10 de janeiro de 2022

O Livro dos jogos: Peças

 Após terminar o Livro eu comecei a fazer as peças dos jogos, para isso eu usei uma massa de cerâmica fria. 

Eu abri e massa e cortei usando um molde feito de sobras de transparência, as peças maiores tinham o tamanho de uma moeda de 10 centavos.


As mais simples eu apenas pintei de preto, o bom é que elas poderiam ser usadas em vários jogos diferentes como Surakarta, e os reis de Dablot, então eu não teria que fazer varias peças para jogos diferentes.


Eu também fiz um molde de tamanho médio para fazer as peças de Reversi e os príncipes no Dablot. Em Reversi eu apenas cortei as peças e pintei um dos lados. Eu acho que teria ficado mais bonito se eu tivesse cortado peças mais finas, pintado e depois colado as duas juntas, mas se eu fizesse isso eu teria que cortar 128 peças para totalizar 64.


E por ultimo 240 peças pequenas para Go o que me fez desejar ter desenhado um tabuleiro menor (um conjunto padrão de Go  na verdade tem 181 peças pretas e 180 brancas, mas eu parei no 120). O bom é que eu não precisei ficar contando as peças de Tafl e nem os soldados de Dablot.

Tabuleiro de Tafl

Eu também fiz 16 peças coloridas para pachisi.


Para as peças de xadrez e outros jogos que precisavam de peças especiais eu esculpi as peças usando um palito de dente. No xadrez eu fiz os símbolos das peças, no jogo da onça eu desenhei os animais e no Daldos eu desenhei um escudo redondo de um lado e uma espada do outro.



Se no post do livro eu disse que o tabuleiro de shogui foi fácil de desenhar, as peças foram completamente o oposto, não só porque elas são representadas por kanjis, mas também porque algumas peças podem ser promovidas, então eu tive que escrever dos dois lados da peça.



No caso de Xiangqi os símbolos e os nomes das peças mudam dependendo da cor, sendo que algumas eram bem parecidas com as peças de Shogui e Dou Shou Qi (e o fato de eu ter misturado as peças desse jogo com as dos outros jogos dificultou ainda mais o meu trabalho).


Eu também fiz peças especiais em forma de placas para o tabuleiro de Senet pois as outras peças não cabiam dentro das casas.


E por fim os navios de batalha naval, que eu apenas desenhei em um papel mais grosso, passei um verniz e colei um imã no verso. 


Eu tinha pensado em fazer alguns dados especiais, por exemplo comprar alguns búzios para usar como dados no pachisi, ou palitos pintados para jogar Senet, mas esses dados poderiam ser substituídos por moedas ou até mesmo as peças de Reversi, então no fim eu optei por não fazer esses dados.

23 de dezembro de 2021

Midsummer e o fim do ano

Nos últimos dias eu fiquei doente, então eu basicamente passei o Midsummer na espera do hospital com medo de ter pego covid, felizmente era só uma irritação na garganta.

Mesmo assim eu queria escrever algo, afinal eu consegui escrever um post para cada dia, por que não terminar? Mas ao invés de desejar saúde e prosperidade para o ano que vem, eu quero recordar tudo o que eu fiz esse ano.

Ano passado eu havia feito uma lista de projetos que eu queria fazer esse ano, alguns eu consegui terminar enquanto outros ficarão para o ano que vem

O conto do pescador

Esse foi o primeiro projeto que eu terminei, mas eu já havia começado no ano anterior, então ele já estava praticamente completo no inicio do ano. Eu gostei bastante das ilustrações, mas se fosse fazer de novo, eu usaria aquarela e ao invés de glitter eu teria usado purpurina.

Fazer um baralho

Embora eu não tenha imprimido um baralho, eu desenhei as imagens dos arcanos maiores

Fazer uma camiseta personalizada

Fiz a camiseta e descobri que pintar uma camiseta é muito mais difícil do que fazer um desenho no papel, principalmente porque eu não sabia como a tinta iria se comportar no tecido.

Fazer um caderno de jogos

Esse foi o projeto que mais consumiu o meu tempo livre, ainda falta terminar as peças, mas no fim eu fiquei bem feliz com o resultado final.

Além desses projetos eu também fiz biscoitos de chá, choux cream de cumaru, e eu até havia feito uma sopa de pedra lá pelo mês de julho, porém acabei não postando em lugar nenhum.

O ano foi corrido, talvez eu tenha me esforçado demais, mas olhando para trás dá uma certa satisfação ver que eu fiz bastante coisa durante o ano e apesar de eu sempre reclamar de como as minhas ideias estão me matando, depois de passar os últimos dias deitada descansando, eu percebi que ficar sem fazer nada me deixa ansiosa.

Apesar de tudo de ruim, 2021 foi um ano bom pra mim

7 de novembro de 2021

Beltane

Semana passada eu tive que trabalhar durante a minha folga então não tive tempo de fazer quase nada, pretendia talvez ir no parque colher flores quem sabe, mas o dia estava meio nublado, então de manhã eu fiz um pão tipo brioche que ficou muito bom.


Alias a receita é desse video:


À tarde eu fui assistir Cinderella no teatro (E acabei gastando 30 reais em uma revista pq eu achei a capa muito bonita). Uma coisa que eu notei depois de adulta é que por causa da Disney, ninguém liga muito para os contos de fadas originais, ou então os contos de fadas que a Disney ainda não fez um filme sobre.


Enfim o que eu mais gostei na peça foram os figurinos e o modo eles se transformavam no palco.


Uma pena que estava chovendo, talvez ano que vem eu vá no parque colher flores.

18 de outubro de 2021

O livro do jogos

No inicio do ano eu havia dito que faria um livro de jogos, eu já havia começado a fazer alguns rascunhos e postado no twitter.


Geralmente eu primeiro termino esse projetos para depois postar aqui, mas como esse é um trabalho extenso eu achei que seria menos desgastante eu escrever esse post enquanto estou fazendo o livro do que terminar o livro para então descrever o processo

A primeira coisa que eu precisava fazer era definir quais jogos iriam para o livro. xadrez, trilha, batalha naval e mancala, não poderiam faltar, mas eu queria que o livro possuísse jogos de vários continentes diferentes, então eu entrei na Wikipédia e procurei uma lista com todos os jogos ao redor do mundo e os separei com continentes e MEU DEUS!!! A quantidade de jogos que vieram da Ásia era tão extensa que eu precisei de duas colunas para listar.


A segunda tarefa seria pesquisar cada um dos jogos e anotar aqueles com um tabuleiro parecido ou regras parecidas, existem diversas variações do xadrez, mas a grande maioria pode ser jogada no tabuleiro de xadrez comum.

Feito isso vamos anotar os jogos que eu mais gostei e que deveriam ir para o livro:

  • Batalha naval
  • la Pipopipeta
  • Alea evangelii
  • Daldos
  • Dablot
  • Reversi
  • Xadrez
  • Adugo
  • Awithlaknannai
  • Fanorona
  • Hounds an jackals
  • Mancala
  • Mehen
  • Senet
  • Tâb
  • Yoté
  • Zamma
  • Ashtapada
  • Chowka Bara
  • Five Field Kono
  • Go
  • Shogi
  • Janggi
  • Luta na selva
  • Mutorere
  • Surakarta
  • sho
  • shengguan tu
  • Royal game of Ur
  • Pachisi
  • Luzhanqi
No fim eu escolhi um total de 20 jogos:

  • Xadrez
  • Trilha
  • Awithlaknannai
  • Adugo
  • la Pipopipeta
  • Reversi
  • Alea evangelii
  • Royal game of Ur
  • Senet
  • Mancala
  • Dablot
  • Daldos
  • Batalha naval
  • Shogi
  • Pachisi
  • Go
  • Luta na selva
  • Xiangqi
  • Surakarta
Mesmo assim eu ainda precisava resolver alguns problemas, as folhas do livro precisavam ser dobradas ao meio, mas eu precisava que as paginas fossem quadradas para caber o tabuleiro, eu resolvi isso simplesmente dobrando as paginas em tamanhos desiguais e usando as paginas menores para escrever as regras dos jogos.

Outro problema era o jogo batalha naval, pois eu precisava de uma divisória que se mantivesse de pé durante a partida, após muito estudo e folhas de rascunho coladas com durex, eu consegui fazer um modelo que pudesse ser aberto ficando de pé durante a partida, agora eu precisava de uma plaquinha de metal e alguns imãs para colar os navios.

Eu também percebi que o melhor jeito de fazer o livro seria ter um rascunho que eu pudesse usar de guia no futuro, então usando várias folhas de papel velho, eu fiz todas as paginas do livro e as organizei em 4 bloquinhos


Esses rascunho acaram sendo muito uteis para saber como fazer os tabuleiros e onde ficariam as regras de cada jogo.

Nesses rascunhos eu percebi que o jogo la Pipopipeta, só poderia ser jogado uma vez, a solução seria colocar uma capa de plástico por cima do tabuleiro, assim os jogadores usariam marcadores e no fim do jogo, o plástico poderia ser limpo com um pouco de álcool.

Ok, com todas as paginas definidas hora de começar o desenho dos tabuleiros, o primeiro foi xadrez:

Mas então eu percebi que as regras do xadrez eram muito complexas e que eu não conseguiria escrever tudo apenas naquele espaço de papel, foi então que eu decidi imprimir:


O segundo jogo que eu fiz foi a Trilha, depois disso eu percebi que seria melhor eu imprimir as regras antes de fazer os desenhos dos jogos.


Após imprimir algumas paginas eu percebi que parte da impressão saia quando eu imprimia o outro lado, então a solução seria imprimir um lado, fazer o tabuleiro, passar uma camada de verniz e só então fazer o outro lado.

As próximas paginas seriam Awithlaknannai e jogo da onça. Como esses tabuleiros são muito simples, eu tive um pouco de dificuldade em pensar como fazer um tabuleiro decorado, sem fugir do tema do jogo.

Para o jogo da onça, eu fiz com que o tabuleiro virasse um campo onde os cães perseguiriam a onça, para que não ficasse muito vazio eu desenhei um lago, arvores e pedras de modo que não atrapalhassem o tabuleiro.


Como Awithlaknannai é um jogo da tribo nativo americana Zuni, eu achei que seria interessante decorar as bordas do tabuleiro com padrões indígenas norte americanos.


A próxima pagina é la Pipopipeta e reversi, eu planejei usar uma folha de transparência para fazer o jogo e pintei como se fosse um céu estrelado.


Reversi foi bem mais simples, já que eu apenas fiz um fundo verde e pintei o tabuleiro em cima. Esse foi o primeiro caderno.


Os jogos do segundo caderno tinham uma aparecia mais medieval, então em alguns deles eu pintei as folhas com café para dar a impressão de papel envelhecido. O jogo abaixo é Tafl, mais especificamente alea evangelii, porque eu queria algo complexo.


O jogo de ur me deu um pouco de trabalho já que diferente do tabuleiro de xadrez, ele era bem colorido e cheio de detalhes. Eu também não sabia como a tinta se comportava, então teve uma hora que eu tive que fazer tudo de novo


Senet foi o jogo que estragou a minha caneta de desenho me fazendo ter vergonha na cara e comprar um marcador permanente para desenhar por cima da tinta. Eu também decorei o fundo com vários hieróglifos que explicam de maneira bem tosca as regras de jogo.


No inicio eu pretendia pintar um tabuleiro que parecesse um chão de terra com vários buraquinhos, mas essa ideia acabou não dando muito certo, então eu pintei tudo de marrom, cortei um modelo do tabuleiro vazado, pintei com um tom de marrom mais escuro e colei com cima, acabei gostando mais dessa ideia pois isso dava um pequeno relevo no tabuleiro deixando ele mais parecido com o jogo real.


Dablot assim como Reversi foi um tabuleiro bem simples, eu apenas desenhei o tabuleiro direto no papel e adicionei alguns detalhes.


Assim como Tafl, o tabuleiro de Daldos também foi pintado com café para parecer um documento antigo, eu também desenhei monstros marinhos para que ele lembrasse um mapa marítimo medieval.


Batalha naval teve praticamente um caderno apenas para ele, pois eu queria que o caderno pudesse se abrir de forma que ficasse uma parede entre os dois jogadores. Eu planejava também colocar uma placa de metal dentro da "parede" para poder colocar imas nos barquinhos, mas isso seria muito complicado, foi então eu que lembrei da tinta de ferro do Manual do Mundo. Se eu pintasse o verso do tabuleiro com ela, eu poderia colocar imãs nele.


O próximo caderno são basicamente jogos asiáticos, alguns foram bem simples, outros bem complicados (isso que eu nem comecei a fazer as peças dos jogos). O primeiro jogo foi Shogi, sendo praticamente o tabuleiro mais simples de todo o livro.


Pachisi foi de longe o jogo eu mais tive que refazer, isso porque eu cometi alguns erros que não dava para apagar e nem pintar por cima, eu também mudei a orientação do tabuleiro colocando na diagonal, para deixar ele maior.


Como eu refiz o tabuleiro de Pachisi 3 vezes, eu também refiz o tabuleiro de Go três vezes já que eles eram frente e verso, mas assim como Shogi, o tabuleiro de Go foi bem simples de desenhar.


Dou Shou Qi ou Luta na selva provavelmente foi um dos tabuleiros mais difíceis de se fazer, isso porque eu decidi que iria escrever os nomes dos animais em chinês nele e a forma mais facil que eu encontrei foi copiar os caracteres em uma folha e passar com grafite para o tabuleiro.


Xiangqi e Surakarta também foram bem simples de se fazer, apesar de eu de que refazer o tabuleiro de Surakarta por que eu usei a caneta errada.



Depois de terminar todos os tabuleiros e imprimir as regras de cada jogo, chegou a hora de juntar tudo, costurar tomando cuidado para que o tabuleiro de batalha naval possa ser aberto sem problemas, eu prendi duas tiras de fita entre as costuras para que eu pudesse colar a capa no livro com mais facilidade.





O próximo passo seria fazer as peças do tabuleiro, mas isso eu vou deixar para outro post.

21 de setembro de 2021

Ostara

 A primavera chegou e eu já estou secretamente desejando que ela vá embora e que o frio volte. Uma semana de inverno não dá nem para reclamar sobre lavar a louça com os dedos congelando.

De manhã, depois do café, eu decorei um ovo com aquarela, eu não pintava ovos desde que eu era criança então isso foi meio nostálgico.


Eu enterrei ele no jardim, eu não tirei foto dele em meio as plantas porque a bateria do meu celular tinha acabado, mas ele ficou muito fofo, parecia um ovo de pascoa escondido.

É estranho fazer esses feriados, parece que você está fora de sincronia com o mundo, fazer aboboras em maio, pintar ovos em setembro, é como se eu estivesse vivendo o ano ao contrário ( o que de certa forma é exatamente o que eu estou fazendo)

2 de agosto de 2021

Imbolc

Imbolc meio que passou batido por mim, eu planejava escrever um poema e queimar ele como uma oferenda, mas acabei esquecendo de escrever...

Foi então q eu lembrei de um poema que eu fiz no ponto de ônibus semana passada, pouco antes dos dias ficarem frios

Havia sido um dia quente, e à noite uma brisa fria soprava, a chuva estava chegando e aquilo trazia uma sensação tão boa, então eu escrevi um poema sobre isso.

Um poema sobre brisa e chuva, achei que seria uma boa oferenda para se queimar. Então depois de quase tacar fogo no meu quarto eu joguei as cinzas no jardim

Por ser uma oferenda eu decidi que não iria publicar esse poema em lugar nenhum, por isso eu nem ao menos tirei uma foto dele antes de queimar.

 

21 de junho de 2021

Yule

Bem, meu dia foi meio corrido, mas hoje é a noite mais longa do ano então acho que terei bastante tempo para descansar.

Pode se dizer que eu comecei essa noite fazendo o ritual da baunilha no chocolate quente, que é apenas pingar algumas gotas de essência de baunilha no leite quente e sentir o aroma antes de adicionar o chocolate. Não sei explicar direito, mas sabe aquela sensação de poder apreciar o momento porque você não está com pressa? Meio que faz um certo tempo que eu não sinto isso... Pois ironicamente apesar de eu ter feito o ritual da baunilha, eu esquentei o leite no micro-ondas, pois eu estava com... pressa...

Pressa de escrever esse post, pressa de passar musicas novas para o meu celular. Ultimamente eu tenho andado com muita pressa... Pressa e um pouco de medo talvez...

Talvez seja bom eu apreciar as coisas ao invés de passar para o próximo projeto, como apreciar um desenho antes de começar o próximo, sentir o gosto os meus biscoitos ao invés de pensar em como eu posso melhorar a receita da próxima vez, ou simplesmente sentir o aroma da baunilha no leite quente antes de adicionar o chocolate...

Acho que depois do banho eu vou tomar outro chocolate quente...

Dia das fadas: Biscoitos de chá de Floresta Magica.

 Já faz algum tempo que eu venho trabalhando em uma receita de biscoitos de chá, eu postei a experiência da minha primeira tentativa no meu outro blog, mas de lá pra cá eu fiquei pensando em formas de acentuar o sabor, foi então que eu pensei: e se eu fizesse uma essência de chá usando vodca?

Coincidentemente eu tive essa ideia próxima do Fairy Day e achei que a receita de biscoitos Magic Forest, combinaria com a temática do dia.

Então eu coloquei uma colher de chá de Magic Forest em uma garrafinha de vodca e deixei no armário por uma semana.

Eu fiquei um pouco nervosa, pois eu não tinha certeza se a minha ideia iria dar certo, da ultima vez eles ficaram com gosto de chá, mas eu queria que o chá se destacasse mais. Bem, pelo menos ruim eu sabia que não ia ficar.

Biscoitos de chá

Ingredientes:
150g de manteiga
75g de açúcar
2 colheres de chá de chá moído (Eu usei chá Magic Forest)
Algumas gotas de essência de chá
1 ovo
255g de farinha

Modo de preparo:
Bata a manteiga, o açúcar, o chá e a essência. Você pode peneirar o chá caso não queira pedacinhos dele dentro do biscoito, ou colocar tudo direto na massa.
Adicione o ovo misturando bem antes de acrescentar a farinha.
Sove a massa até ela ficar homogênea.
Para abrir a massa eu coloco ela em um saco de alimentos e abro com o rolo, assim ela não gruda e nem precisa de farinha.
Leve para o congelador por alguns minutos para ela endurecer e corte com um cortador de biscoitos.
Coloque os biscoitos em uma assadeira untada ou com papel manteiga e leve ao forno por 40 minutos a 180°C
*Para esta receita eu usei um chá chamado Magic Forest, mas você pode usar qualquer chá que você tenha em casa, eu recomendo aqueles mais aromáticos.