31 de outubro de 2011

A volta de Daniel- Capitulo 3

                Ela soltou um grito que Daniel abafou com a sua mão, Lovely encostou no corte e viu que estava sangrando, E MUITO. Percebeu que seu ombro começou a queimar, Daniele estava queimando a sua pele, e ela não conseguia gritar, nem lutar contra ele.
                -Sugiro que não se mexa, ou vai sangrar mais- Ele disse se preparando para cravar a espada no peito dela, Lovely estava ficando mais fraca até que seus olhos fecharam.
                Quando acordou ela sentiu dores por todo o seu corpo, Diere estava ao seu lado começou a chorar quando viu Lovely acordando.
                -Lovely!!!!!!Graças a deus está tudo bem, pensamos que nunca mais iríamos ver você- Ela disse abraçando Lovely
                -Ai, ai, ai, Diere, Diere, tá machucando!!!
                -Solta ela Diere, os pontos e ataduras vão se soltar- Uma fada da água disse olhando para ela- Como se sente?
                -Como se tivesse levado uma surra
                -E você levou- Ice disse entrando- Você teve muita sorte, tinha um corte enorme com infecção de veneno de dragão. E uma queimadura horrível no seu ombro
                -Consegue se sentar sozinha?- A fada da água perguntou gentilmente.
Lovely com um pouco de dificuldade se sentou na cama e viu um quarto cheio de flores e cartões de melhoras.
-Magictopia inteira te mandou presentes, antes as flores estava murchas, mas agora ela reviveram, devem ter ficado felizes quando você acordou.
-E o Daniel? Como ele fugiu?
-Quando encontramos você estava sozinha e com um corte enorme na barriga
-Ele não cravou a espada no meu peito? Por que me deixaria viva?
-Viva, viva, você não estava. Foram precisos umas três fadas da água para manter o seu sangue circulando dentro do corpo.- Ice disse sentando numa cadeira.
-E como não havia antídoto para o veneno tivemos que usar a sua... flor angelical
-Tudo bem... Sei que fez o que achava certo.
-Deve ter sido humilhante ser derrotada por um garoto- Samanta disse entrando no quarto junto com Giselle, Giovana e Kaila
-Durante quanto tempo eu estava dormindo
-Na verdade você estava em coma, durou quase um mês inteiro- Giovana disse
-Esse tal de Daniel estava determinado a te matar, mas por algum motivo não conseguiu terminar o serviço.
-Não importa o quanto ele seja forte, a Lovely é muito mais forte do que ele, e ela não vai deixar um idiota pisar nela desse jeito -Samanta disse.
-Tem razão Samanta, já tenho até uma idéia de vingança...
-Não vai não, Lovelina Lótus – Dara, a diretora disse seriamente
As outras abriram espaço para deixa - lá passar, até Giovana que era rebelde sentia medo e respeito de Dara.
-Eu já sobrevivi a coisas piores, e já lutei sozinha com ele
-Escute Lovely, você não faz a menor idéia de quem é esse rapaz.
-Quem é ele?- Lovely perguntou.
-Ele é exatamente o seu oposto, bem... Como vou explicar... Toda vez que alguem do mundo mágico nasce, existe uma pessoa que usa a energia oposta a sua. Há sete anos um menino que conseguia controlar as raízes dividiu a sua alma em duas, uma passou a viver com humanos e a outra passou a viver viajando em busca de poder...
-Essa parte se chamava Daniel, e a outra Henrique...- Lovely disse
-Ele foi expulso por fazer isso, e nós tínhamos conseguido manter ele longe até você fazer com que ele se torne humano novamente. Agora eu quero que você fique bem longe dele, isso é para todas vocês- Ela disse- Fiquem bem longe do Daniel.
Depois que Dara saiu Lovely se levantou e disse baixinho:
-Vamos precisar de maquiagem, sangue falso e...
Daniel estava olhando para o céu da janela do seu quarto.
“Já se passou um mês desde que eu matei ela, mas isso não mudou nada ainda sou um humano”
Começou a se lembrar daquele dia no mês passado
“-Sugiro que não se mexa, ou vai sangrar mais.
Uma mão o segurou, era a mão da deusa que tinha castigado ele
-Não posso deixar que faça isso
-Então me devolva a minha vida- ele disse
-Matar ela não vai trazer a sua vida de volta Daniel, pare de ser tão teimoso, há muito alem do que você vê, quando entender isso vai poder ter sua vida de volta.
Fechou os olhos e quando abriu ele estava em casa, voltou lá depois, mas Lovely havia sumido. “Devem ter enterrado ela”

29 de outubro de 2011

A volta de Daniel- Capitulo 2

Depois da aula Lovely voltava sozinha para casa, sua amiga Thalita tinha ido de carro com a mãe, ela voltava reclamando da aula de física
“ Cara eu odeio física, por que tem que ser tão complicado?”
Soltou um suspiro, ela parou de reclamar mentalmente quando viu um garoto de olhos azuis e cabelos negros e lisos, atravessar a rua indo na sua direção, a boca dela abriu sozinha e ela deixou escapar:
-Daniel...
Lovely fechou os olhos e se protegeu dos ataques que estavam por vir, mas quando abriu os olhos o garoto tinha sumido. “ Que bom, ele não me reconheceu” Ela pensou, mas quando olhou para trás deu de cara com a face de Daniel. Com o susto ela caiu no chão ainda tentando se proteger.
-Você está bem?- Ele disse
-O que?- Ela abriu os olhos meio confusa
-Eu perguntei se você está bem, quando me viu parecia que tinha visto um fantasma.
- Eu estou bem... Você não me reconhece?
- Não, não me lembro de ter te visto em lugar nenhum- Ele disse sorrindo enquanto ajudava Lovely a se levantar.
“Talvez eu tenha me enganado, não é o Daniel”
-Qual o seu nome?- Lovely perguntando ainda espantada com semelhança.
-Meu nome é Henrique.
Lovely se sentiu aliviada, mas ainda assim era muito estranho, um garoto que fosse tão parecido com Daniel, ela balançou a cabeça se desculpou por ter gritado e atravessou a rua correndo.
-Não acha estranho Diere? Um garoto idêntico ao Daniel? Mas ao mesmo tempo muito diferente.- Lovely escrevia no MSN.
-Bem, dizem q todo mundo tem um sósia, talvez você tenha encontrado o dele.
-Mas era estranho, tudo que eu vi nos olhos dele não existia no Daniel, e vice versa.
-Ou talvez eles sejam gêmeos que foram separados, Daniel é o gêmeo do mau e ele é o do bem q fará de tudo para proteger a sua amada (que é você) ; )
Lovely ficou um tempo olhando para a tela do computador entendendo a lógica de Diere. Finalmente Diere começou a digitar.
-Eu sei, muita maluquice a minha.
Lovely começou a rir e escreveu:
-Tudo bem, as minhas maluquices são muito piores. Diere... Amanhã é lua cheia, tem algum pedido ou feitiço que queira fazer, sabe que todo o tipo de magia fica mais forte durante essa fase, não sabe?
-Sei, mas não sei se vou fazer alguma coisa, Pegasus está muito melhor já lembra de tudo, o único problema é que ela ainda não produz a cura para veneno de dragão, por isso ninguém vai na montanha. Aliais, você já recebeu a sua pedra amuleto?
-Já, mas o que exatamente fizeram com ele?
-Um monte de coisas, agora nós podemos nos comunicar com eles, mas só em caso de emergência, e você sabe que eles tem uma ligação com os seu donos não é?
-Sei.
-Se por acaso o dono estiver morrendo ele manda um alerta para as outras fadas.
-Legal, cara a minha mãe disse para eu ir dormir, tenho q ir.
No dia seguinte Lovely estava seguindo o mesmo caminho, sozinha quando encontrou Henrique novamente.
-Oi..Tudo bem- Ela disse
Henrique olhou sorrindo para ela, mas tinha algo estranho, talvez ele tivesse tido um dia difícil.
                -Pode vir até aqui?- ele disse simpático.
                Ele apontou para uma rua mais deserta, Lovely o seguiu, o que tinha a temer, se quisesse ter atacado ela teria atacado no dia anterior, e qualquer coisa ela usava seus poderes.
                -Por que me chamou aqui?- ela perguntou desconfiada
                -Para te matar...Lovely
                Henrique tirou uma espada da mochila, Lovely tentou se defender, mas ele a segurou firme contra a parede de um muro. Lovely notou que as mãos dele pareciam pegar fogo vermelho.
                -Daniel, como não percebi antes, parece que esta com raiva.
                -Com raiva? COM RAIVA!!!??? ESTOU FURIOSO- Ele gritou- Eu ia escapar, até que uma fada das flores resolveu me entregar.
                -Talvez a culpa seja minha por você ter sido castigado, mas qual foi o castigo?- Ela perguntou sorrindo.
                -Por sua causa eu fui obrigado a viver como um humano durante o resto da minha vida, e ainda por cima não tenho controle sobre o meu corpo, somente na lua cheia a minha magia fica forte o suficiente para eu me libertar.
                -Infelizmente hoje é sexta feira, minha cabeça para de funcionar depois do meio dia e meia, pode me explicar por que o Henrique é igual a você?
                -Sua idiota, eu sou o Henrique!!! Não vou perder o meu tempo te explicando- Ele disse enfiando a espada na barriga de Lovely.

26 de outubro de 2011

A volta de Daniel- Capitulo 1

A noite na cabana Daniel estava quase conseguindo escapar mas as portas da casa de abriram com o vento e uma mulher apareceu, era a deusa que Daniel tinha falado ela se aproximou dele e perguntou:
                -Quem era aquela garota Daniel?
                -Ninguém -ele disse.
                -Você gosta dela?
                -Sabe tão bem quanto eu que eu não consigo sentir amor, só finjo sentir para derreter o coração de garotas como a sua filha, e esta claro que eu odeio ela.
                A deusa deu um sorriso e disse:
                -Vou te dar um motivo para odia-lá...
                -Lovely, o que é isso no seu braço?- ice perguntava olhando para a cicatriz no braço da prima.
                -Ah! Não é nada e esse machucado na sua cabeça?
                -Não foi nada também.
                -Nada?!- Kaila começou- Uma vampira meteu a cabeça da Ice no chão ela sangrou muito, teve que congelar o proprio sangue até chegar em casa.
                -KAILA!!!!
                -O que? Não foi isso que aconteceu?
                Lovely começou a rir, Kaila tinha um jeito muito meigo e um rostinho que derretia qualquer um (pelo menos era isso que Lovely dizia), mas as vezes sem querer fazia os pais, ou a irmã passarem vergonha, coisas que toda a criança faz, como comentar no meio do jantar de família como os puns do pai são fedorentos, ou falar algo do tipo: “ Olha mamãe, gordinho que nem a dona” ao ver uma mulher passear com um cachorro, Lovely já tinha feito essa ultima.
                -Você não fez nada Kaila, sua irmã só não quer que saibam que ela apanhou- Lovely disse ainda rindo.
                -Mas é serio Lovely, que cicatriz é essa?
                Lovely parou de rir durante uns segundos soltou um suspiro baixo e disse:
                -Sabe nessas férias que eu tirei? Eu conheci um garoto...
                Ice começou a vibrar com aquilo, ela podia odiar historias românticas, mas adorava fofocas.
                -Ele era bonito? Você beijou ele? Qual era a cor dos olhos dele? Ele era bonito? Ele gostava de que tipo de musica?
                -Ele usava asas de fadas em poções, está bom para você?
                -Isso é horrível, por que foi gostar de um cara desses?
                -EU NÃO GOSTO DELE!!!!!!Ele estava usando as asas para fazer uma poção que muda a aparência, e eu lutei contra ele.
                -Depois reclama que não tem namorado, você ataca todos os garotos que você conhece.
                -Isso não é verdade... Eu não ataco todos, só alguns, e você? Você ataca todo mundo
                -O meu caso é diferente, as pessoas pedem para apanhar de mim
                - E aquela vampira?- Lovely disse dando um sorrisinho
                -Cala a boca!!!!- Ice disse
                -Cara ele deve ser feio pra caramba, precisou até de uma poção- Kaila disse
                -Na verdade, ele era muito bonito, tinha cabelos pretos, e qualquer uma que olhasse para os olhos azuis dele, se apaixonava.
                -Você disse que não gostava dele- Kaila disse estranhando
                -Eu não gosto, acho que era uma habilidade especial dele
                -O que é habilidade especial?- Kaila perguntou
                -Você não sabe?- Ice olhou para ela espantada- A minha é a força, o da Giselle é a inteligência, a sua é a agilidade a única que não sabe qual é a sua é a Lovely... Ei talvez você possa fazer a mesma coisa, imagina como seria legal ter todos os garoto aos seus pés.
                -Isso seria horrível!!!!
                -Não!!! Seria tãoooooooooooooooooooo legallllllllllll
                -Ice!!! Você não pode obrigar uma pessoa a gostar de você- Lovely disse batendo o pé no chão e se levantando da cadeira- Ela foi até a cozinha e pegou um chá de pêssego na geladeira, colocou um canudo e começou a tomar.
                -De onde você tirou isso?
                -Da geladeira, tinha escondido para ninguém passar a mão, eu adoro chá de pêssego
                -É uma pena que tenha açúcar- Ice disse olhando para Kaila com tristeza
                -Por quê? – Lovely perguntou olhando confusa para Ice
                -Você fica muito estranha quando toma algo com açúcar, começa a ter choques de energia e correr de um lado para o outro dando pulos , começa a ter idéias malucas e a rir como se estivesse bêbada.
                -Vocês também.
                -Mas é raro, só quando eu tomo refrigerante. E sabe que para eu ser linda como eu sou eu não como porcarias.
                Lovely revirou os olhos e disse:
                -Eu tenho que ir, não posso sumir durante muito tempo, a minha boneca ficou muito brava comigo quando eu fugi, não quero deixar ela preocupada. Sem falar que eu tenho aula agora. Você não tem também?
                Ice olhou para Kaila e entrou em pânico, tinha se esquecido que ela tinha saído durante o intervalo, as duas saíram correndo, menos Kaila que estava sem aula.

24 de outubro de 2011

A fada da nevoa- capitulo 11

-Quer brigar comigo? Isso vai ser interessante – Ela disse lançando esferas de energia em Marina
                “Isso não é uma boa idéia, ela pode se machucar, acho que eu vou só usar pétalas”
                Lovely fez pétalas cobrirem Marina e depois a prendeu com uma árvore.
                Lovely levantou vôo, marina ficou tentando cortar os galhos e lançou uma Bola d’ água nela.
                “Asas molhadas!!! Asas molhadas!!! Cara isso vai doer”
                Lovely bateu com tudo no chão da guilhotina fazendo um buraco enorme, todos entraram na sala para capturar a “fada louca”, mas quase tiveram um ataque quando Mita e Lovely saíram lá de dentro.
                -Ai Lovely, você caiu em cima de mim
                -Desculpa Mita, foi sem querer minhas asas molharam.
                -Cara quando você começou a rir e todo mundo acho que você tinha ficado louca, eu pensei: Ela ta morta
                -ESPERA!!!!!-Marina gritou- Você está viva?
                -A Lovely se lembrou de tudo, mas não ia adiantar nada te castigar se você não percebesse o mau que tinha feito, por isso nós combinamos de fazer um truque de mágica.- Mita começou a explicar
                -Eu tinha visto esse truque na teve, está vendo o “corpo” da Mita?- Lovely disse apontando para o corpo decapitado da guilhotina (ou o que sobrou dele)- Isso na verdade é um corpo oco, Mita estava escondida ai, quando a lamina caiu ela cortou uma corda que segurava o chão do corpo, fazendo ela cair embaixo da guilhotina, a lamina parava antes de atingir o chão pois eu coloquei uma trava bem aqui- ela apontou.
                -Mas nós vimos Mita indo em direção a guilhotina- Ice disse
                -Isso foi magia de verdade, a garota indo para a Guilhotina era uma Ilusão, não é a minha especialidade, mas convenceu todo mundo. Mita já estava na guilhotina.
                -Mas então por que a Lovely começou a rir e saiu voando?- Diere perguntou
                -Na hora eu não agüentei e comecei a rir, Mita é uma ótima atriz quando ela olhou para Marina na segunda vez eu até senti pena, mas não sou tão boa, teve uma hora que eu não agüentei e comecei a rir, a perseguição foi apenas uma brincadeira que eu inventei na hora.
                -Então era tudo uma brincadeira?- Ice perguntou
                -Quase, faz parte do castigo da Marina, ela vai limpar tudo aquilo
                -TUDO???!!!!!- Marina perguntou
                -Você pode ser decapitada se quiser- Lovely disse rindo enquanto Marina olhava feio para ela.
- Ela é sempre assim?- Mita perguntou
-Não, só quando está com a Marina- Diere respondeu

22 de outubro de 2011

A fada da nevoa- Capitulo 10

-NÃO!!!!- Marina gritou
                Todos estavam chocados, Lovely realmente havia decapitado Mita, Marina estava furiosa, mas Lovely parecia muito calma.
                -Como pode matar ela? Ela era inocente sua idiota, fui eu que te mandei para a casa, mas agora você é uma assassina e vai pagar por isso- Ela disse para Lovely.
                -Você já terminou?- Lovely disse como se não se importasse
                Todos em volta estava dizendo que Lovely havia ficado louca enquanto estava naquela casa, Lovely se sentia profundamente ofendida com isso, mas uma coisa a fez rir, não rir, mas gargalhar. Ela começou a rolar pelo chão rindo, foi ai que todos tiveram a certeza de que ela havia ficado louca, e estavam prontos para captura-lá
                “Só mais um tempo, agüente firme, ainda não conte a verdade, isso vai ser muito divertido”
                -Pega ela!!!- Marina gritou
                Todos saíram correndo atrás de Lovely, ela saiu voando, Lovely era muito rápida, a única fada mais rápida que ela era Giovana e conseguiu alcança – lá.
                -Lovely se renda, você está cercada
                -Não me sinto cercada, Pólen das flores
                Lovely começou a soltar um pólen amarelado com cheiro de mel, isso fez Giovana se distrair e bater na parede
                “ Espero que ela esteja bem”
                Ice apareceu na frente de Lovely e começou a soprar um vento gelado que a fez pousar.
                -Não me obrigue a te machucar.
                -Você me machucar? Qual é Ice, pode ser a mais forte, mais rápida, ou até a mais inteligente, mas eu te conheço muito bem- Ela disse enquanto lutava contra Ice usando as mão, Ice podia ser forte, mas Lovely era resistente ela acertou Ice fazendo com que perdesse a concentração e fosse lançada para o lado saindo da frente de Lovely
                A próxima foi Giselle, Lovey não sabia se conseguiria vencer da inteligência de Giselle, mas até agora isso tinha sido muito divertido.
                -Nolite ire- Giselle disse
                -Isso é latim? Não sou boa em línguas- Ela tentou passar por Giselle mas percebeu que havia uma parede invisível na sua frente, e atrás também. Mas não havia no teto.
                Ela fez uma árvore crescer e e passar do teto, ela subiu voando mas acabou percebendo que estava no estábulo de pegasus.
                “sabia que não era uma boa idéia”
                Diere apareceu, Lovely sentiu um pouco de medo, poderia enfrentar as outras, mas Diere era pacifica, Lovely não tinha certeza se iria conseguir lutar contra Diere.
                -Lovely pare, por que não explica o que está acontecendo?
                “Cara, por que a Diere tem que ser tão legal assim, isso vai me atrapalhar”
                -Com licença Diere, ou ...
                -Eu não vou lutar contra você Lovely
                “ Bem, ela é a única pessoa que não quer me matar”
                -Mas não posso deixar você escapar. Pegasus!!!
                “Ahhhhhh!!!! Droga, falei cedo demais!!!!!Mas eu estava certa, Diere nunca iria me machucar”
                Ela fez varias árvores crescerem em volta de Pegasus que ficou preso no galhos.
                “Desculpe Pegasus, sei que está doente, mas não posso lutar com você”
                Lovely estava quase voltando para a sala da guilhotina quando Marina Jogou um jato de água nela que a fez bater na parede.
                -Cara!!! Essa me pegou de surpresa, talvez a Marina não seja tão burra assim.
                -Me chame de burra de novo e eu te afogo

19 de outubro de 2011

A fada da nevoa- Capitulo 9

-Gevan!!!- Lovely disse
                -Só por que eu morri sozinha não quero que isso aconteça com você.
                A fada da nevoa,começou a gritar enquanto fazia força para voltar ao controle. Ice congelou a nevoa e todas as almas que estavam com a fada da nevoa acordaram de uma espécie de transe, começaram a escapar pelos olhos da fada, ela foi ficando cada vez mais velha até se tornar pó, Lovely voltou ao seu corpo e se levantou e olhou para uma figura a sua frente.
                -Gevan? Para onde você vai?
                -Para falar a verdade eu não sei, eu morri a muito tempo, quem sabe não reencarno ainda nessa vida?
                -Se isso acontecer nós podemos ir no shopping juntas um dia desses.
                -Eu não sei o que é um shopping, mas com certeza é mais legal que ficar nessa casa- Ela disse antes de desaparecer.
                -Lovely, Lovely!!!
                Ice sacudia a prima com toda a força, Diere puxou Ice dizendo para ela parar. Lovely se levantou e Ice perguntou:
                -Você está bem?
                -Sim, estou bem... Cara... Não to bem não, a minha cabeça parece que vai explodir.
                -Eu te disse para não balançar ela com tanta força.
                Mita, pegou um objeto do chão.
                "O microfone da sereia, capaz de amplificar o nosso canto, não posso destrui-lo sozinha, tenho que me esconder isso"
                Em Magictopia Lovely tinha decidido que iria decapitar Mita, ela não se lembrava que tinha sido Marina que a mandou para o ponto de ônibus. Mita sofreria as consequências
                -Tem certeza Lovely?- Diere perguntou preocupada
                -Tenho ela disse friamente, estou indo informar a prisioneira sobre a sua pena. - ela disse saindo
                -Não acham que a Lovely voltou muito estranha?
                -Será que ela foi possuída pela fada da nevoa, ou pior ela pode ter se tornado má e vai querer devorar a nossa alma.
                -Diere, quer ficar calma?
                -Não sei não, Giselle, eu gosto mais dela assim. Vocês vão assistir a execução amanhã?
                -Vamos, mas isso é muito estranho, Lovely nunca machucaria alguém.
                No dia seguinte Mita estava andando em direção a guilhotina, ela não olhou para ninguém, mas ao passar por Marina ela lançou um olhar de desespero, mas Marina não sabia o que fazer, sentia culpa, medo e tudo ao mesmo tempo. Quando se deu conta Mita já estava presa na guilhotina, ela lançou um ultimo olhar para Marina, ela desviou o olhar e olhou para Lovely, que estava sentada no trono olhando fixamente para Marina.
                “Ela sabe!!! Ela sabe e mesmo assim vai matar a Mita!!!O que eu vou fazer?”
                Lovely fez sinal para que descessem a lamina, e Mita foi decapitada.

17 de outubro de 2011

A fada da nevoa- Capitulo 8

-Se você pudesse já teria feito isso a muito tempo, todas as almas aqui me obedecem, se existissem alguém que pudesse lutar contra isso já teria aparecido.
                Gevan piscou os olhos e quando viu estava no quarto do sótão de novo. Seus olhos estavam molhados de lagrimas, Lovely se virou e perguntou por que estava chorando.
                -Não é nada, Lovely, você gostava das suas amigas?
                -Eu não consigo me lembrar direito, acho que sim
                Mita fez o feitiço para entrar na sala secreta da fada da nevoa, Ice e as outras estavam em volta olhando.
                -Porque você queria se livrar da Lovely?- Diere perguntou
                -Eu não queria me livrar dela, a fada da nevoa tinha me prometido um artefato mágico muito poderoso, mas ela mentiu.
                -Tudo por causa de poder, isso é muito ridículo -Giselle disse
                O portal começou a ser abrir, mostrando uma sala escura com um  neblina flutuando no chão parecendo um tapete. Ice e Diere e Mita entraram, mas o portal se fechou.
                - O que temos aqui? Visitantes?- A fada da nevoa perguntou
                -Cadê a Lovely?- Diere perguntou
                -Ela está muito bem, vocês também vão se sentir muito melhor se ficarem por aqui -ela disse
                -Fala logo onde está a minha prima!!!- Ice gritou
                -Tudo bem, se quer tanto assim ela está aqui.
                Do meio das sombras Lovely apareceu, seus olhos estavam vazios, e sem vida, a fada da nevoa fez com que ela se lembrasse apenas das coisas ruins que ela viveu.
                -O que estão fazendo aqui? Pensei que não precisassem de mim.- Ela disse friamente
                - Essa não é a Lovely- Diere disse
                -De certo modo você esta certa, isso é quase uma casca vazia, ela só lembra do que eu quero que ela se lembre, o resto dela esta dentro de mim, sabe há muito tempo eu descobri que se eu devorasse a alma das pessoas eu poderia viver para sempre, mas a cada mil anos eu preciso devorar a alma de uma fada.
                Ice ignorou as palavras dela e gritou:
                -Lovely, eu sei que ainda é a mesma, aquela fada sonhadora, romântica e muito irritante, capaz de fazer qualquer coisa para proteger as outras fadas.
                -Ela não está ai, ainda não entendeu?- Ela disse
                -Não estou falando com essa Lovely- Ela disse apontando para o corpo- Estou falando com a Lovely que está dentro de você.
                -Talvez uma pessoa só não tenha sido capaz de te derrotar, mas todas juntas sim.
                -O meu nevoeiro faz com que todos fiquem sobre o meu comando, E me faz ficar invisível.
                Ela sumiu no ar e começou a atacar as três, como ice não conseguia ver nada ela não podia atacar.
                -Ice transforme a nevoa em espelhos como fez com o Lume!!!! - Diere disse
                -Isso não vai dar certo- Uma voz começou a falar, eu faço parte da nevoa, você não poderá me ver.
                Uma figura de mulher se formou com a nevoa, ela estava prestes a atacar Ice e Diere, mas algo a segurou, era Mita, ela podia controlar a água, mas a fada começou a fazer com que o ar em volta dela se tornasse úmido e ela se transformou caindo no chão. Mesmo assim a fada não conseguia se mexer, outra figura se formou atrás da fada que dizia:
                -Ice, congele toda essa nevoa, o ar tem que ficar seco,  assim ela não terá mais poder sobre nada
                -Lovely?- Diere disse
                -Rápido, eu não vou conseguir segura-lá por muito tempo.
                -Então por que não pediu ajuda?