever o que vai acontecer com você, mas seus atos egoístas terão consequências, um dia você entenderá que sacrifícios são necessários, e que uma líder deve proteger todos, e não só aqueles que ela ama- Ela disse olhando para Alex, depois se virou e foi embora.

                -Não se preocupe... vai ficar tudo bem- Lovely disse como se tivesse tentando acalmar a si mesma.

25 de novembro de 2014

Mochi

Meh, não tinha encontrado muitas coisas sobre poções orientais (não acho que existam muitos sites de poções orientais por ai, sempre que eu pesquiso sobre poções aparece uma cidade... E quando eu pesquiso em inglês, aparece um monte de produtos, mas eu tenho q admitir, potion é um ótimo nome para algum produto)


Resolvi falar sobre mochi, um bolinho de arroz branquinho e macio que eu adoro, principalmente dentro do sukiaki (ditado pessoal: cada um que cuide do seu moti, e fiquem longe do meu). Ele tradicionalmente é feito colocando arroz dentro de um pilão (ussu) e batendo com uma marreta de madeira gigante (tsuchi), uma pessoa bate, e a outra vira o moti com as mãos molhadas para ele não grudar assim que o martelo levanta (surge uma certa sincronia depois de um tempo, só tem que ficar esperto para não ter a mão esmagada no martelo).
Eles costumam ser comidos nas festas de fim de ano, onde varias pessoas se reúnem para bater no arroz simbolizando a união. Geralmente um grupo de homens traz arroz cozido, pelas esposas, mães ou filhas e o mochi feito é distribuído entre as pessoas ou usado para fazer dango

O mochi pode ser feito de varias cores desejando alegria para todos os dias no ano, no oriente as pessoas dizem que se pode ver um coelho na faze da lua batendo mochi, por causa da farinha que levantava a cada marretada no mochi, a lua se tornava branca

Fontes:
http://www.culturajaponesa.com.br/?page_id=518
http://madeinjapan.uol.com.br/2011/04/20/segundo-lenda-mochi-preparado-por-coelho-faz-lua-ser-branca/
http://toriiprodutosorientais.com/index.php?route=product/category&path=103_112

24 de novembro de 2014

Como tudo terminou- Capitulo 14

                “Hey... Sei que que sou meio jovem para isso... Mas me diz porque você odeia a minha prima? Tipo eu até entendo essa historia de rivais, mas algo me diz que tem mais coisa ai, você era a primogênita, mas Alex era um homem, antigamente só o filho mais velho homem tinha direito a herança da família
                -Talvez você comece a falar caso eu dobre o seu braço para esse lado...
                -Porque matar toda a sua família e só deixar o seu irmão vivo... de certa forma...
                -Eu precisava de um servo
                -Ok, me poupe, não sou tão estúpida como todos pensam...Estava com medo da solidão? Ou era um resquício de amor que sobrou dentro da sua alma?
                -CALE A BOCA!!!!EU NÃO TENHO ALMA, EU NÃO SINTO AMOR!!! IREI ESTRASSALHAR O SEU CORPO ASSIM QUE MATAR O MEU IRMÃO- Ela disse começando a abrir a minha cabeça na parede”
                -E-ela me amava?-Alex gaguejou
                -Para você se tornar humano, você precisava dar o descanso eterno a ela, e ela demonstrar de alguma forma, sentimentos por você, eu dei um leve empurrãozinho. Você foi salvo por uma dama de coração gelado, mas eu não tenho certeza se essa dama era a Gabriela... Ou eu... Eu sinto muito, mas ela precisava morrer.
                -Ainda não acabamos Lovely, Que tipo de feitiço ilegal você andou fazendo?
                Lovely ficou pálida por um momento, tentou se segurar, mas no fim acabou contando sobre como ela abandonou uma fada no meio da floresta e essa fada nunca mais foi vista, ela ficou com a cabeça abaixada o tempo todo para que ninguém visse suas lagrimas e evitar olhar para Diere, Ice ou Kaila.
                -O que mais você andou escondendo?
                -Uma arvore...
                -Que tipo de arvore?
                -Uma muda da Criadora, um fiquei com medo que as bruxas destruíssem a árvore, então eu peguei uma parte da árvore e transformei em uma muda.
                -Porque não nos contou?- Giovana perguntou
                -Giselle estava com problemas lembram? Ela precisava consertar tudo, se eu consertasse as coisas, ela não voltaria a ser ela mesma e pensaria que eu não confio nela, eu confio, mas não podia arriscar perder uma árvore sagrada. A muda está no jardim da minha mestra Llana.
                -Deviamos plantar essa muda aqui na cidade- Diere sugeriu.
                -Dara não vai gostar nada disso, provavelmente irá querer levar a muda de volta para o lugar de onde veio.
                -E de onde ela veio?- Alex perguntou- Do mundo das fadas puras?
                -Como você...- Lovely disse deixando o queixo cair.
                -Ice me contou, ela tinha descoberto um modo de quebrar o feitiço umas semanas atrás...- Alex respondeu, todas as outras ficaram olhando para Ice
                -Que foi? Só a Lovely pode ter segredos?- Lovely ignorou o comentário e tirou um pequeno livro das roupas
- Preciso falar sobre isso... Encontrei esse livro de feitiços do Leandro.
                -Quem?- Ice perguntou
                -O líder dos impuros, sabe? O cara que te deu uma surra. Mesmo que meus poderes tenham sido desbloqueados, eu não tenho tanto conhecimento em feitiços como você ou a Giselle, quero que analisem os feitiços e descubram um modo de reverter.
                -Por que?

                -Porque se ele deixar de ser um impuro não vai precisar seguir as ordens de Leandro e estará livre, eu me preocupo com ele apesar de tudo, é horrível você ter que obedecer uma pessoa só para evitar que coisas ruins aconteçam com quem você ama.- Ela disse se levantando e indo para a saída- Já terminei de falar tudo que tinha que falar.

23 de novembro de 2014

Mitologia: Tanuki

Durante a festa de aniversario, eu tinha perguntado para o meu primo: Se você fosse uma criatura mitológica, qual seria? Ele me respondeu Tanuki. Eu simplesmente disse q não combinava e desenhei ele como uma kitsune (e desenhei o irmão mais novo dele como um tanuki, sim eu sou uma babaca)


Tanuki,, ou também conhecidos como guaxinins, são uma especie de Yokai formado por espíritos de animai, alegres, travessos e ingênuos, são representados carregando uma garrafa de sakê e uma nota promissória,e assim como a kitsune, os tanukis tem o poder da transformação e costumam usar isso para pregar peças em humanos, como por exemplo transformar folhas de árvore em dinheiro.

Adoram sakê e mulheres, isso é uma das franquezas deles, já que se distraem e acabam levantando o rabo e mostrando que não são humanos. Por algum motivo que eu não faço a menor ideia, eles possuem testículos enormes (dane-se, sátiros tem paus grandes) e usam como rede, capa de chuva e cobertor (me recuso a aceitar isso, até pq deve ser doloroso puxar o seu saco  para usar como cobertor), mas assim como os sátiros, isto é considerado simbolo de fertilidade.

Imagens de tanukis são usadas para trazer sorte e prosperidade, são colocados em lojas onde se vende sakê e outras bebidas alcoólicas, , antigamente sua pele era usada para trabalhar o ouro, por isso dizem q os tanukis possuem kintama, bolas de ouro (meh, realmente não tem como eu aceitar isso de boa).
Tanukibayashi é o som misterioso de flautas que surge do nada em certos lugares e é associado ao animal.

1- O chapéu de bambu protege contra os desastres inesperados.
2- Seus olhos, vivos e grandes, significam a tomada de decisão correta.
3- A expressão, ao mesmo tempo, marota e carinhosa lembra que devemos sempre manter o sorriso no rosto.
4- A garrafinha de saquê garante que o esforço cotidiano trará resultados satisfatórios e o aprimoramento das virtudes.
5- O livro simboliza a confiança e o sucesso financeiro.
6- A barriguinha preponderante simboliza a serenidade e o equilíbrio nas decisões que serão tomadas.
7- O saco de dinheiro simboliza o sucesso financeiro e a sabedoria para usar sem desperdiçar.
8- A cauda grossa com ponta fina expressa a necessidade de concluir com firmeza todas as tarefas iniciadas.


Fontes:
http://chuvadenanquim.com.br/2014/02/04/mitos-em-series-05-tanukis/
http://aoikuwan.com/2011/12/14/criaturas-sobrenaturais-parte-16-tanuki/
http://rkenshinbr.com/2014/04/03/o-tanuki/
http://cariocanojapao.blogspot.com.br/2012/05/tanuki-de-komagane.html

22 de novembro de 2014

Como tudo terminou- capitulo 13

                Por algum motivo Giselle havia chamado todos para uma reunião. Num lugar seguro é claro. Lovely estava sentando em uma cadeira, Giselle encostada na parede, Ice e Kaila sentada no chão. Diere e Alex estava no sofá.
                -Quem nós estamos esperando mesmo?- Ice perguntou
                -Será que eu posso sair daqui? Eu to ficando meio que nervosa, principalmente porque... Tipo... Sei lá, o dia inteiro sempre que eu me distraia, quando me dava conta eu estava amarrada.
                Giovana entrou na sala fuzilando Lovely com o olhar, e perguntou irritada
                -O que ela está fazendo aqui?!- Giovana perguntou para Giselle enquanto apontava para Lovely.
                -Eu também adoraria ir embora... Me enfiar debaixo do meu cobertor e não sair até o próximo milênio...- Lovely disse se levantando.
                -Lovely...- Giselle disse cruzando os braços- Temos muito a que discutir, primeiro sobre o interrogatório que Giovana aplicou em você hoje de manhã, Ela usou uma poção da verdade
                -Vocês deveriam ter visto como ela falava de maneira tão fria e...
                -Você deveria saber que poções da verdade fazem com que a pessoa não consiga demonstrar emoções, ela simplesmente fala a verdade, e quando se trata de emoções, as coisas ficam mais difíceis de se definir.
                Lovely se levantou tentando ser discreta, parou ao lado de Giovana e cochichou
                -Olha... Eu não te falei antes porque... Eu só descobri isso agora... Não conta para ninguém...
                -Eu fiz uma poção que pode obrigar uma pessoa a falar a verdade, sem que ela se torne indiferente, poderia até falar o que sente pelas pessoas ao seu redor. Se vocês quiserem podemos interrogar a Lovely novamente
                -Ou eu posso falar a verdade por livre e espontânea vontade... – Ela disse um tanto nervosa. Giselle e Giovana trocaram olhares e forçaram Lovely a beber a poção.
                -Desculpe Lovely, mas vai demorar um tempo até que possamos confiar completamente em você de novo.- Giselle disse a ajudando a se levantar
                Ice se aproximou de Alex e perguntou- E quando foi que nós confiamos completamente nessa ai?
                -Lovely? Como se sente?
                -Completamente humilhada, Você fez uma poção da verdade muito melhor do que qualquer uma que eu já fiz.
                -Não foi para isso que estamos te interrogando- Giovana disse- Como sabia que o Alex viraria humano? E se sabia, porque disse que iria mata-lo?
                -Dara ordenou... Mas eu juro que eu não queria fazer isso de verdade. Dara possui um conhecimento milenar, ela não costuma se apegar a coisas pequenas, ela queria que você transformasse uma pessoa em vampiro, essa pessoa consequentemente iria criar outros vampiros.- Ela fechou o olhos tentando esconder lagrimas que estavam se formando
                -Porque a Dara iria querer algo assim
                -Equilíbrio- Giselle disse séria- Há humanos demais na terra, precisam de um predador natural, ela estava usando o Alex apenas como um peão, e você Lovely... era uma torre
                Lovely fechou os punhos com força- Alex não seria mais necessário se isso acontecesse e poderia ser morto, eu me ofereci para mata-lo.
                -Porque você é uma serva de fadas como a Dara certo?- Giovana disse parando na frente de Lovely.
                Lovely se levantou e acertou com força o rosto de Giovana que caiu no chão.
                -É CLARO QUE NÃO!!!! VOCÊ NÃO SABE DE NADA! POR ACASO TEM IDEIA DO QUE É QUERER PROTEGER UMA PESSOA DE TUDO, E DESCOBRIR QUE O ÚNICO MODO DE FAZER ISSO É A MATANDO???!!- Ela gritou olhando para Giovana até se acalmar- Não me parecia justo então eu mudei os planos...
                -Uma nova vida espera aquele que for salvo pela dama de coração frio... Eu tinha te contado- Alex disse
                -Quando eu estava sendo torturada... Teve um momento que eu poderia ter matado facilmente a sua irmã, mas ela fez algo que eu me impediu...
                -E o que foi?- Ice perguntou ainda assustada por causa do soco que Giovana tinha levado.
                -Bateu a minha nuca varias vezes na parede

                -Você é muito inútil, Lovely- Ice disse batendo na própria testa com a palma da mão

21 de novembro de 2014

Amuletos: Omamori

Ofuda seria um tipo de feitiço, e Omamori seria um amuleto, bem hoje é post sobre amuletos, porque não postar sobre isso?

Basicamente eles são muito parecidos com Ofuda, em algumas versões eles são guardados em saquinhos de tecido ou papel, e costumam ser vendidos também, (principalmente na Liberdade), apesar de geralmente serem representados tendo a forma retangular, parece que eles podem sim ter outros formatos como circulo ou triangulo.

Eles possuem um poder limitado que é gasto conforme o tempo passa, por isso amuletos de papel costumam ser queimados, ou anualmente, ou quando o desejo for realizado, em templos

Fazer um amuleto como esse, não é tão simples, de acordo com a religião Xintoísta, você não poderia fazer esse amuleto sozinho, e em alguns casos você recebe uma permissão especial

Geralmente se usa papel de arroz, papel reciclado ou algum tecido com fibras naturais, já que ele será queimado, corta-se o papel no tamanho e formato desejado. Depois com um pedaço de carbono,acho que um carvão também poderia funcionar, ou algum tipo de tinta magica, apesar de eu achar que tintas magicas são mais voltadas para magia ocidental, escreva o simbolo, divindade, ou feitiço que você deseja

Acenda uma vela e um incenso que combine com o seu amuleto, ou que esteja de acordo com a divindade que você escolheu, passe o omamori três vezes pela chama da vela e pelo incenso para purifica-lo e abri-lo para receber energia.

Se você possui uma divindade no amuleto, deve meditar sobre ela e sobre aspectos dela que você deseja passar para o amuleto, e em seguida pedir para a divindade passar a sua essência para o amuleto. Se for um simbolo mágico, você deve meditar sobre o poder daquele simbolo, deixe a energia preencher o seu redor, entrar no omamori, e sele-a dentro do amuleto visualizando uma rede envolvendo o amuleto, feito isso deixar o amuleto ao lado da vela e do incenso até eles terminarem de queimar.

Você pode colocar o amuleto em qualquer lugar, ou carregar consigo.

Fontes:
http://www.magicalrecipesonline.com/2013/12/ofuda-and-other-paper-talismans-how-to.html
http://gakuu.com/house-omamori/

20 de novembro de 2014

Feitiços: Kotodama

Ai, então, caso não tenham notado, revolvi escolher como tema das próximas semanas magia oriental,fiquei com um pouco de medo ao escolher esse tema, eu acho magia oriental muito complicado, e eu sou uma preguiçosa,eu pensei seriamente em dar uma copi cola e dane-se o resto, mas eu não iria aprender nada com isso, então vamos estudar (não... (> ~ <)).

Ps: Eu estou meio resfriada, então se eu começar a viajar muito, me perdoem...

Kotodama significa espirito da palavra, seria algo como o poder que as palavras tem, basicamente como palavras magicas, sim aquelas que sempre são usadas em feitiços.
Gen significa palavra (verbalizada)
Rei significa espirito (diferente da alma humana q é tamashii, rei seria a essência espiritual)
Tamashii, alma humana, também chamada de Kon, ou Waketama, uma alma é composta de quatro partes (apesar de que eu sempre pensei que eram três), aramitama, coragem, nigimitama, amizade, sashimitama, amor e kushimitama, sabedoria

Há dois jeitos de se usar uma kotodama, Ofuda e Kiai.
Ofuda significa encantamento, feito com tiras de papel ou madeira bem fina assim como os Omamori, apesar de omamori serem amuletos de proteção. Ofuda tem o nome de um deus ou um elemental escrito no papel, junto com uma palavra que deveria ser dita para que o encantamento funcione. Eles costumavam serem usados para selar demônios, espíritos malignos e controlar kyonshi, vampiros chineses que se alimentam de Ki.
Kiai é um grito usado pelos praticantes de artes marciais, para harmonizar corpo e mente e fazer com que a energia ki circule. (Eu ia falar sobre o fato dos saiyajins fazerem a mesma coisa, mas vamos deixar quieto ok?)

Falando nisso, preciso falar do site magia oriental, é de onde eu retirei esse post, praticamente aqui é um resumo, caso estejam interessados o link está na descrição, provavelmente a maioria dos posts sobre magia oriental virá de lá.

Fontes:
http://aoikuwan.com/2009/09/30/kotodama-kiai-e-ofuda-parte-1/
http://aoikuwan.com/2009/10/07/kotodama-kiai-e-ofuda-parte-2/

19 de novembro de 2014

Como tudo terminou- Capitulo 12

Lovely estava deitada para a parede em silencio, tinha conseguido chegar inteira, rachaduras em seus ossos tinham se aberto, estava doendo um pouco, mas ela não se importava, só queria ficar sozinha...
Giselle entrou e abriu as cortinas deixando a luz entrar, Diere e Ana entraram carregando Alex e Ice enquanto Giselle preparava os medicamentos.
-Giselle... Você até agora não me explicou porque eu tive que ser algemada... Aliais, esse troço é muito mais difícil de abrir do que uma corda mágica.
-Você já vai descobrir... Hum Lovely... Você ainda fica nervosa com agulhas?
-Não... Espera... Giselle o que você tem ai?
-Por enquanto nada... Mas quanto litros de sangue você acha que podemos retirar de você antes que você desmaie?
                Lovely se jogou para trás deitando na cama e fechando os olhos.
                -Não existe um feitiço para isso não? Eu sei que existe.
                -Vamos dizer que é só um castigo por ter feito alguns feitiços ilegais.
                -Que seja, dava para me fazer entrar em coma logo? Meus osso não estão completamente curados sabia?
                -Antes, eu gostaria de saber que tipo de feitiços ilegais a Lovely utilizou...- Dara disse entrando na sala.
                Lovely olhou para Giselle implorando para não contar nada, Giselle ficou séria, limpando a garganta. “Droga, a Giselle não sabe de nada... Ela vai contar tudo”
                -Lovely colocou poção do amor em um ponche que íamos servir numa festa, por sorte Giovana descobriu tudo antes que alguma coisa acontecesse.
                Dara encarou Lovely por algum tempo, mas ela não percebeu, estava com o queixo caído olhando para Giselle.
                -Mestra Dara, senhorita Ana, se não for muito incomodo, peço que se retirem, eu e Diere podemos cuidar de tudo por aqui.
                Dara saiu ainda encarando Lovely, depois que Ana fechou a porta Lovely disse:
                -Você...
                -Agora não, precisamos de um transplante de sangue- Ela disse enfiando a agulha do braço de Lovely.
                -Hey!!! Assim não!!! Você não deveria ter amarrado um pano ou um elástico no meu braço antes?
                -Eu esqueci...

                -Mentirosa...- Lovely disse fechando os olhos e tentando dormir- Me acorde quando acabar...

18 de novembro de 2014

Plantas: Momiji

Também conhecido como Bordo, Acer Palmatum Atropurpureum, podem atingir de 10 a 40 metros de altura, para poupar água no inverno, suas folhas se tornam vermelhas e caem no outono.O nome acer significa agudo, por causa do formato das folhas
.
Cultivo:
O bordo é uma arvore de clima temperado, sol pleno ou meia sombra, irrigado regularmente, não gostando de locais com muito vento ou sol forte ao meio dia.

Magia:
O bordo é o símbolo da reserva. Houve época em que seus galhos eram comumente usados como bastões de adivinhação para localizar águas subterrâneas. Suas folhas são usadas pêlos japoneses nos festivais da florada. A decocção feita com suas cascas é utilizada em várias tribos norte-americanas para provocar o vômito.

Culinária:
No Canadá costuma-se fazer o xarope de bordo,sim, aquele que se come com panquecas, apesar do bordo canadense se diferente do bordo japonês (isso pode ser observado pelas folhas)

Fontes:
http://arvoresvivas.wordpress.com/2007/11/29/momiji-direto-do-japao/
https://www.google.com.br/?gws_rd=ssl#q=folha+de+bordo+com+oito+pontas+-koisome&start=10
http://onkami.deviantart.com/art/Momiji-leafs-Kyoto-Japan-47778768

17 de novembro de 2014

Como tudo terminou- Capitulo 11

                -Pensam que vão poder me enganar com esses espelhos?- Gabriela disse olhando os espelhos. Ela correu até Ice e afundou a cabeça dela no chão, antes que ela pudesse cravar as unhas no pescoço de Ice, Alex partiu para cima dela tentando impedir que ela se aproximasse de Ice
                -Você me odeia porque toda a vez que olha para mim você vê o que poderia ter se tornado- Ice disse ainda deitada no chão.
                -JÁ CHEGA ICE!!!!- Ele gritou se virando para Ice, a fada ficou em silencio ainda olhando para Alex.- Eu não quero ter que te matar Gabriela, não precisa ser assim, você poderia ter uma vida melhor aqui...- Gabriela agarrou o pescoço de Alex e afundou no chão
                -Amor.... – Ela disse dando um soco no rosto dele- Patetico, *soco, porque insiste nisso? *soco. Sabe que eu não vou mudar, a menina que você conheceu já está morta há muito tempo.
                Alex continuava a se mexer, ele segurou gentilmente uma mecha do cabelo dela e tentando sorrir ele disse:
                -Eu sei... Eu sempre soube....Hurg...que não havia esperança para você...Ah... Mas mesmo assim... Eu precisava tentar... Eu realmente poderia ter te matado logo no inicio, você é muito fraca, poderia ter quebrado o seu pescoço e os seus braços... mas ai eu seria igual a você... - Ele olhou na direção da entrada da sala, chamando a atenção de Gabriela- Tudo bem Diere, faça o que for preciso.
                Diere estava com uma expressão triste no rosto ela saiu do caminho da porta cobrindo os olhos, atrás dela estava uma menina usando óculos escuros e com os cabelos presos em um rabo de cavalo, ela retirou os óculos e soltou o cabelo, as serpentes nos seus cabelos se contorciam, vários reflexos formados nos espelhos olhavam fixamente para Gabriela, não importava para onde ela olhasse, havia sempre uma imagem da górgona a encarando, seu corpo começou a endurecer e a virar concreto puro. Depois a menina colocou os óculos novamente e pediu que Diere prendesse os cabelos de serpente de novo. Depois de terminar de amarrar o cabelo da górgona, ela viu Alex caído no chão e correu para ajuda-lo
                -Isso certamente não é bom, ELE ESTÁ SANGRANDO!!!! precisamos tirar eles daqui o mais rápido possível, Ana carregue a Ice. Alex... Aguente firme...


16 de novembro de 2014

Mitologia: Musas

As musas eram divindades menores, filhas de Zeus com Mnemósine, inspiravam varias áreas da arte e da ciência, elas possuíam um templo chamado museion, que deu origem a palavra museu.
Existiam nove musas, cada uma com sua arte.

Calíope, Bela voz
Musa da Eloquência, da poesia épica, simbolizada pelo pergaminho, pela tabua e pelo estilete, as vezes representada com uma trombeta ou um livro considerada a mais poderosa das musas

Clio, a proclamadora
Musa da historia e da criatividade, as pessoas costumavam dizer que ela ensinou o alfabeto fenício para os gregos, geralmente acompanhada de um pergaminho e um baú de livros, e descansando sobre um globo terrestre

Erato, a amável
Musa da poesia lirica, e do verso erótico, representada por uma lira, e sempre usando uma coroa de rosas, os que eram inspirados por ela eram amados e desejados.

Euterpe, deleite
Musa da musica e do, representada pela flauta dupla que ela mesma criou

Melpômene, a cantora
Musa da tragedia, representada pela mascara da tragedia e uma espada, usava coturnos, assim como os atores de tragedias.

Polímnia, a de muitos hinos
Musa dos hinos sagrados e das narrações de historias, representada por uma mulher seria

Terpsícore, a que adora dançar
Musa da dança, e mãe das sereias

Tália, a festiva
Musa da comedia, e da poesia alegre, usava uma mascara de teatro representando a comedia e um cajado.

Urânia, celeste
Musa da astronímia e da astrologia, simbolizada por um globo celeste e um compasso

Fontes:
http://portaldemandalas.blogspot.com.br/2011/08/as-9-musas-gregas.html
http://cpantiguidade.wordpress.com/2011/02/22/%E2%80%9Ccaliope%E2%80%9D-%E2%80%93-a-musa-grega-da-eloquencia/

15 de novembro de 2014

Como tudo terminou- capitulo 10

                -Aff... Eu sou uma prima horrível, uma péssima amiga, uma fada patética e não sei nem ao menos desfazer um nó... quase... CONSEGUI!!!- Ela disse se levantando enquanto o resto dos nós se desatavam sozinhos- Ok, se eu correr ainda dá tempo de ajudar eles.- Ela andou ainda fraca até a porta segurando o arco e flecha, quando abriu a porta ela deu de cara com Daniel, atirou uma flecha e o segurou antes que caísse no chão- Porque sempre que eu estou conseguindo escapar você aparece?- O arrastou até a cama e disse- Hum você ainda consegue falar, a paralisia vai passar daqui há um tempinho... Vou indo!!!!- E saiu correndo pela porta.
                Ao passar por um corredor todo ornamentado ela encontrou uma porta que chamou a sua atenção, dentro da sala havia um altar com um livro grande e grosso, havia uma estrela rachada na capa do livro.
                -Cara... O livro de feiticeiro do Leandro... Giselle sempre diz que para se derrotar um bom feiticeiro, você deve conhecer os feitiços que ele usa- Ela disse tirando o livro do altar- Huffg... Pesado... Vamos testar uma coisa... vamos ver se eu me lembro... Parva Parua Parvum- Ao dizer isso o livro encolheu para o tamanho de um chaveiro- Nem acredito que deu certo... Puxa, a Ice tem razão, falar em latim faz você se sentir muito estranho...- Ela saiu e deu de cara com Marina- Ahhhh!!! Qual é o teu problema? O que estão fazendo aqui???!!!
                -Viemos te buscar, mas eu achava que estaria amarrada ou algo do tipo.
                -Hunf... Não sou tão inútil assim, eu consegui escapar numa boa- “Só demorou mais do que deveria”- Ela disse escondendo o livro entre as pétalas da sua roupa- Marina... Desculpe...Achei que você estava errada todos esses anos, que você gostava de me infernizar e dizer as pessoas que não deveriam confiar em mim porque você gostava de me ver triste ou sozinha. Mas você estava apenas tentando proteger as pessoas de mim, não é mesmo?
                Marina parecia um tanto quando surpresa, depois voltou ao normal passou por Lovely em silencio e falou friamente:
                -Vamos sair daqui.
                Ice mal conseguia se manter de pé, Gabriela não tinha sequer um arranhão, ela estava segurando Alex pelos cabelos, ela o arrastou até se aproximar de Ice que segurava firmemente a espada, ela tentou golpear usando a espada mas não conseguia mexer o braço e deixou ela cair.
                -Você ficou muito forte nesse curto tempo Alex- Gabriela dizia erguendo a cabeça dele enquanto juntava a espada de Ice- Vou lembrar carinhosamente de você sempre que olhar para a sua cabeça decapitada. Mas primeiro... A fada.
                -Mas não vai mesmo!!!- Ele disse arrancando a espada de Gabriela e cortando o braço direito dela, ele largou a espada em choque- Gabriela... Me desculpe... eu...- Ice puxou Alex pelo braço e juntou a espada o mais rápido possível.
                -Deixa de ser babaca!!! Consegue correr? Me carregue até a sala de espelhos o mais rápido possível. E se disser que eu sou pesada, eu te mato.
                A sala dos espelhos não tinha muita coisa de especial, apenas as paredes, o chão e o teto estavam cobertas com vários espelhos que refletiam apenas uma coisa, a porta de entrada, o mais assustador era que os reflexos pareciam olhar todos para o mesmo lado, como se eles estivessem te seguindo com o olhar. Alex colocou Ice no chão, não havia como ela ganhar naquele estado e com todo o poder que Gabriela possuía.
                -Vamos lá, feche os olhos –Ice disse fazendo um dois com os dedos, ela tocou nos nas pálpebras de Alex e ele não conseguia mais enxergar nada, depois ela fez o mesmo consigo mesma.
                -Nós vamos morrer não vamos?- Ele perguntou

                -Pare de reclamar, pelo menos você possui um sonar.

14 de novembro de 2014

braceletes e discos romanos

Outro amuleto usado no inicio do império romano, eram braceletes feitos de metais nobres com inscrições pedindo proteção e cura para males.
Abaixo está um exemplo um bracelete que se acredita ter sido usado para curar a cólica:

" κελεύω μὴ[κ]ύειν πόνο[ν] κόλον"
Pode ser traduzido como: "Deus, eu ordeno que esse ventre não conceda mais dor"

Haviam também discos com inscrições pedindo proteção.

Ἡρακλῆς ἐν- θά<δε> κατοικεῖ· μὴ ’σίτω μη- θὲν κακόν. “
Herakles vive aqui. Não deixe nenhum mal entrar.”

(isso era usado como um amuleto, fico imaginando como seria um amuleto desses feito nos dias de hoje, parece interessante)

Fontes:
http://pistoteron.blogspot.com.br/2012/04/magia-e-bruxaria-na-antiga-helada.html

13 de novembro de 2014

Livro: Magia grega

Em geral eu gosto de recomendar livros que eu já li, mas não tenho mais tempo de ler livros e muito menos dinheiro, mas achei esse livro interessante e gostaria de ler um dia. 
Magia Grega- Como acessar os deuses da Grécia antiga nos dias de hoje
Edu Scarfon
Eu encontrei um site que parece falar um pouco sobre isso, por eu já ter feito um post falando sobre deuses gregos, não vou me aprofundar muito (sim, estou com preguiça) quem quiser saber mais pode acessar o site no final do post ou ler o livro.

Afrodite:
Pedimos para Afrodite suas bênçãos para nosso relacionamento e nossa vida, pois o amor é uma grande força alquímica capaz de tudo transformar. A deusa também nos auxilia a curar diversas feridas adquiridas de decepções amorosas. Além disso, práticas direcionadas à deusa trabalham nossa autoestima e a exteriorização daquilo que temos de melhor.
Seu animal é o pombo branco. Podemos ofertar à deusa maçãs vermelhas, morangos, cerejas, espelhos, conchas ou representações com formato delas. Perfumes também agradam muito, principalmente fragrâncias adocicadas 

Apolo
Apolo nos abençoa com a energia do sol, traz verdade e autoconfiança para nossas vidas. Ele nos ajuda a trabalhar nossos talentos e a obter o reconhecimento merecido. É o deus da cura dos infinitos males, aquele que traz a luz espiritual onde exista rastro de qualquer treva. Podemos evocá-lo para trazer toda a energia do sucesso para nossos variados propósitos. Dentre suas oferendas, destacam-se: folhas de louro, arco e flecha dourados, girassóis e representações do sol e de golfinhos (seu animal relacionado). 

Ares
Esse deus é de natureza bélica, ama lutas, batalhas e atividades em que se desenvolva a força física propriamente dita. É um guerreiro nato que nos dá força para vencer diversos obstáculos impostos em nosso trajeto.
Ares é excelente para ritos de proteção. É uma divindade muito propícia para preservar nossos lares e/ou pessoas que amamos. Podemos ofertar ao deus uma lança – que representa as batalhas e o símbolo fálico –, vinho e a tradicional espada-de-são--jorge. 

Ártemis
Por ser ótima com um arco e flecha, a deusa é uma grande caçadora e nos ensina sobre força, foco e individualidade. Quantas vezes precisamos ter aquele “egoísmo saudável”? É com ele que aprendemos a nos cuidar, lutar por nossos ideais e nos colocar como prioridade em nossas próprias vidas!
Para obter as bênçãos de Ártemis e, quem sabe, atrair seus atributos como força para a conquista da vitória, podem ser ofertados: representação da lua e de cervos, arco e flecha prateados e folhas de artemísia.

Atena
Atena é uma das deusas mais comunicativas. Também conhecida como “senhora das batalhas”, é uma guerreira nata, porém, diferente de Ares, Atena prioriza a intelectualidade, o desenvolvimento de novas ciências e o estudo, deixando a guerra somente para proteção, caso a questão não seja resolvida com uma boa conversa. Mas, não se engane: se ela entra numa disputa, é para ganhar! 
A cidade de Atenas foi consagrada à deusa e recebeu seu nome depois que a divindade presenteou o povo da cidade com a oliveira, árvore das azeitonas. Para fortalecer nossa conexão com Atena, podemos presenteá-la com azeitonas, representações de espada ou de coruja (seu animal relacionado) e a balança do direito (um de seus símbolos). Azeite de oliva em um pires branco também pode ser uma excelente oferenda.

Dionísio
Dionísio nos proporciona alegria de viver, descontração, fartura e fertilidade. Em qualquer rito em que se trabalhe a força dos deuses gregos, o vinho deverá ser consagrado a Dionísio, uma vez que foi ele que criou essa bebida sagrada a partir das uvas. Ofertamos ao deus: vinho, uvas, folhas de parreira e pratos bem bonitos com carne assada.

Hefesto
Hefesto é consorte da deusa Afrodite e clamamos por ele quando desejarmos desenvolver diversos dons artesanais, nos ajudando muito em processos de confecção de determinados instrumentos sagrados.
Nos rituais de celebração ao deus, podemos agraciá-lo com uma pequena bigorna, ferros e demais metais.

Hermes:
Reverenciar Hermes nos deixa mais comunicativos, velozes de raciocínio e de ação. O Mensageiro dos deuses é excelente para rituais de abertura de caminhos, pois sua agilidade vence qualquer obstáculo e sempre arruma um jeito de nos levar aonde desejamos. Ofertamos ao deus: caduceu, mercúrio, vela dupla nas cores vermelha e branca e botas aladas e bastões mágicos confeccionados especialmente para ele.

Fontes:

http://www.facesdalua.com/morada-deuses-gregos/lan/br

12 de novembro de 2014

Como tudo terminou- capitulo 9

                -Nunca pensei que teria que vir aqui para isso- Diere disse cobrindo os olhos com uma venda e entrando em uma caverna- Sonar de morcego- Ela disse e soltou um grito mudo para se guiar- Ana? Você está ai?- Diere ouviu algo se mover atrás dela uma menina de cabelos de serpente e olhos de lagarto estava parada atrás dela, as serpentes estavam presas em um rabo de cavalo.
                -Diere, você veio brincar comigo de novo?- Ela perguntou inocentemente
                -Não, eu preciso de um favor, vou te tirar dessa caverna por um tempo, coloque isso- Ela disse retirando um par de óculos da bolsa.
                Ice e Alex não tiveram tempo de pensar em um plano melhor para combater Gabriela.
                -Ainda não entendi porque você não quer contar onde a Lovely estava para conseguir se meter nessa encrenca, e como ela conseguiu se meter nessa.- Ice dizia enquanto observava o mapa- Isso esta tudo errado, quem foi o boca aberta que fez esses feitiços?!! Como eu vou descobrir onde a Gabriela vai estar nessa bagunça?
                -Hum- Alex disse olhando para um vidro de poção.
                -Já não esta pronto? Eu vi a Diere pingando uma gota do próprio sangue ai, não vai beber?
                -Quando ela me entregou a poção ela disse: Você não precisa dessa poção para vencer a sua irmã.
                -AH!!! FAÇA-ME O FAVOR!!!- Ela disse furiosa arrancando a poção das mãos dele e fazendo ela beber goela abaixo- Isso é uma guerra, não um conto de fadas, Gabriela NÃO PODE sair daqui viva.
                -Sim eu sei... Mas você poderia ser mais sensível, ela ainda é a minha irmã.
                -Isso é realmente muito fofo, mesmo depois de tanto tempo você ainda pensa em mim Alex?- Gabriela disse sorrindo calmamente sentada num banco. Ice empunhou a espada e correu na direção de Gabriela que simplesmente desapareceu.
                -Ela está mais rápida!!!- Alex disse ficando ao lado de Ice
                -Não me diga.- Ela disse olhando para os lados procurando por Gabriela
                -Também estou mais forte- Ela disse aparecendo atrás de Ice, antes que ela pudesse fazer qualquer coisa, Gabriela a acertou com força o suficiente para arremessa-la para o outro lado do pátio. Em seguida tentou acertar Alex com o cotovelo, mas ele conseguiu bloquear.
                -Você é realmente muito patética Gabriela- Ice disse se levantando- Seu irmão pode ser patético, mas você conseguiu supera-lo. Viveu como uma barata durante séculos, e comia como um porco. Se eu tivesse os seus poderes e a sua apatia, eu teria dominado o mundo, já estaria vivendo como uma rainha, mais de 500 anos e ainda se alimentava de pobres coitados que passeavam a noite pela rua.
                -Cale a boca- Ela disse tentando acertar Ice novamente, mas Alex sempre se metia na frente.
                -Sua vida, se é que eu posso chamar assim, não tinha sentido, era simplesmente sobreviver...

                -EU MANDEI CALAR A BOCA!!!!!- Ela disse dando um soco no rosto de Alex e quebrando o braço de Ice antes que ela pudesse usar a espada, Ice gritou de dor e segurou o próprio braço.

11 de novembro de 2014

Plantas: Uva

Assim como o trigo era o simbolo de Deméter, a uva era o simbolo de Dionísio (ou então Baco, apesar de eu acha Dionísio um nome muito mais maneiro). O nome geral para as varias especies de uvas é Vitis sp.

Cultivo:
As videiras em geral parecem gostar de um periodo de frio, para que as folhas caiam e as gemas entrem em dormência, uma temperatura em torno dos 22°C, solos ricos, não muito umidos e bem drenados.

Culinária:
Em latim vïnum significa, videira ou também, vinho (isso não me parece importante já que os dois estão ligados), ele também está ligado a Dionísio (que por sua vez sempre era retratado bêbado). O resultado final na fabricação do vinho depende desde a colheita, até a fase de envelhecimento, a colheita deve ser feita no período certo, caso seja colhida muito antes irá produzir um vinho aguado, caso seja colhido muito tarde, ele não terá acidez. Em seguida os vinhos são esmagados, bagas, suco e cascas tudo misturado nos tanques no caso do vinho tinto, já o vinho branco o suco e o resto são separados. O processo de fermentação é a parte mais complicada e também a mais importante, deve se tomar cuidado com a temperatura que não pode sair dos 25º aos 30º, evitar o contato com o ar. Depois da fermentação é feita a filtragem e o envelhecimento.

Magia:
Há varias poções que são feitas usando vinho. Antigamente haviam festas dedicadas aos deuses onde as pessoas bebiam de comiam, ficavam bêbadas (pense nisso como uma especie de carnaval), as crianças geradas nessas festas eram consideradas filhas de deuses (não há o que explicar, simplesmente era), então acho meio que comum usar o vinho em poções do amor, mas pelo que parece é uma planta regida pela lua.

Fontes:
http://www.frutasnobrasil.com/cultivo_da_uva.html

10 de novembro de 2014

Como tudo terminou- capitulo 8

                Alex ficou olhando para o amuleto e silencio- Alguém desligou... Será que ela ta bem?
                -Deveria estar preocupado consigo mesmo moleque, ainda não terminamos a nossa conversa- Horkeus disse como se estivesse prestes a cometer um erro
                -Acabamos sim- Noken disse- Faça o que ela mandou, nós vamos encontra-la de alguma madeira.
                Alex concordou e saiu voando procurando por Diere,Horkeus foi junto com os outros, um pouco contra a sua vontade.
                -Porque temos que resgatar aquela idiota? Ela um dia ainda vai nos trair, covarde, traiçoeira e manipuladora.
                -Sim eu sei, mas dessa vez ela era inocente- Marina disse sem parar de andar- Sem falar que precisamos mostrar que somos melhores que ela, que somos os verdadeiros heróis.
                Lovely estava com os pulso amarrados na sua frente para que não pudesse cortar as cordas com as asas, de qualquer forma era uma corda mágica, os nós não se desfaziam facilmente “Eu sabia que não deveria ter saído da cama hoje.... Pelo menos meus braços não estão doendo, apesar dele só ter curado os ossos depois de me amarrar...” Ela ficou olhando para a corda que estava amarrada em um cano- “Tenho certeza que alguma coisa muito ruim vai acontecer se eu tentar arrebentar esse cano... Já chega!! Seja lá o que foi que eu fiz para a Marina me odiar, não vou ficar aqui choramingando...
                -Você gosta de ser uma princesa Lovely?- A menina de óculos me perguntava
                -É claro que gosto, um dia eu vou ser coroada rainha e nós podemos ficar o dia inteiro no castelo comendo doces- Eu respondi rindo, típico de uma criança... Seu sonho é ser uma princesinha... Tão patético...
                -Vocês não vão me deixar de fora certo?- A outra menina disse parando de desenhar
                -É claro que não, seremos amigas para sempre- Eu respondi- Dara disse que essa já foi uma cidade magnífica e que um dia voltará a ser.
                Elletr Sugar e Lila Uise... Eramos amigas.
                -Posso me juntar a vocês? –Marina apareceu, eu nunca confiei nela, mas ela era legal, nunca tinha feito qualquer coisa comigo antes.- Nós deveríamos explorar a floresta perto daquela casa abandonada
                -Não acho que seja uma boa ideia... Não gosto daquele lugar... Está tudo morto. Mas vai ser divertido.
                Naquela tarde alguma coisa estava nos seguindo, corremos desesperadas e Elletr ficou para trás, Marina e Lila queriam voltar... mas eu sai correndo como uma covarde... Elletr desapareceu assim como todas as fadas da eletricidade Lila foi embora depois disso e eu nunca mais vi ela. Não tive coragem para voltar e não tive coragem para enfrentar a culpa a ponto de fazer esse feitiço.
                Lovely abriu os olhos e apertou os punhos podia sentir que seus poderes estava mais fortes, mesmo assim não conseguia lembrar de nenhum feitiço.

                -A que preço?.....- Ela apertou os punhos com mais força e disse- Isso não vai mudar nada!!! Ficar sentindo culpa não muda o passado e ficar aqui também não vai ajudar, corda mágica né? É o que veremos...- Ela disse examinando novamente a corda- Ice já falou que cordas mágicas tem um segredo você não pode soltar as mãos nem por um segundo ou os nós ficaram mais apertados ela começou a desatar o nó no cano.

9 de novembro de 2014

Mitologia: Quimera

Quimera era conhecida anteriormente como um monstro com cabeça e corpo de leão, cauda de serpente, vou explicar melhor, a cauda dela, era uma serpente, uma cabeça de cabra e as vezes é descrita com asas de morcego e cabeça de dragão, alem de tudo isso a maldita também cuspia fogo.
Era filha da Equidna, metade mulher metade serpente, e do gigante Tifão. Foi morta por Belerofonte montado em Pégaso.
Hoje em dia, as pessoas chamam de quimera qualquer criatura formada por partes de vários animais, apesar de geralmente terem cabeça de leão e serem estupidamente perigosas (isso significa que eu posso chamar um ornitorrinco de quimera?), um monstro formado com partes de vários animais, tipo um Frankenstein
(falando nisso, no dia que eu fiz esse post, eu tinha comido carne de rã, a textura lembra galinha, mas o gosto parece um pouco com peixe)
Alguns dizem que a quimera é semelhante a um homúnculo, ou seja, um ser artificial, algo criado por mãos humanas

Fontes:
http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/mitologia-grega/quimera.php
http://portal-dos-mitos.blogspot.com.br/2013/09/quimera.html
http://blogcoronelpaul.blogspot.com.br/2014/01/pec-512013-desmilitarizacao-da-pm-e-o.html

8 de novembro de 2014

Como tudo terminou- Capitulo 7

-O MEU PROBLEMA? QUAL É O SEU PRO..- Ela dizia até que Daniel tampou a boca dela- Calada, se o Leandro descobrir alguma coisa estaremos mortos.- Ele se levantou e juntou as coisas que havia derrubado quando viu Lovely falando com Alex. Era um pano com uma bacia de água
-Então...- Ela disse baixinho – Aquela historia durante a missão era mentira?
-Não exatamente, há um tempo essa tal de Gabriela entrou aqui e conseguiu roubar algo de vital importância para Leandro, não tendo ninguém em quem confiar ele acabou contando para mim, a seguidora mais fiel dele foi morta por uma amiga sua.- Ele disse torcendo o pano e limpando os ferimentos
-Hum... Imagino quem seja...- Ela disse tentando se esquivar do pano- Então Gabriela ordenou que encontrassem alguém que soubesse terminar a poção, e você me sequestrou.
-Seja mais grata, eu te resgatei.
-Meh, tu precisava da minha ajuda, sabia que se eu falasse o ultimo ingrediente tão rápido, ela teria me matado, matado vocês dois, acho que está ficando descuidada demais.
-Fique quieta!!!- Ele disse segurando o queixo dela- Seu lábio está todo mordido...
-Mano!!! ISSO DÓI SABIA??!!- Ela disse virando o rosto.
-Já disse para falar mais baixo- Ele bufou, ainda segurando o rosto com cuidado- Já estou quase acabando.
Lovely ficou em silencio por um momento e disse:
-Aff... Você venceu, o...Obrigada...
-Você estava certa, eu também deveria ser grato a você- ele disse terminando de limpar o sangue, depois puxou com cuidado o pescoço, apoio a cabeça dela no ombro e examinou a nuca- Melhor você morder a gola da minha camisa... Isso pode doer... Não precisava ter aguentado durante tanto tempo
                -Eu não aguentei... Contei o que ela queria saber nos primeiro 5 minutos, o resto do tempo ela estava só se divertindo.
                -Não se preocupe, ela terá o que merece...
                -O que quer dizer com isso? Ai...
                -Todos aqueles que interferem num certo equilíbrio são castigados, os vampiros tinham uma função, eles controlavam o numero de humanos na terra, não possuíam sentimentos.
                -Acho que entendi como funciona, depois eles quiseram aumentar o seu poder através de uma poção... e agora estão mortos
                -A fada que “criou” um vampiro com sentimentos teve o mesmo destino.

                -Ser morta pela Gabriela... E agora a Gabriela vai ser a próxima... - Ela fechou os olhos encostando na cabeça de Daniel- Pergunta: Eu fiz a tal poção dos vampiros... O que acha que vai acontecer comigo?

7 de novembro de 2014

Amuletos: Katadesmos

Em primeiro lugar, não aconselho você fazer isso, é mais uma curiosidade.
Antigamente existiam placas de chumbo ou argila que eram usadas em maldições, elas eram chamadas de katadesmos, as pessoas usavam para atrapalhar nos negócios, em um julgamento, relacionamentos, ou causar a morte de algum inimigo.
Pelo que eu entendi você escrevia na placa um feitiço de acordo com a maldição que você pretendia lançar e por meio de um ritual você invocava um deus para realizar a maldição, vale lembrar que poucos deuses do olimpo eram invocados para esse tipo de trabalho.

HERMES: Podia entrar e sair do submundo sem impedimentos. Por essa característica limiar era o mais evocado nos defixiones. Além de ser mensageiro, tinha a função de carregar as almas para o mundo dos mortos.
TEMPLO: (adoração) A forma oficial de religião da Grécia antiga. Por meio da adoração, buscava-se a graça dos deuses através de pedidos e sacrifícios.
CARONTE: O barqueiro tinha a função de levar as almas para o mundo dos mortos. Mas se o falecido não tivesse uma moeda para pagá-lo esperava a carona por um século.
HADES: O chefão do submundo aparecia em muitas inscrições de maldição, auxiliado por cérbero, o cão tricéfalo.
DEFIXIONES: (magia) Essas práticas buscavam uma intervenção na realidade. Eram voltadas para fazer mal aos indivíduos, principalmente aprisionando-os e imobilizando-os na Terra.
DAIMEONS (demônios): Os espíritos menores levavam os pedidos dos mortais aos deuses do subterrâneo e às vezes cumpriam, eles mesmos, a tarefa.
MAGOS: Foram uma importante casta sacerdotal no império persa. Seus conhecimentos ritualísticos e astrológicos transformaram o nome em sinônimo de feiticeiro.
PERSÉFONE: A rainha dos mortos era tão poderosa que mesmo pronunciar seu nome podia trazer desgraça.
HÉCATE: Deusa três em um, era muito procurada por seu poder tendo se tornado a entidade preferida da magia negra. Possuía um caráter múltiplo e agia no mar, na terra e no céu.
MEDÉIA: A personagem mitológica simbolizava o poder irracional intrínseco ao Oriente e às mulheres, que contrastava com o racionalismo do homem grego.

Depois disso acho que você enterrava a placa num cemitério, santuário, próximo de um poço ou de um rio. Algumas placas de agradecimento foram encontradas, abaixo eu vou colocar alguns exemplos do que estava escrito.

Placa de agradecimento             
A vingança de Hefesto foi derramada. Primeiro Hecate prejudica os pertences de Megara em todas as coisas, e depois Perséfone relata aos deuses. Todas essas coisas já o são.

Placa para atrapalhar um julgamento
Lítias, enterro/prendo a Hermes Retentor e a Perséfones a língua de Litias, as mãos de Litias, a alma de Lítias Lítias, os pés de Litias,o corpo de Lítias, a cabeça de Litias. Nícias, enterro/prendo as mãos do areopagita a Hermes Retentor, os pés, a língua, o corpo de Nicias.

Placa para atrapalhar nos negócios
Enterro/prendo Arista.... o ferreiro Para baixo e Pirrían o ferreiro E as atividades deles e as almas Deles e Sósias de Lámias E a atividade e a alma dele E Hegésia sempre e sempre E Hegésia a Beócia

Fontes:
http://leiturasdahistoria.uol.com.br/ESLH/Edicoes/3/artigo65953-1.asp

5 de novembro de 2014

Como tudo terminou- Capitulo 6

-Você é um inútil mesmo, não é Leandro?- Ela disse soltando Lovely- Não consegue nem ao menos manter uma prisioneira.
Lovely ainda estava sentindo dor, mas pode ver que Leandro estava com um olhar de desprezo enquanto Gabriela falava.
-Saiam, quero ficar sozinha com ela.- Gabriela ordenou, Daniel ficou olhando para Lovely enquanto saía. Gabriela fechou a porta e disse calmamente- Qual é o ultimo ingrediente da poção?- Ela disse segurando o ombro de Lovely.
-Eu não sei de nada- Lovely mentiu. Gabriela se mostrou desapontada e apertou o com força fazendo um estalar- Argh, solta sua...arg
-O ultimo ingrediente... agora!- Ela continuou
Leandro e Daniel podiam ouvir gritos e batidas durante um certo tempo.
-Eu só não murchei os seus pulmões ou esmaguei o seu cérebro porque ainda preciso do ultimo ingrediente. Porque não facilita as coisas para você, prometo que depois que tiver a minha resposta acabarei com o que sobrou da sua vida de maneira bem rápida, você nem irá sentir...
-Se me matar logo depois que eu disser o ingrediente...- Ela disse deitada no chão- Como saberá que eu não menti?- Ela tentou usar o braço para se apoiar mas acabou caindo- Você não precisa apenas do ultimo ingrediente, precisa de todos e como fazer a poção.
-Posso procurar outra pessoa para fazer isso.
-Você tem mais de 500 anos... Se existisse tal pessoa você já teria encontrado. Sinto muito que tenha que ser assim...
-Eu também- Gabriela disse sorrindo.
Depois que um tempo Gabriela saiu da sala um pouco incomodada. Ela olhou para Daniel que parecia um tanto nervoso.
-Já consegui o que eu queria, mas ainda preciso descobrir o resto da poção, você ficará encarregado de descobrir, faça o que for preciso, mas deixe-a viva.- Ela disse friamente e saiu.
Quando ela estava longe o suficiente Leandro deu um soco na parede.
-COMO ISSO FOI ACONTECER????!!! SUBJUGADO POR UMA CRIANÇA!!!
-Você foi descuidado, simplesmente aceite isso, deixar o livro com todos os seus feitiços inclusive sua própria fraqueza foi estupidez. Poderíamos ter matado ela sem grandes problemas se não fosse o seu descuido... Devemos nossa vida a Lovely, se ela não tivesse dado um motivo para a vampira deixa-la viva, todos nós já estaríamos mortos.
-Por acaso está se sentindo grato a magictopiana? Pensei que você queria a cabeça dela em uma bandeja. Parece que você está amolecendo, precisamos encontrar uma cura para a sua maldição rápido.
-Vou levar a prisioneira para o meu quarto, não vai dar para interroga-la se ela morrer de hemorragia interna- Ele disse entrando na sala e levantando Lovely. Quando chegou no quarto, ele a deitou no chão- Obrigado, Lovely, fique aqui eu já volto.- Acreditando que ela estava inconsciente
“Arg... Não consigo mover as minhas pernas... Nem os meus braços. Fique aqui, eu já volto, o que ele tava pensando quando disse isso?”- Ela mexeu a cabeça derrubando o amuleto no chão- Por favor que essa droga dê certo... Eu preciso falar com o Alex!!- Uma esfera apareceu com a imagem de Alex dentro, Lovely podia ouvir a voz de Marina ao fundo.
-Alex?! É Você certo? Espera... A Marina está ai? Pode dar um soco em cada um deles por mim? Pode beber o sangue deles se quiser, apesar de que você pode passar mal.
-Lovely, para de piada, onde você tá? Você está bem? Por que está suja de sangue?- Alex perguntou
-Hum... Eu não tenho certeza de onde eu estou, mas não tenho tempo a perder, escute. Temos sérios problemas... Não há palavras que descrevam o quanto isso é ruim...
-Quem fez isso com você?
-Sua irmã... Ah cara, eu sabia que osso quebrados doíam mas não desse jeito... Precisei falar o ultimo ingrediente da tal poção que ela roubou, ela completou a poção e está indo ai se vingar.
-Não se preocupe Lovely, eu vou ai te buscar
-NÃO!! Eu to bem... E...Eu vou ficar bem... Preciso que você faça algo, há mais uma poção no meu atelier coloque uma gota de sangue de fada e estará completa.
-Mas você disse que isso poderia ser perigoso, que eu poderia enlouquecer ou algo do gênero. Eu não quero...
-EU SEI!!! Alex, você é o único que pode segurar uma luta com ela agora... Hey... O amuleto e o sangue só podem dizer o que você é, mas eles nunca poderão dizer quem você é. Diga para a Diere procurar a Ana.
-Mas e se... Você tiver que me matar?
-Isso não vai acontecer
-Não precisa mentir... Eu entendo...- Ele disse desviando o olhos, Lovely ficou em silencio...- Sangue de fada? Pelo que eu conheço a minha irmã ela usaria o sangue da Ice por orgulho.
-Deve ter sido algo que eu falei...

-EI!!!! O QUE ESTÁ FAZENDO???!!!- Daniel gritou ao ver Lovely falando com Alex, ele correu e desligou a esfera.- Qual é o seu problema?!