29 de fevereiro de 2012

o casamento da borboleta negra- capitulo 24


                -Vamos Daniel, não podemos mais ficar aqui, eles estão vencendo, deixe ela ai....Puxa, ela resistiu a um dos meus disparos, bem, deve ser por causa das asas. Vamos, não podemos ficar aqui muito tempo, aquela diretora é uma fada poderosa.
                Daniel seguiu a bruxa, mas acabou se perdendo dela no meio da floresta, a primeira coisa que ele fez foi limpar o sangue e tampar o corte com um pedaço da sua roupa. Ele subiu em uma arvore e começou a pensar como iria fazer para sair dali.
                -Marina disse que Dara expulsou todos eles, VENCEMOS!!!-Ice comemorou
                -Não até acharmos a nós acharmos a nossa pri...- Kaila dizia até entrar na sala e ver Lovely caída no chão -LOVELY!!!!!
                -Precisamos levar ela para a enfermaria agora!!!
                -As asas dela... estão queimadas- Ice disse puxando uma delas
                -Não mexa nela!!!
                -Nós retiramos as asas queimadas, mas não sabemos se ela vai sobreviver.-Uma das enfermeiras disse
                -Como assim?-Diere  perguntou
                -O disparo além de queimar as asas, atingiu o coração, precisaríamos dar um choque nela, mas não temos o equipamento, somos só fadas da água, não medicas.
                -Um desfibrilador- Gisele disse
                -O que significa?- Kaila perguntou se apoiando na janela do quarto, lá fora chovia.
                -Significa que ela vai morrer
                Elas se aproximaram  da cama onde Lovely estava, menos Kaila que continuou distraída olhando a chuva.
                -Ice, a sua irmã está bem?- Giovana perguntou vendo Kaila na janela
                -Deixa ela, é uma criança, não está preparada.
                Kaila viu algo de estranho entre as nuvens cinzas, os raios estavam cada vez mais perto.
                -Venham ver que coisa estranha- Kaila disse
                -Ignorem, ela está tentando chamar a atenção
                Os raios pareciam estar caindo cada vez mais perto.
                -Gente...- Ela continuou chamando
                Um raio estourou tão perto que fez os vidros tremerem, todas levaram um susto, Kaila viu o próximo chegando e gritou:
                -Abaixem!!!!!
                O raio entrou no quarto todas se jogaram no chão e cobriram os olhos, menos Kaila que estava encostada na parede embaixo da janela, ela pode ver um raio em forma de garota de cabelos curtos e usando óculos, ela tocou no peito de Lovely que fez um barulho de choque e o corpo dar um pulo, foi tudo tão rápido que quando se deu conta o raio tinha ido embora.
                -QUE RAIOS FOI ISSO?!?!- Ice gritou
                -Ei olhem a Lovely, ela esta respirando!!!!-Giselle apontou
                -Deve ter sido o raio- Diere disse
                -Ice...- Kaila começou- Eu vi uma garota...
                -Ta, tá Kaila eu sei a Lovely ta viva, isso não é ótimo?
                -Ninguém me escuta aqui- Kaila resmungou

27 de fevereiro de 2012

O casamento da borboleta negra -capitulo 23


                Enquanto isso Ice, Kaila e Diere já tinha descoberto a mesma coisa, Ice colocou a espada a um centímetro do pescoço de Leandro e disse:
                -Minha prima ou o seu pescoço, escolha!!!
                -Vou dar uma dica, ela com certeza está sozinha, com... Ah vocês já sabem...
                -Vamos nos separar- ice disse, a primeira que encontrar os dois chama pelos amuletos- ice disse.
                -Espera Ice, o que vamos fazer com ele?
                Ice deu com a espada na cabeça dele fazendo ele cair desmaiado com um galo enorme na testa.
                -Pronto, ele não vai sair daí
                -Você usa essa espada mais como um bastão do que como uma espada.- Kaila comentou
                As três saíram correndo, e Marina ficou para ajudar os outros na batalha. Dara estava procurando entre os escombros da sua antiga sala quando Rosairis e o bruxo saíram debaixo das pedras, Dara pegou uma pequena caixa e abriu tirando uma pedra lilás. Rosairis trasformou o seu cabelo em prata que parecia uma espada
                -Não pensou que só algumas pedras iriam me derrotar não é mesmo?
                -Não, algumas pedras não, mas uma pedra pode te derrotar- A pedra começou a brilhar, Os dois se afastaram parecia que a luz enfraquecia eles, e até causava dor.
                -Que poder é esse?- O bruxo disse
                -É um amuleto que eu trouxe da minha terra natal, foi criado para afastar pessoas como vocês, e nunca mais voltar.
                Os dois saíram correndo para o salão Dara os seguiu carregando a pedra.
                -Atenção! Fadas da luz, preciso que joguem o máximo de energia nessa pedra.
                Quando a Luz atingiu a pedra, o salão inteiro ficou coberto pelo brilho, e ele começou a se espalhar por tudo, as fadas, bruxos e magos tiveram que fugir dali o mais rápido possível
                -DANIEL SAIA DAÍ AGORA SEU COVARDE!!!!!-Lovely gritava segurando uma flecha
                -EU NÃO SOU COVARDE LOVELY!!! SÓ NÃO SOU IDIOTA!!!!
                -Ai está você- Ela disse atirando
                Daniel ralou no chão para fugir das flechas
                -Posso fazer isso a noite inteira, uma hora você vai se cansar – Ela dizia ofegando
                -E eu posso dizer o mesmo de você.
                Daniel tentando se desviar bateu a cabeça na parede, sua cabeça doía muito, ele tiva batido com muita força, sentiu algo escorrer pela testa, talvez estivesse sangrando, era melhor não descobrir. Lovely se aproximou preparada para disparar na testa de Daniel, a flecha estava a menos de três centímetros dele, as mão de Lovely tremiam ele olhou nos olhos dela que estavam cheios de lagrimas.
                “Eu sou um monstro, eu devia ter contado antes, como ela vai acreditar em mim agora?”
                -Por favor Lovely, não faça isso- ele disse fechando os olhos
                Lovely disparou a flecha, Daniel abriu os olhos e viu que a flecha atingiu a parede, Lovely ainda chorando disse:
                -Suma daqui, eu nunca mais quero ver a sua cara enquanto eu viver, ou...
                Os dois se levantaram, Lovely evitou olhar para Daniel, mas Lovely sentiu uma esfera de energia atingir as suas costas bem no centro das asas, ela se ajoelhou no chão ainda lutando para ficar consciente, mas outro disparo a acertou no mesmo lugar e ela caiu no chão com as asas queimadas. Uma bruxa surgiu atrás dela, foi ela que tinha acertado Lovely.

26 de fevereiro de 2012

Mitologia: Mãe de ouro

Cara acho q até agora eu não falei de um criatura nacional ainda, bem é melhor eu começar. A mãe do ouro é uma bela mulher de cabelos dourados, que refletem a luz do sol (o que é estranho já q eu pensava q ela só aparecesse de noite), ela costuma usar um vestido branco, e possui olhos verdes, em noites escuras ela aparece voando no céu como uma estrela cadente e cai em lugares onde há ouro para ser descoberto (ou não, quem se atreve?) Os gananciosos podem acabar sendo castigados, ouro dado pela mãe do ouro deve sempre ser usado para o bem.
Em noites de tempestade com trovões dizem que ela esta procurando uma nova casa, em algumas versões ela protege mulheres que são maltratadas pelos seus maridos, fazendo eles se perderem em cavernas e mandando homens bons para a vida delas.


http://www.suapesquisa.com/folclorebrasileiro/lenda_mae_de_ouro.htm
O mais legal do folclore

25 de fevereiro de 2012

O casamento da borboleta negra- Capitulo 22


                Kaila lançou uma bola de fogo enquanto ele estava distraído, Leandro urrou de dor quando a bola de fogo acertou o seu rosto.
                -Ninguém além de mim faz a minha irmã gritar, você está bem, Ice?
                -Nunca pensei que fosse dizer isso, mas, kaila você é demais.
                -Obrigada, vai ser mais legal quando eu começar a lutar.
                -Como ousam?- Ele disse se levantando
                Leandro começou a gritar, seu grito fez as paredes tremerem e os vidros quebrarem. Ice criou um escudo para se proteger dos cacos.
                -Precisamos fazer ele calar a boca- Ice disse
                Diere apareceu puxando Marina até onde elas estavam
                -Faça o seu truque.- Ela disse
                Marina começou a gritar tão alto quanto ele, Leandro afundou na parede e quase desmaiou. Kaila pegou alguns cacos de vidro e os derreteu fazendo bolinhas de vidro derretido, as quatro encurralaram Leandro, prontas para atacar.
                -Valeu marina- Diere agradeceu
                -Como conseguiram chegar tão perto?- Kaila perguntou
                -Cera de abelha- Diere disse tirando do ouvido- Eu tenho um pouco guardado.
                -Não vou perguntar de novo, o que vocês querem? -Giovana disse apontando a sua adaga para a fada de asas vermelhas- Eu não to brincando!!!!
                -Giovana, a fada das trevas, você não é muito diferente de mim, nós duas matamos as nossas próprias famílias.
                -Como você?
                -isso é um segredo meu, mas você não tinha dito que nunca se surpreendia?- Ela disse aproveitando que Giovana se distraiu e se soltou.
                -Bem você não é a primeira criatura que pode ler mentes que eu enfrento...
                -Ora, bobinha, eu não leio mentes, sou muito mais especial que isso, meu nome é Rosaris, e eu...
                Uma esfera de energia acertou nela bem na cabeça, Giselle estava voando na sua vassoura e lançando feitiços em um outro bruxo.
                -Giselle? Você? Lutando?
                -Sei que eu não gosto de lutar, mas você não acha que eu iria ficar sentada só olhando e deixar esses bárbaros destruírem tudo não é?
                -Giselle, você acaba de ganhar pontos comigo. Quer me ajudar a dar um surra nesses dois idiotas?
                -Não vai ser preciso...
As duas de viraram e viram Dara, Luis e Borboleta negra , Dara correu em direção a Rosairis mas ela se desviou e Dara acabou acertando uma coluna, Dara continuava atacando, mas Rosairis sempre desviava e ela acabava acertando uma coluna.
                -Como você é lerda, não me atingiu nem uma só vez.- Ela disse
                -Não preciso... Todo mundo para fora da sala!!!!!-Ela gritou enquanto corria em direção à saída.
                Rosairis atirou pequenas lanças, mas Borboleta negra as parou coma as suas asas.
                -Eu disse que passar aquele esmalte nas asas seria útil, agora Luis, a espada!!!
                Luis usou a espada para cortar o ar, um som muito alto fez as paredes  vibrarem e a sala da diretora desmoronar enterrando os dois
                -Bem dois já foram, agora você poderiam me explicar o que são eles?
                -Não sei direito, só sei que não são como nós- Giselle começou- enquanto eu lutava contra aquele bruxo ele me disse que todos eles abandonaram sua parte humana
                -Isso me parece meio familiar...
                Dara, Giselle, e Giovana arregalaram os olhos quando se deram conta
                -Daniel!!!- Disseram as três
                -Vocês vão procura a Lovely, eu sei como expulsar todos eles daqui.

22 de fevereiro de 2012

O casamento da borboleta negra- Capitulo 21


                Ice correu em direção a Leandro e deu um soco nele, ele deu alguns passos para trás e esfregou o rosto.
                -Muito forte para uma fada humana da sua idade, talvez queira se juntar a nós.
                -E você é muito chato para a sua idade. Não sei como entraram aqui, mas sei como vão sair...Roxos!!!
                Giovana levou os noivos até a sala da diretora Dara.
                -Dara, estamos sendo atacados
                -São caçadores?
                -Pior
                -O QUE RAIOS PODE SER PIOR???
                A parede da sala de Dara foi derrubada, uma garota de cabelos vermelhos surgiu do meio da poeira que foi levantada, Dara ficou espandada ao ver um par de asas vermelhas saindo das costas dela.
                -Definitivamente, isso se encaixa como alguma coisa pior... Giovana cuide dela, vocês dois, comigo...
                A garota andou em direção a Giovana, confiante e com um sorriso no rosto, enquanto Dara fugia.
                -Uma fada... poque não estou surpresa? Ah, esqueci, nada me surpreende... Quem são vocês, e o que querem? – Giovana perguntou
                -Você acha mesmo que eu vou falar? Está vendo essas marcas nas minhas asas? Cada uma delas é uma irmã que eu matei, o que a faz pensar que pode me derrotar?
                -Esta vendo esses espinhos nas minhas asas? Serve para rasgar asas de fadas como você. Não me importa quantas fadas você deve ter matado, você ainda não me matou- Giovana disse abrindo as asas dela e avançando contra a outra fada.
                -Para onde estamos indo?- Borboleta negra perguntou
                -Para o arsenal da escola, todos os tipos de armas e amuletos mágicos que os alunos criaram.
                -Então aqui é como a galeria de colagem de macarrão?- Luis disse
                -É, mais ou menos- Dara disse passando um esmalte verde nas unhas e depois raspando na parece- A diferença é que macarrão não é acido
                A parede começou a derreter, Dara jogou um esmalte branco para a Borboleta e uma espada para Luis.
                -Essas são as melhores, foram criadas pela Lovely, pela Tameria e pela Marina, Maçã acida, escudo diamante e espada sonora, é melhor irmos logo, não querem perder a diversão não é?
                De volta ao salão estava uma bagunça, Ice lutava contra Leandro usando a sua espada.
                -Sua espada deve ter algo de especial, minha espada pode contar qualquer coisa, menos outros objetos mágicos, e o fato de existirem fadas humanas entre vocês me diz que vocês são como nós.
                -Melhor não deixar que essas fadas ouçam você as chamando de humanas, é uma ofensa enorme para nós sermos relacionados com vocês.
                -Então, são fadas normais? Estranho, pensei que fadas normais fossem extremamente pacificas e são pequenas.
                -Não- ele disse rindo – vamos dizer que não somos nem um nem outro... Somos melhores, mais fortes.
                -Está parecendo a minha biografia... - Ice zombou- Bem, você com certeza não é mais forte que eu
                -É, não se pode ser bom em tudo, pelo menos não tenho ouvidos tão sensiveis- Ele disse raspando a lamina da sua espada na de ice o que criou um som agudo e irritante. Ice soltou a sua espada, se ajoelhando, colocando as mãos nos ouvidos e gritando.
                -Só para você saber, eu posso controlar o som, esse barulho vai ficar ecoando nos seus ouvidos até eu me cansar, mas não se preocupe, isso vai passar... em breve- Ele disse se preparando para acertar as costas de ice com a espada.

20 de fevereiro de 2012

O casamento da Borboleta negra- Capitulo 20


                O salão de festas estava decorado com a flores de Lovely, e fitas que Ice tinha usado para decorar,Diere ajudava Lovely a fazer doces para o casamento, ela finalmente, terminou de fazer docinhos, e Karim fazia o bolo, o bolo ficou maravilhoso.
                -Puxa, Karim, você fez um vestido digno de uma princesa, e esse bolo está uma delicia. E ainda por cima vai realizar o matrimonio deles?
                -Ah! Aquilo é só magia de fada madrinha, acredite, se eu não usasse magia, não faria nem metade disso.
                -Bem, eu preciso ir, Zair disse para eu me encontrar com ele.- Lovely disse tirando o avental.
                -Vocês vão ao casamento certo?- Diere perguntou
                -Claro que vamos.
                Zair estava sentado na parte deserta do castelo olhando para uma flor que Lovely havia dado para ele, assim que ele dou a rosa para ela, “Essa flor, parece que quer me dizer algo” ele aproximou a flor do rosto e disse:
                -Lovely, eu acho que te amo... O que eu to falando? Eu acabei de dizer que amo a Lovely? Não tenho mais vontade de matar ela, ela salvou a minha vida, duas vezes, mas ela não sabia que era eu, será que ela gostaria de mim se descobrisse quem eu sou?... Eu não posso esconder isso para sempre,mesmo que eu tomasse a poção de novo meu rosto não ficaria na mesma forma, eu vou contar a verdade agora.
                O corpo de Zair começou a formigar, ele puxou a espada e viu seu reflexo na lamina, seu cabelo ficou mais curto e escureceu, seu rosto voltou a ser do jeito que era, o efeito da poção tinha acabado. Ele levou um susto e acabou se cortando
                -Zair, você já chegou? O que queria falar comigo...- Lovely soltou um grito e recuou alguns passos, Daniel? O-o que esta fazendo aqui?
                -Lovely!!!
                -Daniel... Onde está o Zair- Ela perguntou olhando para a espada
                -Ele não existe mais... - “O que é que eu estou dizendo, ela vai me matar!!!”
                -O que você fez com ele?!!                                                                                                 
                Algumas lágrimas começaram a brotar dos olhos de Lovely, ela tirou o prendedor e apontou uma flecha para ele.
                “Espera... flechas de raiva não causam morte instantânea?”- Ele pensou entrando em pânico.
                -Você não seria capaz....
                -Como você pode??!!!- Ela disse lançando a flecha
                -Onde eles estão? Ela tinha prometido- Ice perguntou
                -Lovely não é de quebrar promessas assim- Diere dizia segurando uma cesta de flores que pombos pegavam as pétalas e soltavam em cima das pessoas
                -Kaila você sabia que a noiva fica do lado esquerdo para o noivo ficar com a mão direita livre para usar a espada caso precise defende lá? E dizem que a aliança vai no quarto dedo porque...-Giselle dizia sentada ao lado de Kaila
                -Façam ela para!!!! Faça parar!!!!- Kaila dizia tapando os ouvidos
                Kaila se virou e viu algo estranho atrás dela...
                -An... Ice? O que é aquilo?
                Ice se virou e viu varias pessoas aparecendo do nada dentro de um portal.
                -Desculpem por interromper um casamento tão bonito assim, mas tem coisas mais importantes para se preocupar- Leandro disse levitando Ice e a lançando contra a parede.
                -Eu odeio penetras- Ice disse levantando e tirando sua espada do cabelo, Giovana, proteja os noivos!! Kaila, Giselle  e Diere, vamos!!!

18 de fevereiro de 2012

O casamento da borboleta negra- Capitulo 19


                Zair pegou uma rosa que crescia no jardim e deu ela para Lovely.
                -Olhem, ele deu uma rosa felizes para sempre pra ela!!!!-Diere apontou
                -Pronto, é hoje que essas flores nunca mais somem.
                Lovely dormia tranquilamente dentro da sua cama flor, quando a porta de vidro que dava para o seu jardim se abriu, uma pessoa segurando uma prancha que se transformou em uma espada, entrou silenciosamente no quarto, ela tirou uma adaga do bolso e se aproximou da cama.
                -Tudo acaba hoje fada das flores...
                Ele fez a flor se abrir com magia, mas quando estava prestes a mata-lá uma mão o segurou. Zair se virou e viu um homem com uma cicatriz no rosto.
                -Pense bem no que vai fazer pirralho.
                -Eu não tenho medo de humanos
                -Pois eu não tenho medo de você, seja lá o que for.
                -Não é de mim que você deveria ter medo, não sei se percebeu a aprendiz da sua noiva te odeia.
                -Os problemas que eu tenho com Giovana eu mesmo resolvo
                -E os meus problemas com a Lovely eu resolvo sozinho
                -E exatamente porque você quer matar ela?
                -Por... É por que...
                Zair não sabia o que responder, não sentia mais ódio, sentia algo diferente... Ele largou a adaga e fechou a flor indo embora. Luis pegou a adaga, e voltou para o corredor entregando para uma pessoa que esperava ele
                -Missão cumprida- Ele disse-Mas depois você vai ter que me explicar tudo.
                -Nem eu mesma sei, uma pessoa me pediu...
                -Você viu viu viu, Diere?! Ele me deu a rosa! Ele me deu a rosa- Lovely gritava pulando pelo quarto de Diere
                -Lovely toma cuidado, muito animais machucados se escondem no meu quarto, você pode pisar em algum.- Diere dizia enquanto limpava as escamas do Taiff
                -Ah, desculpa... É que eu to tãoooooo feliz-Ela disse sesentando
                -Eu percebi, suas rosas estão brilhando, parece que tem glitter nelas, queria que “alguém” me desse uma
                -Hum, se quiser eu posso lançar uma flecha nele
                -Não obrigada, quero que ele gosta de mim pelo que sou
                -Diere, não seja boba, minhas flechas não fazem as pessoas se apaixonarem, ela iria fazer ele descobrir quem ele realmente ama...
                -E se não for eu?!!!!
                -Eu e minha boca grande, Diere quer ficar calma, mais um pouco você vai arrancar uma escama do Taiff
                -Desculpe, meu bebê...
                -Dá para acreditar que o casamento vai ser hoje a noite? Tipo você acha que a Giovana vai ter razão?
                -Sobre o que?
                -Que vai acontecer alguma coisa de ruim, tipo isso me assusta um pouco...
                -Eu prefiro não acreditar nisso...

15 de fevereiro de 2012

O casamento da borboleta negra- Capitulo 18


                -ICE!!! Nós já estamos prontas, quanto tempo ainda vai ficar ai?-Kaila gritou batendo na porta do quarto
                -A pressa é a inimiga da perfeição, e eu sou a perfeição.
                -Se ela não ir logo vai ganhar mais inimigos alem da pressa...- Giovana comentou- Vamos deixar ela trancada?
                Ice sai do quarto usando um longo vestido azul e alguns cristais de gelo brilhando no cabelo.
                -Gostaram? É a neve que cai no meu quarto , ela brilha, que nem eu.
                -Poupe-me... Alguém viu a Lovely?-Giovana perguntou
                -Ela já ta pronta, só tá vestido a Melody- Ice disse
                Lovely saiu do quarto puxando Melody que estava usando um vestido parecido com uma rosa vermelha.
                -Eu não gosto muito de usar roupas Lovely
                -Esse é o seu castigo por ter derrubado as minhas poções, não é tão ruim assim Melody, você está tãooooooooo fofa.
                -Você também está bonita Lovely- Melody disse.
                -Dava para parar com os elogios e andar logo, antes que eu arremesse vocês em direção a festa?- Giovana ameaçou.
                O baile estava cheio de fadas dançando no ar, Borboleta negra dançava com Luis no centro,um musica calma tocava enquanto do lado de fora do castelo um leve chuva caia e molhava as janelas do salão.
                -Não vai dançar princesa Lovely?
                Lovely levantou a cabeça e encontrou com os olhos de Zair.
                -Não gosto muito de usar salto alto, meus pés estão me matando
                -É só tirar, você voa.
                Lovely tirou as sandálias e ficou a alguns centímetros do chão, Zair segurou a sua mão e a levou em direção ao centro do salão, a musica mudou, combinava perfeitamente com o barulho da chuva (eu pensei em “Kiss the rain”, oque vocês pensaram?).
                -Não é lindo?- Lovely perguntou
                -O que?
                -Eles- Ela disse apontando para Delina e Luis.- Ei você não tem um par não é? Pode deixar eu vou tentar encontrar um para você,hum que tal a Cassandra? Ela é bonita...
                -Na verdade eu já gosto de uma garota... Estou olhando para ela neste momento
                Lovely olhou para trás, demorou um tempo para ela se tocar de quem ele falava.
                -An... Jura?- Ela disse corando
                -Lovely tem um namorado- Ice dizia –Depois nós vamos fazer uma festa de pijama para você me contar tudo!!!
                -Ignora ela, mas você sabe bastante sobre mim, e eu não sei nada sobre você.
                -Você sabe que meu nome é Zair e sou um feiticeiro que pode controlar raízes.
                -Espera... Você pode controlar raízes? Porque não disse antes?-Lovely disse arrastando Zair.
                Lovely entrou voando no seu quarto e seguiu em direção ao jardim.
                -Faz um tempo que eu tenho um probleminha- Ela disse enquanto caminhava.
                Ela se sentou ao lado de uma pequena árvore que estava dentro de um vaso, suas folhas estavam amarelas, parecia que estava morrendo, o jardim de Lovely era descoberto e a chuva começou a cair e molhar o seu cabelo, mas ela não se importava muito “Era só lavar” Ela dizia.
                -Ela está doente, mas não consigo descobrir o que tem de errado.
                -Por que não fala com ela?
                -Eu não ainda não sei falar com as plantas.
                Zair colocou a mão na árvore e fechou os olhos.
                -Está sendo devorada pelas raízes, tem um ninho de formigas dentro do vaso, consigo passar uma parte da minha saúde para ela, mas você precisa tirar o formigueiro.
                -Tudo bem, obrigada.
                A árvore começou a florecer
                -Sabe, as flores são muito belas, as pessoas ligam as flores com o amor.
                -Esses são os meus dois elementos.
                -Mas as raízes sempre ficam escondidas, não são tão belas e as pessoas acham elas feias...
                Lovely levantou a cabeça dele e disse sorrindo.
                -Eu não acho você feio...
                Os rostos dos dois foram se aproximando até os lábios se tocarem
                -Rápido tira a foto agora- Giovana cochichou.
                -Não vai dar se você não parar de tremer...Tirei, essa vai direto para a capa da revista- Ice disse
                -Não- Melody protestou- Vai para o álbum de recordações da Lovely
                -Eles não formam um lindo casal?- Diere perguntou
                -Calem a boca, tem ideia do que a Lovely vai fazer conosco se ela nos vir? Não estou a fim de ficar coberta de saliva de planta- Giovana falou

13 de fevereiro de 2012

O casamento da borboleta negra- Capitulo 17


                -E ai Zair? Preparado para uma aula de voo de verdade?Lovely disse levantando voo
                -Aula de voo? Eu que deveria ser o professor, por acaso você sabe voar?-Ele disse
                -Voar, voar, eu sei, eu só bato em algumas coisa as vezes
                -Minha prima Lovely, é a rainha da coordenação motora- Ice disse
                -Não escuta essa chata, vem- Lovely puxou Zair pela mão
                Enquanto voava pelo céu de Magictopia ele viu as montanhas os castelos, a floresta e os campos, tudo por lá era mágico, uma pergunta começou a se formar na mente dele.
                -Esse lugar é lindo, é mais belo que o mundo dos humanos, mas porque vocês não vivem aqui para sempre?
                -As vezes eu penso em viver aqui para sempre e nunca mais voltar, principalmente quando estou triste, mas eu sou uma fada humana, sabe como elas surgiram?
                -Sei, uma fada enfrentou um ogro para proteger uma menina, a sua coragem fez com que ela se tornasse mais forte, um simples conto de fadas.
                -Bem, para vocês pode parecer só um conto, mas para a maioria de nós não, fadas normais não são violentas, e preferem se esconder do que lutar, mas fadas humanas são um pouco mais corajosas, desde aquele dia nós vivemos entre os humanos, sempre protegendo quem amamos.
                -Parece que cada tribo tem a sua própria lenda para se orgulhar.
                -É...Realmente temos, feitiçeiros também não tem?
                Zair não sabia, tinham o ensinado que lendas e historias não eram importantes, mas também haviam ensinado que emoções eram inúteis.
                -Acho que nunca ouvi uma dessas historias...Nossa, como eu consigo controlar o voo dessa espada sendo que eu ganhei ela a pouco tempo.
                -É assim mesmo, Tameria é um gênio mesmo, ela cria objetos que ficam ligados magicamente com o dono, como o meu arco e flecha que faz flechas diferentes para cada emoção, ou a espada da Ice que pode ser realmente perigosa se ela estiver com raiva. Hum isso me lembra, vai ter um festa amanhã a noite no castelo, você vai?
                -E-eu?
                -Não, o saci pererê, é claro que é você, estamos voando a 500 metros do chão, quem achou que era? Não precisa de um par, eu, por exemplo, vou sozinha.
                -Hum acho que eu vou, talvez seja divertido.

11 de fevereiro de 2012

O casamento da borboleta negra- Capitulo 16


                -Puxa você é mesmo muito sortudo, é a primeira vez que vejo um feiticeiro voando em uma espada.
                -Quem é o novato Alex?
                Dois garotos apareceram do nada, um deles era Edru o outro era o irmão mais velho de Edru, Horkeus
                -Horkeus...-Alex disse baixinho- A-aquele é o Zair
                -Será que ele vai se machucar muito se cair daquela altura? Será que vai SANGRAR?- Ele disse com um sorriso
                -N-não...-Alex disse com um pouco de medo.
                -Edru, sabe o que eu aprendi nas aulas sobre criaturas?
                -O que Hor?- Edrudao perguntou
                -Vampiros tem o faro muito sensível e podem se descontrolar se sentirem o cheiro de sangue, está a fim de se divertir um pouco?
                -V-vocês n-não teriam coragem.
                -Meu nome É coragem- Ele disse apontando a flecha na direção de Zair
                Uma flecha foi lançada e acertou o braço de...Horkeus. Era uma flecha de Lovely e vinha da janela da enfermaria, Lovely gritou de lá:
                -Giselle, Giovana rápido.
                As duas saíram voando da janela, Giovana pegou Alex pelo braço e Giselle que voava na sua vassoura puxou Zair (que não fazia ideia do que tinha acontecido)para o quarto. Lovely estava com a cabeça enfaixada e Ice também, alem de vários curativos pelo corpo.
                -Nossa Lovely, como você conseguiu manter a calma nessa hora
                -Eu não faço a menor ideia, eu nem sei se eu tava calma, ele ta vivo?
                -Ao julgar pelos gritos desesperados dele tentando tirar a flecha que atravessou o braço dele eu diria que ele está vivo- Ice disse rindo enquanto olhava pela janela.
                -Da próxima vez vai ser no seu olho, desgraçado- Giovana gritou enquanto assistia ao lado de Ice.
                -Giovana, pode por favor se manter superior? Francamente esses dois são uma vergonha para o nome dos cavaleiros.
                -Eu SOU superior, estamos muito ACIMA deles, hunf. E desde quando cavaleiros tem honra?
                -Nem todos são assim e os cavaleiros tem muita honra sim...
                -Legal, Giselle vai contar uma historia, eu amo as historias da Giselle-Kaila falou se sentando na cama de Lovely.
                “Há muito tempo nas montanhas geladas na Europa medieval cavaleiros eram pagos para matar dragões que devoravam as ovelhas e às vezes algumas pessoas- mas o que eles podiam fazer? Precisavam se alimentar, alguns foram enfeitiçados para ficarem do tamanho de gatos, daí surgiram os Gatos do vulcão como o gato da Kaila. Mas essa historia não é sobre isso, é sobre um jovem guerreiro que tinha sido contratado para matar um dragão que pegava pedras preciosas e os rebanhos. Depois de passar muito tempo procurando a toca do dragão, ele finalmente encontrou uma caverna no meio das montanhas, o cheiro de fumaça indicava que a toca era ali, quando ele entrou ele encontrou um imenso dragão, mas isso são era um problema tão grande, todo o bom matador de dragão sabe que a barriga é o ponto fraco. Quando ele cravou a espada na barriga do dragão percebeu que ele continuava vivo, o dragão cuspiu fogo e iluminou a caverna mostrando a sua barriga coberta de pedras preciosas que ele usava como armadura, o jovem guerreiro perdeu a sua espada e seu escudo por causa do fogo, quando ele achava que tinha chegado o fim o dragão arrancou uma das pedras do seu peito e jogou ao pés do cavaleiro, o dragão tinha dado um belo presente, mas agora ele estava desprotegido, o dragão tinha poupado a vida dele, ele seria nobre para fazer o mesmo?... Sim ele foi, desde aquele dia ele colocou a pedra em seu escudo para dar sorte nas batalhas e protege o seu companheiro, por isso que se um dragão lhe der uma pedra preciosa, é como se ele lhe desse a própria vida”
                -Cara essa historia é demais- Lovely disse abraçando Kaila
                -Ai socorro!!! façam ela me largar, está me sujando com essa melosidade.- Kaila gritou
                -Realmente uma historia emocionante- Karim disse entrando no quarto.
                -Karim? O que está fazendo aqui?
                -Estava procurando vocês para mostrar o vestido de noiva da Borboleta Negra...
                Delina estava encantadora parecia uma fada de contos de fada, tinha o ar sombrio das fadas das trevas, não era completamente branco tinha alguns detalhes em preto e roxo, as costas eram abertas para as asas saíssem sem problemas,tinha alças que se amarravam na nuca e a saia do vestido tinha uma parte que podia ser tirada, fazendo com que o vestido ficasse mais curto.
                -Giovana me mandou fazer essa parte para caso ela precisasse sair correndo, em caso de emergência.- Karim disse apontando para a saia do vestido
                -Agora vocês acreditam quando eu digo que a Giovana é paranoica?-Ice disse baixinho para Giselle
                -Eu estou ouvindo, Ice- Giovana disse olhando para ela
                -E daí?- Ela respondeu
                Antes que Giovana pudesse responder (ou bater na Ice) Karim pegou ela pelo braço e disse:
                -E eu quase me esqueci do seu vestido, vai ficar adoráaaaaaaaavel...
                -Mas eu não quero que fique adoraaaaaavel...- Giovana resmungou

8 de fevereiro de 2012

O casamento da Borboleta negra- Capitulo 15


Zair estava procurando Lovely pelos corredores, mas de deparou com algo mais preocupante, Leandro.
-E ai Daniel? Já matou ela?- Ele quis saber
-Ainda não, ela pegou a minha fac...
Leandro tirou uma faca da manga e apontou para a jugular de Daniel
-Você quis dizer ESSA faca?
-Você poderia parar de baforar na minha cara? E parar de apontar essa faca para mim? Está me lembrando a filha da deusa do amor.
Leandro se afastou e jogou a faca em Daniel que criou uma raiz para parar a faca
-Melhor não desperdiçar a minha poção Daniel, sabe que eu não gosto de desperdícios.- Ele disse desaparecendo em um portal na parede.
Daniel continuou procurando Lovely pelo castelo, quando ele virou o corredor acabou batendo em Alex.
-Puxa, essa é a segunda vez que eu esbarro em você, o que está fazendo?
-Eu? Nada...
-Hum, você deveria conhecer os feiticeiros como você. Não é bom ficar muito tempo sozinho, você pode ficar maluco que nem a minha irmã
-S-Sua irmã? O que aconteceu com a sua irmã.
-Eu te conto se você concordar em fazer passar o dia comigo
-Você por acaso vai abrir um buraco na minha artéria?
                -Não- Alex disse soltando um suspiro- Só vou te apresentar algumas pessoas da escola
                -Eles são vampiros?
                -Você é a única pessoa mais desconfiada que a Ice.
                Enquanto isso Lovely estava lutando contra Ice, na arena, Lovely tinha paralisado ela e por isso ela não conseguiu a vitoria que faltava. Ice lançou cristais de gelo que fizeram pequenos cortes em Lovely
                -Ai, eu pensei que era só para eu te ajudar.- Lovely disse passando a mão nos cortes
                -Mas para me ajudar você tem que perder, mais precisamente entrar em coma
                -Espera, você vai me socar até eu desmaiar?
                -Viu? Você já pegou o espírito da coisa.
                -ICE!!!!! Chega de brincadeira
                Lovely fez plantas brotarem do chão e atacarem a fada do gelo, a casca da arvore pegou de raspão na pele de Ice o que fez um arranhão
                -A mira delas é horrível- Giovana disse
                -Não é tão ruim assim, elas estão errando de propósito, Lovely não teria coragem de machucar a Ice seriamente- Kaila disse
                -Mas e a ice?
                -Minha irmã parece cruel, mas ela não seria capaz disso. Ela só é meio chata as vezes
                -Esse ano você vai ter idade para lutar, não é Kaila?
                -É, vou poder tacar bolas de fogo nas pessoas!!!- Ela disse sorrindo- Giovana, para onde vocês vão agora que terminaram a escola?
                -Depende de cada uma, eu vou viajar com a Borboleta negra, vou voltar a ser a aprendiz dela e vou acabar com qualquer caçador que se atreva a perseguir uma fada.
                -E você Giselle?- Kaila disse se virando para a bruxa que estava distraída lendo um livro.
                -Hum? O que? Eu acho que vou viajar pelo mundo conhecer outras culturas e aprender outras línguas, sabe como é né? Sou uma esponja de conhecimento.
                Kaila olhou para baixo um pouco triste e disse:
                -Vou sentir falta de vocês...
                Giselle olhou para Giovana emocionada, mas antes que ela pudesse dizer alguma coisa Kaila terminou a frase.
                -Quem é que vai brigar enquanto eu jogo vídeo game e me ensinar xingamentos novos?- Ela disse com o seu sorriso Kaila.
                -É Kaila, você pode ser um amor, mas continua sendo a Kaila- Giovana disse rindo
                Kaila estava sorrindo mas logo parou, ela olhou para Giselle e perguntou
                -E a Lovely?
                -A Lovely? Eu não sei Kaila...
                -Ela vai entrar na faculdade e talvez não passe mais as férias com a gente, e se ela conseguir uma mestra ai ela não vai poder vir para Magictopia...
                -Não se preocupe Kaila, quantas fadas conseguem chegar a fase adulta sem serem mortas por caçadores- Giovana disse.
                -Isso significa que ela vai morrer?- Kaila disse com os olhos cheios de lagrimas
                -Giovana, definitivamente você não sabe acalmar ninguém- Giselle falou zangada- Não se preocupe Kaila, a Lovely não vai morrer tá
                -Não tão cedo- Giovana acrescentou
                -GIOVANA!!!!!
                -O QUE?? Não espera que ela viva para sempre né?
                -Vejam!!! a Ice neutralizou os poderes da Lovely
                Ice tinha congelado TUDO, a estratégia dela era fazer com que nenhum tipo de planta pudesse brotar no chão, mas ela havia se esquecido de uma coisa, lírios do inverno. Eles começaram a brotar do chão, os cristais das flores se soltaram e foram em direção a Ice.
                -Puxa Lovely, você não é uma fada tão frágil assim, mas eu ainda sou mais forte.
                Quando Ice desviou de todos os cristais, voou em direção a Lovely para dar um soco, Lovely voou e deu de cabeça com Ice.
                -O que aconteceu? Por que as duas caíram?-Kaila perguntou
                -Lovely meteu a cabeça dura dela na cabeça da Ice, essa deve ter doído.- Giovana disse
                -A Lovely tem uma mania de dar cabeçadas, né?- Giselle observou
                -É...
                -A gente não deveria levar elas para a enfermaria?- Gisele perguntou preocupada
                -Espera, vamos ver se elas tem um derrame- Giovana disse
                -Giovana!!!!- Gritou Giselle
                -Tá bem, vamos carregar elas para a enfermaria.

6 de fevereiro de 2012

O casamento da Borboleta negra- Capitulo 14


-Meu dever é treinar ela antes que a magia de Feile desapareça completamente
-PEGASUS!!!! Ela só tem 12 anos!!!!
-Feile cuidava de mim com apenas 10 anos e com 12 todos os animais de Magictopia a respeitavam, ela era mais digna de ser rainha do que aquelas três briguentas
-Diere é diferende dela, é verdade, mas não significa que seja inferior a ela, Feile exigia respeito e tinha autoridade, mas Diere só pede a amizade. É uma perda de tempo comparar as duas, e principalmente culpar as rainhas pelo que aconteceu, ninguém sabe o que aconteceu direito, mas nós estamos vivos e os alguns animais se salvaram.
-E tudo isso graças a ela... Aposto que Lovely e aquelas primas vão fazer a mesma coisa que aquelas rainhas fizeram.
-Pare com isso Pegasus, Diere é uma ótima fada, ela cuidou de você quando teve o chifre arrancado, ela realmente gosta de você, e sei que gosta dela também, senão, não teria deixado ela ajudar no parto do seu filho. Aliais acho que é exatamente por isso que não contou para ela que o filho era seu.
-O que está querendo dizer?
-Se ela soubesse que o bebê era seu ela saberia que você confia nela o suficiente para ela fazer o parto do seu filho, e você não quer admitir que se importa com ela
-...
-Meu amor, eu te conheço a muito tempo acho que até melhor do que você mesmo, é melhor ir pedir desculpas, antes que ela faça alguma besteira
-Diere... Você tá ai?- Lovely perguntou enquanto procurava Diere pelas partes mais desertas do castelo
-Vai embora- Ela disse
-Não vou, sabe por quê? Porque sou uma chata egoísta que não deixa as pessoas em paz quando elas querem ficar sozinhas, ou se matar, e se quisesse mesmo que eu fosse embora não teria respondido nada.- Lovely respondeu tentando fazer ela sorrir
-Me deixa sozinha.
-Não liga para o que o Pegasus disse, seja lá o que for.
-Ele disse que preferia que a antiga dona dele estivesse aqui ao invés de mim, no fundo eu sabia que era verdade... mas ainda dói...Eu gostaria de desaparecer.
-Diere, você sempre me levanta quando eu estou triste, já ouvi coisa que realmente machucavam, até de pessoas que eu gostava muito, como a Ice, mas você sempre me dizia para se levantar, agora eu vou dizer a mesma coisa, o lugar de uma fada não é no chão, nunca, nem para uma fada da terra, é no céu livre para voar. É isso que representa o nosso símbolo.
-Mas, o Pegasus acha que estou ocupando o espaço da dona dele.
-Olha, de certa forma você está, mas isso não significa que ele te odeie, se ele não acreditasse em você não estaria te treinando, ou deixaria você ajudar no parto, se bem que eu ainda estou impressionada dele ter deixado eu ajudar.
Diere deu um sorriso e disse
-Não sei o que eu faria se você para me animar
-O mesmo que EU faria, me mataria, ou teria a alma devorada por uma fada da nevoa macabra.- Lovely disse rindo
As suas começaram a rir juntas, Pegasus apareceu entre as colunas ainda com a cabeça erguida.
-Bem eu tenho que ir, se ele fizer alguma coisa eu posso morder ele, ou mandar o Alex morder- Lovely disse saindo.
 -Ela falou serio?- Pegasus perguntou um pouco confuso
-Claro que não, seria uma grosseria, ela só morde pessoas da família.
Pegasus ficou com vontade de perguntar por que ela morderia alguém, mas era melhor não, tinha algo mais importante para fazer.

4 de fevereiro de 2012

O casamento da borboleta negra- Capitulo 13


-Zair, você segura essa toalha para a gente enrolar o bebê e limpar ele.
-Na Diere, você tem certeza que sabe o que está fazendo?
-Não se preocupe Lovely, unicórnios sabem dar a luz sozinhos, não precisam de ajuda, mas é sempre bom ter uma fada dos animais por perto.
-Ah, tá
Diere foi ajudar a unicórnio a dar a luz depois de um tempo um bebê unicórnio, Lovely apoiou a cabeça da mãe em uma almofada de folhas. E foi ajudar a limpar o bebê, ele era dourado, mas parecia um pouco mais escuro, algo como bronze
-Ai que coisa mais adorável- Lovely disse segurando metade do corpo do bebê enquanto Zair segurava a outra parte.- Ele é tãaaaaaaao fofo!!!!
-E ela começou de novo- Pegasus olhou para Lovely incomodado com o jeito dela.
Diere riu um pouco com o comentário dele, mas Zair parecia um pouco assustado.
-O que ela tem?- Ele perguntou
-Ontem nasceram flores que representam a Lovely e ela ficou durante um tempo meio... Lovely demais, ela também fica assim quando vê um filhote, acho que funciona como um instinto materno.
-Ah Diere, você sabe como eu adoro filhotes, e as vezes eu não resisti a agir como se fosse uma mãe, não é bebezinho?- Lovely disse olhando para o bebê unicórnio- Eeeee, talvez seja efeito do pólen da minha flor-Ela disse limpando o bebê.
-Seu bebê é lindo Pegasus- Disse a mãe
-OQUE?????!!!!-Diere gritou
-Diere, fala baixo, vai assustar o bebê- Lovely pediu
-Esse bebê é seu pegasus?
-E se for? Não é da sua conta- Ele disse olhando um pouco zangado para a mãe do unicórnio
-Como é que você me traz para ajudar no parto do seu próprio filho e não me conta.
-Eu já disse que não é da sua conta
-Só por que eu não sou a sua antiga mestra, não significa que eu não goste de você
-Eu prefiriria que ela estivesse aqui ao invés de você- Ele disse
-Então eu já sei como resolver isso, me matando- Diere disse saindo correndo.
-De novo não- Lovely disse se levantando- Zair, termine o trabalho.
-Mas como eu vou saber o que fazer...
Mas Lovely já tinha ido embora deixando ele sozinho
-Pegasus, você foi muito grosso com ela- Disse a Mãe
O bebê saiu dos braços de Zair para beber leite, Zair se levantou, pensou em dizer algo antes de sair, mas não tinha certeza se eles iriam entender.

1 de fevereiro de 2012

O casamento da borboleta negra- capitulo 12


-Fico feliz de você ter concordado em me ajudar num parto de unicórnio Lovely, mas pensei que você viria mais cedo.
-Sabe como é né, eu durmo tarde e acordo só depois do meio dia. Puxa então é assim que é o campo dos unicórnios? A grama é tão macia
-Diere diga a sua amiga que se ela continuar deitada no chão ela pode se pisoteada por cascos de unicórnios- Pegasus falou
-An.... Lovely, eu acho melhor você se levantar, você pode ser pisoteada por unicórnios.
-Ah Diere, não seja boba, eu também posso ser pisoteada por centauros. Zair, você tem certeza que quer vir junto? Tipo, você já viu um unicórnio de verdade?
-Não, nunca...
“Ela não sabe que eu já usei chifres de unicórnios em meus feitiços, como ela poderia saber, ela acha que eu sou um novato que nunca viu nada de magia”
-Bem essa é a primeira vez q eu ajudo num parto de unicórnio, tipo eu nunca vi um unicórnio bebê, mas dizem que eles são dourados.devem ser muito fofos, Diere pergunta para o Pegasus se ele era dourado quando nasceu.
-Sabia que não era uma boa ideia trazer uma fada da terra, Diere manda essa matraca calar a boca?- Pagasus relinchou
-Ele disse que era- Diere disse meio tímida.
-Chegamos na clareira-Diere apontou para um lugar cheio de arvores com uma entrada escondida por folhas compridas e grandes
-Alguém pode me explicar o que faz uma clareira no meio do campo?-Zair perguntou
-Bem- Diere começou, não é uma clareira de verdade já que clareiras são áreas abertas no meio na floresta e isso é uma área fechada no meio de um campo.
-Ou seja é uma escureira- Lovely disse
-Pensei que ela tinha calado a boca- Pegasus disse meio irritado
Os quatro entraram na clareira (escureira)por fora parecia varias arvores  juntas mas por dentro as folhas impedia que o vento, o frio, e a chuva entrasse. Algo que não dava para ser notado por fora ela que haviam pedras entre as árvores.
-Parece com tijolos, provavelmente foi feito por uma fada da terra, tipo, arcores não crescem somente em um lugar, e pedras não se prendem a árvores sozinhas. Cara adoraria conhecer a fada que fez isso.
-Ei Diere manda a sua amiguinha parar com o turismo e vir aqui
Pegasus deitou ao lado de uma unicórnio branca diere começou a dar as ordens:
-Lovely, você vai acalmar ela.
-Como?
-Bem, você tem poderes parecidos com o do Daniel não é? Pode  meio que hipnotizar ela como o Daniel fazia.
-Tudo bem, mas eu nunca usei esse tipo de magia, e eu não gosto muito de fazer isso...
-É só para ela ficar calma e confiar em você.
“Meu deus, como ela é burra ela não precisa pensar muito para usar essa habilidade, se bem que pensar deve ser algo difícil para ela fazer”
Lovely apoiou a cabeça da unicórnio, e disse:
-Não se preocupe, vai ficar tudo bem- ela disse
Um brilho rosa apareceu nos seus olhos  ela piscou algumas vezes e seus olhos voltaram a ser castanhos.
-Ai, como é que o Daniel consegue fazer isso,  incomoda muito.
“Você se acostuma”- Ele pensou