18 de junho de 2019

Dia das fadas: Pão cogumelo vermelho

Como sabem (Talvez não...) dia 24 é o dia das fadas e todos os anos (ou quase todos) eu faço uma receita em homenagem a esse dia.

Eu não sou muito boa com receitas salgadas então eu sempre acabo me forçando a testar essas receitas.
Eu acho eles fofos
Dessa vez eu queria fazer um pão de batata que lembrasse um cogumelo Amanita muscária, mas eu não queria usar corantes artificiais, então eu usei suco de beterraba.

 Da primeira vez eu usei apenas o suco de duas beterrabas batido com um copo de água a cor ficou mais rosado do que eu gostaria.


Da segunda vez eu usei a receita de suco de beterraba concentrado da Raiza Costa, a cor ficou um pouco mais intensa do que deveria, você provavelmente terá melhores resultados se usar farinha branqueada naturalmente (geralmente farinhas orgânicas são assim).


E por fim esse foi o que chegou mais perto do tom que eu queria (Não deixe a foto te enganar ele é mais rosado), eu cometi um erro quando estava fazendo esse ultimo, quando comecei a fazer o pré fermento eu usei água ao invés de suco de beterraba, então nessa receita tem apenas uns 60 ml de suco de beterraba ao invés de 160. Acho que se você colocar 100ml de suco de beterraba a cor irá ficar certa.

É claro que nada te impede de usar corante artificial... Vamos para a receita

Pão cogumelo vermelho
Ingredientes:
400g de farinha de trigo
14g de açúcar
160ml de liquido (100ml de suco de beterraba e 60ml de água ou então 160 ml de suco de beterraba)
10g de fermento biológico instantâneo (10g de fermento biologico seco equivale a 30g do fresco)
20g de leite em pó
160g de batata cozida e amassada
10g de Azeite
5g de sal
40g de ovos (um ovo tem em media 50g, você pode usar o ovo inteiro, mas fique atento com a umidade para que a massa não fique muito mole... Ou não, eu coloquei 20g a mais de batata e o pão ficou bom, só ficou mais difícil de moldar a massa, você também pode usar o resto do ovo para pincelar a superfície do pão)

Modo de preparo:
Misture o fermento com 50ml do liquido (a água não precisa ser aquecida, mas se você quiser aquecer lembre-se de que temperaturas muito altas matam o fermento, você deve ser capaz de misturar a massa com as mãos) e 50g da farinha, jogue um pouco de farinha por cima e deixe crescer um pouco (a camada de farinha que você jogou por cima irá craquelar)

Misture o resto da farinha com o sal e quando a mistura de fermento craquelar comece a acrescentar os outros ingredientes intercalando com a farinha e o liquido (açúcar, leite em pó, liquido, batata, farinha, azeite e assim por diante)

Sove a massa por 6 minutos e faça um bola com ela levando para crescer por uma hora (ou duas se o dia estiver estupidamente frio).

De um soco no centro da massar para tirar o ar e molde bolinhas de 50g mais ou menos. Pincele a superfície da massa com o resto do ovo e polvilhe gergelim por cima (Eu sugiro polvilhar queijo parmesão, ele é mais saboroso que gergelim e dará um efeito mais real ao seu pão de cogumelo)

Deixe crescer por mais 30 minutos e leve ao forno pré aquecido à 200°-240°C por 15 minutos

10 de junho de 2019

O poço- Capítulo 8

-Daniel!?? O que você quer agora!? -ela se virou para encara-lo

-Ou você vem comigo ou eu rasgo essa sua boneca e queimo a sua casa.

-Ela não vai com você- A boneca disse me colocando entre os dois.

-Saia da frente trapo velho, eu não tenho tempo para perder com você- Ele disse empurrando a boneca no chão e apontando uma varinha para ela- Então como vai ser Lovely? Já perdi muito tempo te procurando, não vou perder negociando com você.

-Oh senhor, o que eu fiz pra merecer isso? Ok Daniel,  eu não sei o que ta rolando mas a qualquer momento a Giovana vai aparecer para provavelmente dar uma surra em nós dois, então eu vou com você sem problema e escuto o que você tem a dizer desde que seja um lugar discreto.

- Não se preocupe, ninguém vai nos encontrar, eu te garanto. - Ele disse tirando um espelho de bolso da mochila e aumentando ele até que os dois pudessem passar por dentro do portal que se abriu.

Lovely seguiu Daniel mas virou o rosto para a sua boneca pela ultima vez e disse usando apenas os lábios" Peça ajuda".

8 de junho de 2019

O Poço- Capítulo 7

A primeira coisa que Lovely fez ao chegar em casa foi abrir um caderno de poções.

-Poção de amnésia!Poção de amnésia!!!

-Lovely o que você ta fazendo? E onde você estava?

-Eu só preciso apagar a memória de uma pessoa que me viu e...

-Não, Lovely,  você sumiu por três meses!

Ela parou."três meses?... Isso não podia estar acontecendo..." ela disse a si mesma.

-Todos estão te procurando...-a boneca continuou

Uma poção de amnésia não apagaria três meses de sumiço. Ela se lembrou de todo tempo que ficou no poço,  haviam se passado três meses mesmo? Como ela não percebeu o tempo passando? Miss M praticamente deu uma aula sobre o inferno e sobre as criaturas do poço, mas não parecia que tinha se passado tanto tempo. Provavelmente Giovana estava procurando por ela, não TODO MUNDO estava procurando por ela... Não tinha como resolver usando uma poção.

-E agora, o que eu faço?- Ela sussurrou para si mesma

-Você vem comigo!- Uma voz disse.

5 de junho de 2019

O Poço- Capítulo 6

-Então foi isso, agora eu estou com uma maldição que impede que qualquer um acredite em mim e um fantasma que me persegue aonde quer que eu vá. Aliás, você consegue acreditar no que eu digo?

- Hum... Acho que o feitiço não funciona com criatiras como eu... Você já pensou em falar coisas que não podem ser verdades nem mentiras?

-Como assim?

-Me dê a sua alma e eu te conto como

-Não estou tão desesperada. Por que vocês demônios tem essa fixação por almas?

- Essa é a única forma de um demônio se tornar mais forte. Se você corromper almas o suficiente pode voltar para o inferno e se tornar um rei. Sem falar que nós sentimos prazer em corromper pessoas, eu particularmente adoro ver elas se debatendo para fazer a coisa certa quando todos nós sabemos que há um monstro egoísta dentro delas esperando uma desculpa para sair- Lovely percebeu que a voz do demônio se tornava cada vez mais profunda e assustadora, isso provocou um arrepio em sua espinha.

-Então... Como é o inferno?- Ela meio que tentou mudar de assunto

-O lugar de onde eu vim? Bem na verdade é um lugar bem diverso, cheio de territórios distintos e dificilmente você vai chegar a ver o inferno inteiro. Eu por exemplo vim de um lugar chamado Savana.

-Savana? Por que Savana?

-Porque é um deserto cheio de animais brigando por comida

- Ah...

-A maioria dos demônios de lá são bestas irracionais famintas por carne. Se você sobreviver, você se torna um demônio.

-Simples assim?

-Pois é... Tem outros lugares mas eu nunca cheguei a ver, apenas ouvi falar, o Nevoeiro,  o Abismo e o Castelo...

- Castelo?

-Parece mais uma montanha de ponta cabeça,  parece que não importa onde você esteja o castelo sempre vai estar no mesmo lugar... Ele parece te seguir como a lua de noite, mas se você ir até ele, você nunca vai chegar...

O demônio contou sobre várias coisas, contou sobre como o Nevoeiro era um território do inferno cheio de almas distorcidas que estavam sempre lamentando por seus pecados ou dizendo que não tinham culpa, contou sobre o Abismo, um buraco profundo e incontornável de onde nada que caísse lá retornava, mas de vez em quando demônios extremamente monstruosos emergiam dele, ela até mesmo contou sobre alguns dos monstros que estavam trancados no poço junto com elas, o demônio contou várias coisas, mas Lovely percebeu que ela deixava de lado as coisas importantes como: como ela saiu do inferno,  como ela sobreviveu aos monstros, se ela não havia visto o Nevoeiro como sabia o que tinha nele? 

Ela queria perguntar mas se Miss M não contou provavelmente não era uma boa ideia questiona-la sobre isso, talvez manter a imagem de ingenuidade fosse melhor nessa situação, afinal,  ela estava lidando com um demônio e certamente não era uma boa ideia irritar um demônio. 

Lovely também contou sobre o seu mundo, o demônio a questionou sobre cidades de bruxas, Lovely sabia que existia uma cidade inteiras de bruxas mas o questionamento do demônio sobre cidades a fez se perguntar quantas cidades ocultas existem no mundo. Na verdade ela não sabia responder nenhum dos questionamentos do demônio quem eram as lideres das bruxas, magos, feiticeiros, ela não saberia nem dizer que dia era hoje...

Enquanto conversavam elas viram uma luz, no início ela não percebeu, mas alguém havia aberto o poço. 

- Hey!!! Alguém abriu o poço,  a gente pode sair daqui!

Com um clique Lovely acordou e saiu voando em direção a luz, então ela percebeu que Miss M entre vários outros monstros também estavam voando em direção a saída.

- Desculpe por isso- Com um movimento ela lançou uma rajada de energia que empurrou todas as criaturas para trás, ela ouviu varias vozes gritando de raiva e aumentou a velocidade.

Ela viu Giovana voando para fora do poço quando a viu se aproximar,  as suas voaram para fora do poço e pousaram a poucos metros dele.

-LOVELY?!!!

-GIOVANA??!!

As duas ficaram paradas se encarando espantadas demais para falar qualquer coisa, até que Lovely se deu conta da gravidade da sua situação-Desculpa! Tenho que ir! - ela disse e saiu voando o mais rápido que pôde de volta para casa

3 de junho de 2019

O Poço- Capítulo 5

"Não era isso que você queria? Deixar tudo pra trás? Agora você realmente vai deixar tudo pra trás..." Ela pensou consigo mesma

Lovely começou a chorar, não era isso que ela queria, ela queria esquecer os seus problemas, queria fugir deles, mas não trancada em um poço escuro cheio de demônios, ela não removeria a maldição,  não explicaria tudo para os outros, e se ela saisse um dia daquele lugar todos que ela conheceu já estariam....

-Você está chorando?

Lovely ignorou a voz e saiu voando lentamente para se afastar.

-Ei! Espera!- Lovely sentiu algo segurando o seu braço, mas ficou mais surpresa ao perceber que a mão do demônio parecia humana.

-ME SOLTA!!

-Não é bom você ficar vagando por esse lugar sozinha

"Que diferença isso faz, eu já estou sozinha se alguma coisa me atacar , ninguém vai vir, ninguém vai saber que eu estava aqui"

Lovely ouviu a voz do demônio xingando baixo- Temos que sair daqui.

"Se um dia sairmos daqui, nós deveríamos fazer todos que viraram as costas para nós pagarem."

"Eu não quero fazer ninguém pagar eu só quero esquecer "

" Mas eles nos abandonaram ,  isso não é justo... Aposto que eles estão muito felizes vivendo suas vidinhas sem você "

"Provavelmente..."

-Ei garota!!! Não escute ele!!!

"Como se atrevem a nos abandonarem e agirem como se nós nunca tivéssemos existido? Se eles se inportassem conosco iriam ter percebido que você estava sendo assombrada"

"É... Eu achei que ficariam mais atentos com esse tipo de coisa"

" Por causa disso você  fugiu e ficou presa aqui... Não quer que eles paguem? Quando nós sairmos daqui iremos fazê-los pagar"

"Isso é... Espera.. Nós?"

Lovely percebeu que estava sendo puxada pelo demônio feminino- Pra onde tu tá me levando!?

-Ignore a voz na sua cabeça, aquele era o demônio da corrupção.

-Perdoem-me pela intromissão- Lovely sentiu um arrepio na espinha, aquela voz parecia estar saindo da sua mente e indo para o mundo real, era um sentimento surreal- Mas quando se é um demônio de corrupção em uma prisão cheia de pessoas já corrompidas a vida se torna muito chata

-Vo-você estava na minha cabeça? Sussurrando coisas..

-Ah, ah, ah!- Ele disse com deboche- Eu apenas dou sugestões... Você é quem estava prestes a aceitar..

-Ela não está interessada na sua consultoria!!- A outra disse enquanto puxava Lovely para longe.

-Tudo bem, tudo bem, todos sabem que é tolice se meter entre um demônio e sua presa, até mesmo outros demônios- Ele dizia enquanto sua voz ficava cada vez mais distante. 

Lovely sentiu o demônio soltando o seu braço- É perigoso andar por esse lugar sem saber o que se esconde na escuridão. Aquele era o demônio da corrupção,  ele gosta de entrar na mente das pessoas e sussurrar pensamentos obscuros. Ultimamente ele ficou entediado pois não há muitas almas para serem corrompidas aqui em baixo

-Valeu por isso... Mas por que me ajudou?

-Não me agradeça, afinal ele estava falando a verdade quando disse que você era a minha presa. Eu só te ajudei porque se ele te corrompesse, eu não poderia fazer um contrato com você, não dá para vender a sua alma se você já estiver condenada a ir para o inferno. 

-Ah... Faz sentido

-Não está com medo de queimar por toda a eternidade?- o demônio feminino perguntou.

-Bem, Eu sou uma fada, eu não sei quais os requisitos para não ir para o inferno,  mas até onde eu sei pagãos não vão para o céu cristão,  e a minha existência inteira é pagã. 

-Aí tu me pegou, mas você ainda deve ter algo parecido com uma alma, se nós fizermos um contrato eu posso devorar a sua alma e me tornar mais forte. Não tem nada que você queira?

-Consegue sair daqui?

-É claro que não!!

-Então, não!

As duas ficaram em silêncio por um momento 

- Isso me lembra, eu não perguntei o seu nome- o demônio disse.

Uma vez Llana disse que um dos motivos para usarem nomes falsos era porque você jamais deveria entregar o seu verdadeiro nome para outra criatura com poderes mágicos,  Lovely não era o seu nome, mas ela também não queria entregar esse nome.

-Não... Me diz o SEU nome primeiro 

- Tudo bem, vamos fazer o seguinte,  eu te dou a primeira letra do meu nome é você me dá o última do seu.

-...Certo...

-Você pode me chamar de Miss M

-Miss M...

-E você?

-A

-Só A?

-Fada A...

-Então... Você me disse que estava sendo perseguida por um fantasma, quer me contar como isso começou?

1 de junho de 2019

O Poço- Capítulo 4

Só depois de fechar a porta Lovely percebeu como estava escuro, ela tentou usar os seus poderes para iluminar o caminho, mas não importa o que ela fizesse, parecia até que os seus poderes não funcionavam ali.

- Isso não vai ajudar em nada pequenina...- Ela ouviu uma voz vinda de algum lugar da escuridão. Lovely se assustou e tentou ficar de frente para a voz

-Quem está aí?!- Ela disse se colocando na defensiva.

-Nenhuma luz pode chegar nesse lugar, nem magica, nem tochas.

-Nenhuma?

- Bem... algumas vezes nós vemos uma luz no meio da escuridão,  geralmente significa que alguém abriu a porta, como você acabou de fazer.- Lovely começou a ficar nervosa com tudo aquilo- Eu achava que finalmente poderia escapar desse lugar, mas parece que tudo que vou conseguir hoje é um lanchinho...

Lovely sentiu algo puxando o seu cabelo, desesperada para escapar ela cortou os cabelos e saiu voando para longe.

- Ei! Espere!! Volte!! Eu só estava brincando!!- A voz ria enquanto ficava cada vez mais distante
Ela não sabia há quanto tempo estava voando, mas não se sentia cansada, então ela só continuou a voar até perceber que além de não chegar em lugar nenhum, ela também não batia em nada.

-Está desperdiçando o seu tempo garota. Esse lugar não tem fim- Uma voz , dessa vez feminina, disse- não importa o quão longe você vá,  você nunca chega ao fim, isso vale para cima e para baixo, tente voar para cima e você vai perceber que nunca irá encontrar o teto e descer também não vai te levar ao chão. 

Novamente ela estava pronta para atacar caso precisasse- Não é possível, eu entrei por cima, tinha uma porta...

-A partir do momento em que você soltou a maçaneta da porta você nunca mais vai encontrá-la 

- Eu tô presa aqui? Como eu faço para sair daqui?!

-Se alguém abrir a porta no fundo do poço todos nós iremos ver uma luz no alto. Se formos rápidos o suficiente poderemos sair daqui.

Lovely ainda estava tensa, ninguém passava por aquele lugar, sem falar que era um pequeno poço no meio do nada, isso levantou uma serie de perguntas mais assustadoras em sua mente...

- Hey... o primeiro cara que eu encontrei aqui queria me devorar... Onde eu estou? O que exatamente vocês são? E há quanto tempo estão aqui?

- Você está me dizendo que não sabe que lugar é esse? Hum... Interessante... Você está na prisão das gaiolas, um dos lugares mais seguros para se lacrar monstros e demônios. 

- ...Vocês são demônios?- Ela perguntou se afastando

- Acredito que eu e alguns de nós se encaixem na descrição de demônios,  mas nem todos, alguns são feiticeiros e magos que cometeram algum crime e eram poderosos demais para serem mortos ou trancados em uma prisão comum. Também há alguns vampiros eu acho... Você está aqui, não foi trancada aqui também? Como você pode não saber que lugar é esse?

- Eu...Eu entrei- Ela meio que disse no automático, sem acreditar no que estava acontecendo, ela estava presa em um buraco cheio de demônios e não tinha como sair. Parte dela torcia para que tudo aquilo fosse um sonho e que ela acordasse na sua cama à qualquer momento 

A voz parecia fingir surpresa- Oh! Eles não guardam mais o poço?

Lovely estava incerta do que dizer, ela não queria revelar mais que o necessário, na verdade ela já havia revelado mais do que gostaria

-Entendo... Então tudo deve estar em ruínas, assim como aqueles que me trancaram aqui.-Lovely ficou em silêncio enquanto a voz continuava a divagar- No fim tudo tem um fim não é mesmo? Civilizações, povos, vidas, tudo termina em morte e ruínas. E você encontrou as ruínas de um poço cheio de símbolos de proteção e imprudentemente entrou sem se perguntar o que estaria trancado dentro do poço?

-Eu estava fugindo de um fantasma, entrei justamente porque a porta tinha uma marca que impede fantasmas de atravessarem.

-Um pouco impulsivo não acha?

-Acho que sim...

- Bem, nós vamos passar muito tempo juntas, como quer passar a eternidade?