23 de julho de 2017

Mitologia: Górgonas


Semana passada eu escrevi um conto sobre Perseu e a Medusa porque eu planejava refazer o post sobre as górgonas, mulheres com cabelos de serpente, filhas de Fórcis e Ceto, que petrificavam aqueles que as encarassem, Medusa, a impetuosa, Esteno, a que oprime e Euríale a que está ao largo

Origem:
Algumas lendas contam que as irmãs górgonas, Medusa, Esteno e Euríale, outrora foram mulheres de grande beleza, sendo até mesmo comparadas com deusas, no entanto sua personalidade era extremamente cruel e sem qualquer escrúpulo.

Por causa disso a deusa Atena as castigou deformando seus belos rostos e as transformando em monstros horrendos.

Características:
Após serem transformadas, seus cabelos se tornaram serpentes agressivas que picavam suas faces, seus dentes cresceram tomando a forma de presas se javali, suas peles ficaram cobertas de escamas douradas.

O sangue que corre do lado esquerdo do pescoço da medusa é um veneno mortal, já o que corre do lado direito é um remédio que pode curar até mesmo a morte

Hábitos:
Por causa da maldição de Atena, as górgonas também foram condenadas a petrificar todos aqueles que olhassem em seus olhos, envergonhadas, as irmãs se isolaram do mundo.

Dizem que Medusa, mesmo com sua aparência, despertou o interesse de Poseidon. Para se vingar da deusa da sabedoria, a górgona se deitou com o deus dos mares no templo de Atena. Furiosa, a deusa tirou a imortalidade de Medusa, por isso Medusa é a unica górgona que pode ser morta.

Fraquezas:
Apesar de seu olhar ter a capacidade de transformar em pedra qualquer um que as encare, o reflexo de uma górgona é inofensivo, esse era o único modo de se aproximar de Medusa sem ser atingido por seu olhar mortal e foi assim que Perseu a matou.

Fontes:
https://pt.wikipedia.org/wiki/G%C3%B3rgona
http://mitosyleyendascr.com/mitologia-griega/las-gorgonas/
http://supremahistoria.blogspot.com.br/p/gorgonas.html

21 de julho de 2017

Feitiços: Oráculos da Antiguidade

O amanhã é algo tão imprevisível, mas isso realmente nunca impediu as pessoas de tentarem prever o futuro, seja através das estrelas, cartas ou linhas nas palmas das mãos. Em contos mitológicos, os oráculos tem um papel muito importante em definir o destino dos personagens, embora eles quase nunca revelem como as coisas irão acontecer.

Pensando nisso eu resolvi fazer uma lista com os métodos de adivinhação mais comuns usados pelos oráculos da antiguidade.

Auspício
Adivinhação através dos pássaros, poderia ser feito observando o voo dos pássaros, ouvindo seu canto, ou o modo como se alimentavam, por exemplo se bicavam com avidez era um bom sinal, se ela derrubavam os farelos, se recusam a comer ou voavam para longe, então era considerado um sinal de mau pressagio.

Farfalhar das folhas
Um dos métodos de adivinhação do oraculo Dodona era por meio do farfalhar das folhas. Dizem que Dodona foi fundada após uma pomba (ou sacerdotisa) voar até um carvalho e anunciar que um oraculo deveria ser construído naquele local, como o carvalho era uma árvore sagrada para Zeus, o santuário foi construído em volta do carvalho e o farfalhar do vento nas folhas era usado em adivinhações.

Haruspício
Em Olímpia, as previsões poderiam ser feitas usando as tripas e orgãos de um sacrifício para prever o futuro, nesse caso, o sacrifício deveria ser o melhor animal do rebanho inteiro, apenas os melhores exemplares poderiam ser sacrificados.
Após o abate, geralmente o órgão mais usado para adivinhações era o figado, devido a sua alta concentração de sangue

Escapulomancia
Adivinhação com ossos de animais, os ossos poderiam ser lançados no ar e o modo como caiam revelava a resposta para a sua pergunta, de modo semelhante à leitura de runas.

Incubação das sacerdotisas
Voltando para Dodona, para entrar em contato do Zeus, os sacerdotes andavam descalços, não lavavam os pés e dormiam no chão, eles acreditavam que desse modo as mensagens seriam transmitidas pelos sonhos. Em alguns casos o próprio consulente passava a noite no templo para obter a sua resposta.

Delfos
Delfos tinha um modo bem exclusivo de fazer suas previsões, as sacerdotisas deveria estar purificadas, ter bebido da fonte de Delfos, e estar mastigando folhas de louro. O consulente então oferecia um sacrifício ao deus, antes do abate, o animal era borrifado com água fria, se ele tremesse, o animal era sacrificado, caso o contrario, a consulta deveria ser cancelada.

O consulente fazia a pergunta tendo ela reformulada pelos sacerdotes, o deus do oraculo então usava a sacerdotisa para responder a questão, nesse momento a sacerdotisa não estava visível, apenas a sua voz poderia ser ouvida

Fontes:
https://edukavita.blogspot.com.br/2015/02/dodona-no-epiro-sua-origem-e-historia.html
https://pt.wikipedia.org/wiki/Or%C3%A1culo
https://pt.wikipedia.org/wiki/Dodona#O_templo_de_Zeus
https://bibocaambiental.blogspot.com.br/2016/12/misticismo-no-reino-vegetal.html
http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0872-81782011000300010
http://mahoutatsuryu.blogspot.com.br/2014/11/divinacao.html
http://www.portaldascuriosidades.com/forum/index.php?topic=26939.0
http://www.moongirlsclub.com/2016/05/os-varios-metodos-de-adivinhacao.html
http://ordemlotusbranco.blogspot.com.br/2013/03/magia-das-aves.html
http://templodeafrodite.weebly.com/afrodite

20 de julho de 2017

Pedras: Coral

O coral é como o jardim do mar, ele está vivo, não é somente uma pedra, O maior recife de corais do mundo fica localizado na Austrália, mas por causa da poluição e o aquecimento global, ele esta morrendo, o que é realmente uma pena.

Físico:
Corais de cor negra são usados para aumentar a fertilidade masculina, enquanto os cor-de-rosa para a feminina. De modo geral ele pode trazer benefícios para os órgãos de limpeza, alem de ajudar a regular a menstruação combater e a aliviar doenças mentais ou associadas aos ossos e ao sangue, como a artrite e a anemia.

Mental:
O coral vermelho pode ajudar a formar um vinculo mais forte entre mãe e filho, o branco, aumenta o desenvolvimento psíquico, e o azul traz a tona a nossa criança interior.
Ele também pode ser usado para dar equilíbrio emocional

Espiritual:
Antigamente se acreditava que carregar um coral branco ou vermelho iria acalmar as tempestades e correntezas tornando a viagem tranquila.

Por causa disso muitos marinheiros usavam o coral como um amuleto, no entanto apenas os corais em estado natural ou recentemente retirados do mar serviriam como amuleto, ele também deveria ser usado em um local visível, para garantir proteção contra feitiços e encantamentos, se por acaso o coral for quebrado, ele irá perder suas propriedades de amuleto.

De acordo com a lenda, quando Perseu cortou a cabeça da medusa, ele a deixou em cima de alguns ramos na areia da praia as gotas de sangue se solidificaram se transformando em corais, então as ninfas do mar plantaram a curiosa pedra no fundo do oceano.

Por ter origem no mar, ele tem mais afinidade com a lua e com a água.

Fontes:
http://significado-das-pedras.blogspot.com.br/2014/04/significado-da-pedra-coral.html
http://www.wemystic.com.br/artigos/o-significado-mistico-da-pedra-coral/
https://modaparalela.wordpress.com/tag/historia-do-coral/

18 de julho de 2017

Poções: Mel de Amor-Perfeito

Eu estava lendo algumas coisas sobre a peça "Sonhos de uma Noite de Verão" e descobri que a poção do amor que causou toda aquela confusão era feita com uma flor chamada "Love-in-idleness", uma espécie de amor-perfeito selvagem, pensando nisso eu resolvi pesquisar uma poção que usa flores de amor-perfeito.

Poção de Mel de Amor-perfeito
Ingredientes:
Um potinho de mel
¹/2 xícara de pétalas de amor perfeito bem picadas
Camomila

Modo de preparo:
Durante uma segunda-feira de lua nova, aqueça o mel em banho maria por cinco minutos em fogo baixo. Adicione as pétalas de amor ao mel e misture delicadamente enquanto recita:
“Dou poder a estas pétalas com pensamentos de amor e harmonia"
Em seguida segure o pote com as duas mãos e diga:
“Dou poder a este mel com pensamentos de amor e harmonia”
Aqueça o mel novamente por cerca de 30 minutos, retire do fogo e deixe esfriar antes de guarda-lo em um local seco e escuro por duas semanas.

Prepare um chá de Camomila e adoce com três colheres de chá do mel de amor perfeito, e diga enquanto mistura:
“Invoco as Fadas das Flores,
para que tragam pensamentos de amorosa harmonia.
Doce mel feérico do romance e da beleza,
atraia doce amor como cada novo dia”
Saia de casa e pingue nove gotas do mel no solo perto da porta de casa, como oferenda, enquanto recita:
“Dou graças aos serviçais das fadas das flores
por seus pensamentos de amorosa harmonia.
Doce mel feérico do romance e da beleza,
atraia doce amor como cada novo dia.”
Fontes:
http://www.astrologosastrologia.com.pt/blog/portal-ae/pocao-de-mel-de-amor-perfeito-pocoes-magicas/
http://www.luontoportti.com/suomi/en/kukkakasvit/wild-pansy
https://en.wikipedia.org/wiki/Love-in-idleness

16 de julho de 2017

Contos: Perseu e a Medusa

De acordo com uma profecia do Oraculo, Acrísio, rei de Argos, seria morto pelo primeiro filho homem de sua filha Dânae, por causa disso o rei trancou a princesa em uma torre.

No entanto Zeus se encantou pela princesa, e invadiu a torre disfarçado de chuva de ouro, engravidando a jovem. Acrísio não acreditando que a filha estava grávida de Zeus, a trancou em um caixão de madeira e a atirou no mar, a pedido de Zeus, Poseidon acalmou os mares fazendo com que o caixão flutuasse até a ilha de Sérifo onde foi encontrado por Díctis que acolheu os dois e criou o menino que recebeu o nome de Perseu

Anos mais tarde, Polidecto, rei de Sérifo e irmão de Díctis, se apaixonou por Dânae, mas como Perseu era muito super protetor em relação a sua mãe, Polidecto teve que encontrar uma desculpa para afastar o herói.

Ele realizou uma festa em sua homenagem onde todos os convidados deveriam trazer presentes, como Perseu era pobre o rei propôs que ele trouxesse a cabeça da medusa, contando com que o herói não retornasse da viagem, movido por seu espirito aventureiro, Perseu aceitou a missão.

A medusa outrora havia sido uma bela mulher, sacerdotisa de Atena, porém após ter cedido aos avanços de Poseidon, se deitar com o deus dos mares no próprio templo de Atena e ser flagrada profanando o local sagrado, a sacerdotisa foi castigada pela deusa tendo os seus cabelos transformados em serpentes e seu rosto tão desfigurado que todos que a encarassem se viravam pedra.

Para derrotar a górgona, Perseu pediu ajuda aos deuses, recebendo um escudo espelhado de Atena, sandálias aladas de Hermes e o elmo da invisibilidade de Hades. Usando o elmo para não ser visto e o escudo para não ter que olhar diretamente para a Medusa, Perseu conseguiu se aproximar o suficiente para decapita-la, após fazer isso do ventre da gorgona surgiram o cavalo alado Pégaso e o gigante dourado Crisaor. 

No caminho para casa ele avistou a princesa Andrômeda amarrada em um penhasco sendo oferecida para um monstro marinho enviado por Poseidon, após sua mãe ter ofendido a esposa do deus. Perseu mata o monstro usando a cabeça da górgona e se casa com Andromeda.

Quando chegou em Sérifo, o herói viu Polidecto atacando sua mãe e Díctis, ele entregou o saco com a cabeça decapitada ao rei que ao olhar dentro de transformou em pedra, tornando Díctis o novo rei de Sérifo.

Anos mais tarde durante uma competição de arremesso de discos, Perseu acabou errado a direção na hora do arremesso, fazendo com que o disco voasse em direção à plateia e matasse um dos espectadores, o rei de Argos, Acrísio, cumprindo assim a profecia.

Fontes:
https://pt.wikipedia.org/wiki/Perseu
https://pt.wikipedia.org/wiki/Acr%C3%ADsio
https://www.todamateria.com.br/o-mito-de-medusa-na-mitologia-grega/
https://pt.wikipedia.org/wiki/D%C3%A2nae
http://eventosmitologiagrega.blogspot.com.br/2010/10/perseu-e-medusa.html
https://pt.wikipedia.org/wiki/Polidecto

14 de julho de 2017

Feitiços: Dia dos Mortos

Há alguns meses atrás, eu fiz um post sobre o Festival do Fantasma Faminto, onde os chineses costumam honrar a memória de seus antepassados, por causa disso eu resolvi escrever sobre outro feriado dedicado aos mortos, O Dia dos Mortos!!


Dizem que essas celebrações já eram comemoradas por civilizações antigas antes mesmo da chegada dos espanhóis no continente americano, nessa época era comum guardar crânios humanos como troféus e exibi-los durante rituais dedicados à morte e ao renascimento.

Antigamente as festividades começavam no nono mês do calendário solar asteca, por volta do dia 16 de Julho, e iam até o decimo mês, que começava em torno do dia 5 de Agosto, finalizando a festa com sacrifícios humanos, comida e oferendas.

Nos dias de hoje, as festas começam no dia 31 de Outubro, e vão até o dia 2 de novembro. De acordo com as crenças populares, nesses dias os mortos recebem permissão para visitar sua família e amigos, sendo que no primeiro dia são as crianças que vem, e no segundo, os adultos.

Para homenagear os mortos, as pessoas montam altares com fotos dos falecidos, um arco de flores para que os mortos possam atravessar para o mundo dos vivos, objetos representando os quatro elementos, uma xícara (água), frutas (terra), vela (fogo), incenso ou papeis recortados (ar), e é claro os objetos favoritos do falecido,assim como comidas, bebidas e cobertores, por fim um cruz feita de sal, terra ou cinzas, na parte superior do altar lembrando de que do pó viemos e ao pó retornaremos.

Uma decoração muito comum no Dia dos Mortos são os esqueletos e as caveiras, bolos e doces costumam ser decorados ou moldados na forma de caveiras e ossos como é o caso do "pan de muerto" ou das caveiras de açúcar.

Outro simbolo famoso dessa festa é La Catrina, os esqueleto de uma dama da alta sociedade do início do século XX, La Calavera de la Catrina é na verdade um quadro de José Guadalupe Posada (1852-1913), nele o artista lembrava que diante da morte, posições sociais não significam nada. Catrina acabou se tornando a Dama da Morte, sendo algumas vezes associada à Mictecacihuatl, senhora do reino dos mortos.

Fontes:
http://www.ensinarhistoriajoelza.com.br/dia-de-los-muertos-mexico/
http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/turismo/2016/10/30/interna_turismo,554824/dia-dos-mortos-e-comemorado-em-festa-cheia-de-alegria-no-mexico.shtml
http://www.brasil.discovery.uol.com.br/enigma/9-curiosidades-sobre-o-dia-dos-mortos/
https://catracalivre.com.br/sp/agenda/barato/dia-dos-mortos-e-celebrado-com-mascaras-em-predio-antigo-do-centro/

13 de julho de 2017

Amuletos: Ankh, a cruz ansata

Ankh, ou cruz ansata é um antigo hieróglifo egípcio em forma de cruz com um arco na ponta superior. 

Alguns pesquisadores acreditam que esse assim como outros símbolos egipcios estava relacionados com a criação do gado, enquanto o djed poderia representar a coluna vertebral de um touro, Ankh representaria a vértebra torácica.
Origem:
Ankh é um hieróglifo de origem egípcia, sendo um simbolo muito utilizado pelos faraós e a nobreza egípcia, com o passar do tempo varias civilizações e culturas diferentes acabaram adotando o simbolo, e seu significado foi se alterando.

Função:
A ponta superior que forma um arco representa a união dos opostos, mais especificamente o masculino e o feminino.

Antigamente ele era um hieróglifo muito associado à saúde e à felicidade, podendo também estar relacionado com a ressurreição, imortalidade, proteção (principalmente na vida após a morte) e em alguns casos fertilidade. Já na alquimia a cruz ansata simbolizaria transformação e os caminhos da vida.

Como é usado:
Antigamente ele era gravado em túmulos ou carregado junto ao corpo para que você seja protegido pelos deuses egipcios.
Hoje em dia ele pode servir como pingente, tatuagem ou simplesmente um simbolo que você pode desenhar nos seus pertences.

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Ankh
http://www.egito.fernandofelix.com.br/amuletos.php
http://www.oldreligion.com.br/novo/conteudo/index.asp?Qs_idConteudo=123
https://www.dicionariodesimbolos.com.br/cruz-ansata/