25 de abril de 2011

Ultimo capitulo

Ele espumava pela boca, seus olhos estavam repletos de ódio e loucura, parecia obcecado com os tais amuletos.
                - Se não saírem daqui eu terei que mata-lás...
Ele agarrou a minha perna com força e começou a girar, não sabia se a minha perna iria se soltar antes dele me arremessar contra algo. Apertei a mão com força e percebi que ainda estava com a borboleta, não iria me ajudar em nada naquela hora, comecei a pensar, vou morrer aqui, nunca mais verei a minha mãe ou as minhas amigas Mariana e Karen.
O cristal começou a brilhar forte, o brilho ofuscou o monstro que me soltou, eu fui em direção a parede e bati com muita força, primeiro eu pensei que estava morta, mas não, eu estava viva, olhei para ver se tinha quebrado alguma coisa e percebi que estava com uma roupa feita de pétalas de flores, e agora eu tinha asas. Não sentia dor, que dizer, parecia que eu só tinha levado um tombo, mas estava bem. Tomomi olhava espantada para mim, o monstro veio para cima de mim e eu consegui levantar ele e arremessá-lo contra a parede, eu era forte, achei que ele ainda estava vivo por que ele era pesado e não consegui joga-lo com força.
Me virei para ver se Tomomi estava bem, mas o monstro me agarrou de novo, e eu não conseguia me mexer. Tomomi que estava parada o tempo todo, parecia que tinha acordado de um transe, ela começou a chutar o monstro, o cristal no bolso dela começou a brilhar e ela ganhou asas que pareciam cristais de gelo, e um vestido grande e grosso, ela levantou o monstro com uma só mão, ela era bem mais forte, torceu o braço dele até ele me soltar, nós duas demos um soco que o fez atravessar a parede, vimos ele cair numa profunda escuridão que parecia não acabar mais, depois de um bom tempo escutamos ele bater no fundo, nada teria sobrevivido aquilo. Nós duas nos sentamos não acreditamos no que tínhamos feito.
O chão começou a tremer e vários monstros apareceram brotando do chão, nós duas tivemos que levantar vôo para não sermos pegas.
-Quero que conheçam o primeiro grupo de caçadores, cada um de nós passou anos procurando os amuletos da magia
- Amuletos?
-Essa borboleta de cristal, ela é o símbolo das fadas me de ela!!!
-Não!!!
Ele pegou Ice pelo braço e me pegou pelo pescoço, e disse:
-Arranquem o amuleto!!!
Comecei a me debater mas ele estava apertando o meu pescoço,eu estava quase desmaiando quando eu senti as minhas mãos ficarem quentes eu apontei para o monstro e uma esfera de energia arrancou a cabeça dele e feriu outros, fiquei olhando para Ice , eu podia lançar bolas de energia pelas mãos. Ice começou a fazer a mesma coisa, eu achei assustador.
Quando derrotamos o ultimo monstro aconteceu uma coisa estranha, as ruínas se transformaram num luxuoso castelo, a biblioteca onde estávamos ganhou um lustre que iluminava toda a sala, os monstros desapareceram, uma pagina começou a ser escrita no livro:
“ Depois de mais de mil anos duas fadas, Lovelina Lótus e Iced Cristal, foram parar em Magictopia, e apesar de serem apenas crianças, elas encontraram os amuletos, e derrotaram os caçadores amaldiçoados que reinavam na cidade.
As novas Princesas teriam muito o que aprender e juntar as fadas, bruxas e sereias novamente, reconstruir a cidade  e fugir dos caçadores que ainda viviam em seu mundo e escaparam da maldição.”
-Lovelina Lótus? Gostei desse nome.
-Eu Também gostei de Ice, como você acha que vamos reconstruir a cidade?
-Bem acho que do mesmo jeito que reconstruímos o castelo. Estou mais preocupada em como vamos sair daqui.
Nem percebemos que havia uma segunda porta na sala que parecia um portal, Ice empurrou a porta que deu para a floresta, nos duas saímos e fomos para casa.
Nós passamos as férias reconstruindo Magictopia, descobrimos que os lugares que criávamos eram ligados com lugares que conhecíamos. Meu quarto em Magictopia era ligado com o meu quarto de verdade, a praia das sereias era ligada com a praia das conchas, e assim por diante.
Meu quarto é muito bonito a minha cama é uma flor gigante, e eu tenho um jardim na sacada, o quarto da Ice cai neve, e o chão é feito de gelo.
Quando voltei para São Paulo levei duas pedras para a escola.
-O que é isso Tati?
-É o presente que eu prometi.
-Que é essa coisa?- Disse um garoto chato arrancando da minha mão, fiquei com medo que a pedra virasse algo e ele poderia visitar Magictopia o tempo todo.
-Ah é só uma pedra- ele disse jogando-a no chão. Pelo jeito a pedra só se transformava se a pessoa tivesse magia por dentro.
Mariana pegou a pedra e ela virou uma borboleta de cristal amarelo, ela era uma fada da eletricidade. Karen pegou a outra pedra que virou uma borboleta azul escuro, ela era uma fada da água,depois de explicar tudo pra elas eu as levei para conhecer Magictopia, Mariana passou a se chamar sugar e Karen Uise.
Aliais a Tomomi vai ganhar uma irmã, ela vai se chamar Kamila.
Bem chegamos ao final dessa historia, tudo acabou bem, aquelas ruinas se tornaram um luxuoso castelo, as nuvens cinzas sumiram e do alto do castelo pode-se ver o reino, a unica parte que continua um tanto assustadora é uma região ao Sul, o que será?

19 de abril de 2011

Poções magicas

Hoje chegou o meu livro Poções magicas de Gerina Dunwich, eu estava louca para ganhar esse livro esse e o livro bolos romanticos)
Tem varias poções muito legais, tem uma de como falar com os passaros, invisibilidade e varias poções do amor.
 

18 de abril de 2011

Capitulo 5- A historia da cidade

-Não sei, acho que é uma historia. - eu respondi.
Comecei a ler o livro em voz alta, bem devagar pois não sabia ler direito ainda.
“Magictopia a cidade mágica, Foi criada originalmente por quatro fadas, uma fada da água, uma da terra, uma do fogo, e uma do ar, isso foi na época em que não existia fadas humanas, eram só fadas pequenas que passavam os dias brincando o cuidando da floresta. Um dia ogros invadiram o reino e expulsaram todas as fadas de lá, as que sobraram foram mortas, depois de muito tempo três garotas começaram a governar Magictopia novamente, expulsando os ogros de lá, as novas rainhas eram, uma fada humana, uma bruxa e uma sereia. A paz voltou a reinar, até que ....” Aquela pagina havia sido rasgada, continuei mas as paginas seguintes estavam em branco.
-Acaba assim... Tomomi?-Perguntei- Onde você esta?
-Estou aqui!!! Olha o que eu encontrei!!!
Ela tinha encontrado varias pedras formando uma lua no chão, nada de muito especial,eu passei a mão em uma e ela começou a rachar, de dentro dela saia uma luz rosa, depois que a casca esfarelou tinha uma borboleta de cristal rosa dentro dela. Tomomi pegou uma e aconteceu a mesma coisa, mas o brilho era azul, novamente tinha uma borboleta de cristal azul.
- O que é isso?- Perguntei
-Não sei, mas é bonito, vou levar para casa- Ela disse- Vamos levar essas pedras também.
- Ei! Vamos procurar o pedaço que estava faltando? Talvez ele diga como vamos sair daqui.
Eu comecei a procurar embaixo das mesas, entre as prateleiras derrubadas, Tomomi olhou no chão, e dentro dos livros. Me agachei para procurar atrás de uma estante e vi um pedaço de papel, eu puxei mas ele estava preso em alguma coisa, estava muito escuro para ver o que era. Puxei com mais força até que ele cedeu.
-Tomomi acho que encontrei!!!
Coloquei a pagina em cima do livro aberto que para a minha surpresa se uniu com a pagina rasgada.
-Uau!!! Como fez isso?
-Eu não sei- disse e comecei a ler novamente
“... até que um jovem descobriu a existência de fadas humanas, bruxas, sereias e etc..., seus estudos o levaram a querer encontrar a tal cidade encantada onde elas viviam, viajou por muito tempo caçando essas criaturas, mas não conseguia encontrar a cidade, ele reuniu um grupo de jovens com o mesmo objetivo.
Nasciam assim os caçadores, esse jovem encontrou a rainha sereia e começou a faze-lá ter ciúmes das bruxas dizendo que eram mais inteligentes, fez a rainha bruxa ter raiva das fadas dizendo que eram mais bondosas, e fez a rainha fada ter ciúmes das sereias dizendo que eram mais bonitas. Assim separou as três lideres e descobriu como chegar em Magictopia enganando uma bruxa
Lá, ele e seu grupo de caçadores mataram as fadas e as bruxas para roubar seus tesouros, as sereias que não foram capturadas fugiram para o mar onde estariam seguras. As bruxas e as fadas que sobreviveram fugiram para o mundo dos humanos e se misturaram. As três rainhas percebendo que não haveria jeito de salvar o seu povo lançaram uma maldição nos caçadores que estavam em Magictopia antes de morrer.
                As sereias nunca mais foram vistas, exceto por alguns marinheiros que cruzaram o atlântico, as bruxas e as fadas passaram a viver entre os humanos, e os caçadores que conseguiram escapar de Magictopia antes de serem atingidos pela maldição continuam caçando até hoje.
                Desde aquele dia sereias, fadas e bruxas se tornaram inimigas, uma culpando a outra pelo o que aconteceu, enquanto suas lideres ficaram unidas até o ultimo momento.
                Magictopia passou a ser governada por terríveis monstros deformados que costumavam ser caçadores, mostrando o monstro que estava dentro dele o tempo todo. E a cidade aguarda até hoje as novas rainhas que trarão paz novamente.”
                Eu ia falar algo, mas uma coisa assustadora aconteceu, uns grunhidos começaram a soar na sala, eu olhei para a Tomomi e olhamos para a estante onde a pagina estava, ela caiu fazendo um estrondo que ecoou pela sala, nós vimos que havia um buraco enorme atrás da estante, a sala ficou em silencio e nó duas estávamos uma agarrada no braço da outra tremendo, dois olhos vermelhos apareceram na escuridão, minha prima apertou o meu braço mais forte ainda, ela era realmente muito forte, uma mão verde com unhas muito compridas e afiadas saíram da escuridão, depois algo parecido com uma cabeça deformada, tinha chifres e escamas pontudas, a boca estava repleta de dentes que ficavam para fora, como no meu sonho.
                -Duas meninas- ele dizia enquanto babava- Faz muito tempo que eu não vejo uma menina.
Eu queria me mexer mas não conseguia, minhas pernas estavam duras, e a Tomomi estava paralisada de medo.
                -Digam onde estão os amuletos!!!
                -A-amuletos?Q-que amuletos?- eu disse.
                -ESSAS TERRAS SÃO MINHAS!!!!- Ele gritou-Saiam daqui!!!!
                - Tati...- Tomomi disse- Ele é um caçador da historia...

11 de abril de 2011

Capitulo 4- Caindo num mundo novo

-Tati? Acorda, já chegamos- Disse a minha mãe
-An? O que?
-Nós chegamos.
Passei a mão no meu pescoço, que sonho assustador, podia jurar que era real, ainda sentia a mão do monstro no meu pescoço, desci do carro e peguei a minha mochila.
Minha avó saiu de casa e veio me dar um abraço, na verdade todos os meus tios vieram me dar um abraço. Entrei no meu quarto e joguei a minha mochila na minha cama, me virei e vi uma mochila azul no chão do quarto.
-Mãe porque tem uma mochila no nosso quarto?- eu disse correndo para a cozinha
-Ah! Eu esqueci de te avisar, você não vai dormir comigo, você vai dormir com a sua prima, Tomomi.
-Eu vou dormir com ela?!-Disse uma voz que vinha de trás de mim
Eu me virei e vi uma menina de roupa azul parada na porta da sala que dava para a cozinha, eu tinha os olhos mais finos que os meus, o rosto dela era arredondado, ela tinha um cabelo curto, diferente do meu que vai até a cintura.
-Eu não quero dormir no mesmo quarto que ela, ela tem cara de louca- Disse ela
-Você vai ter que dormir com ela Tomomi- disse uma mulher que surgiu atrás dela- não tem espaço no nosso quarto para você, e a tia Miki vai dormir junto com a Tia Mie.
-Mas mãe...- ela disse
A mãe dela a encarou e ela ficou muda, nós duas olhamos uma para a cara da outra e cada uma foi para um lado. Eu fui ver a floresta, o tempo estava um tanto nublado, mas ainda sim dava para sentir o ar quente do verão. Comecei a cantarolar uma canção baixinho, e a escutar o vento.
-Qual o seu nome?
-Hum?
-O seu nome, você esta sempre viajando assim?
-Meu nome é Tati, e eu não estava viajando, eu estava imaginando como seria ter asas.
-Ter asas? Sabia que você era louca, não dá para ter asas, isso é impossível.
Eu não gostava de discutir, então eu simplesmente ignorava, ela ia falar alguma coisa, mas o vento começou a soprar muito forte.
-Nossa que ventania!!!- Eu gritei.
O vento começou a fazer um circulo em volta de nós, um símbolo com uma borboleta se formou sobre os nossos pés, já ventava tanto que não conseguíamos mais ver o chão. De repente o vento parou de girar, eu olhei para o chão, mas ele não era mais marrom, ele era cinza, como se tivesse passado uma queimada por lá. Passei o pé sobre as cinzas e vi que tinha um chão de concreto debaixo de toda aquela cinza, Tomomi estava do meu lado olhando para os lados eu comecei a olhar para os lados também e vi que estávamos no meio de ruínas de um castelo antigo.
-Onde estamos?- eu perguntei assustada
-E-eu não sei- ela disse com a voz tremula- Eu quero ir para casa.
-Precisamos sair daqui, eu estou com medo.
Eu odeio ficar sozinha em lugares escuros por que tenho muito medo de monstros. Aquele lugar estava muito nublado e escuro. O vento começou a soprar de novo, ele levantou as cinzas mostrando um enorme “M” no chão.
-Tem uma porta ali, vamos ver se ela nos leva a algum lugar
Era uma porta muito antiga, parecia que tinha sido arrombada, nós duas entramos na sala, tinha vários livros rasgados e jogados no chão, eu me aproximei de um livro grande e prateado que estava em cima de um mesa. Eu li a capa do livro em voz alta
-Magictopia?- Disse Tomomi- O que é isso?

8 de abril de 2011

Poção do amor com frutas

Essa receita eu peguei do Blog Guinevere, ela é uma bruxa muito sabia e conheçe muitos feitiços, visitem o blog dela na lista de portais.

Horario de preparo:
Durante a hora de Venus, se possível de sexta feira(no final da revista os horários)
Ingredientes:
2 pêssegos
2 maracujás
4 cerejas
4 morangos
Um punhado de açúcar
Pó de canela
Preparo:
Remova a casca e o caroço dos pêssegos, fatie bem a fruta e bata no liquidificador fazendo assim um suco.
Retire a polpa dos maracujás e fatie bem as cerejas e os morangos.
Feito isso, derrame tudo no liquidificador com açúcar ( ou mel).
Bata durante uns cinco minutos e depois desligue. A poção estará pronta.
Se desejar ponha alguns cubos de gelo e cubra com um punhado de pó de canela.

4 de abril de 2011

Capitulo 3 - Chegamos!

No final da aula eu prometi as duas que iria trazer um presente para elas, entrei no taxi com a minha mãe, passamos em casa para deixar o meu material e fomos para o aeroporto. Tinha um monte de gente lá, demorou um tempão para fazermos o check-in, mas depois fomos direto para o avião.
Eu estou no meio das nuvens, voando, se não fosse a dor de ouvido isso seria até que legal, elas parecem formar asas, eu consigo ver garotas dançando de mãos dadas...
-Senhores passageiros preparem-se para o pouso.
-Já? Nem tive tempo de dormir
-Coloca o cinto Tatiana.
O avião começa a descer eu vejo as casas se aproximando cada vez mais, no momento que ele toca o chão sinto a velocidade me empurrar para o fundo do assento. O avião começar a desacelerar até parar completamente, o sinal do cinto apaga e os passageiros se levantam e começam a sair do avião
-Espera até o avião esvaziar um pouco- disse a minha mãe
Eu guardei o meu estojo que estava usando para desenhar na minha mochila cor de rosa, essa é a minha cor favorita. O avião pousou perto do aeroporto, não vamos precisar entrar num ônibus. Pegamos as malas e saímos para procurar os meus tios, Eu avistei um cara alto de cara vermelha mas com um rosto de menino, Era o Tio Tomo! Minha família chama ele de tio Tominho porque ele é o caçula da família, quando eu nasci ele tinha 15 anos.
-Você que vai nos levar tio Tominho?
-Humhum- Concordou.
Ele estava junto com o tio Dao o mais velho dos irmãos, Minha mãe é a mais velha, depois é o tio Dao. Eu gostava do tio Tomo porque ele tinha cara de bebê, algumas pessoas perguntavam para ele se ele não era muito novo para dirigir ou ter cartão de credito, eu achava engraçado.
-Como foram as aulas Tati?- Tio Dao perguntou
-Legais
Eu estava cara a cara com um monstro verde de olhos de cobra vermelhos, seus dentes saltam para fora e entre eles escorria uma baba roxa, ele tinha alguns pelos pretos na cabeça, a sua mão tinha unhas compridas, ou seriam garras? Ele abriu a boca e pegou no meu pescoço, me ergueu acima da cabeça onde pude ver que ele estava cercado por outros montros, fechei os olhos quando vi sua garra vindo na minha direção para me dilacerar.