29 de agosto de 2012

Sombras no metro de São Paulo- Capitulo 5


                Lovely saiu do trem cantarolando:
                -Me ferrei!! Me ferrei!! Eu to morta, eu to morta!! Caramba, como eu consegui perder elas tão rápido? Geralmente eu demoro um tempinho a mais. Bem, podia ser pior, minha mãe podia estar junto, ai sim eu estaria morta.
                Lovely olhou para os lados e viu um casal sentados no banco abraçados dormindo ela soltou um suspiro romântico depois um “blerg”
                “Lugar estranho para dormir”- Ela pensou.
                -Qual o problema menininha?- Um velho perguntou atrás dela- Não gostou do lanche?
                -Lanche? Do que o senhor esta falando?- Ela disse se afastando do velho
                -Você se “alimenta” de felicidade e amor, quanto mais pessoas ao seu redor estão felizes, mais forte seus poderes são.
                -Cara, você deveria diminuir o álcool, ou seja lá o que...
                -Não se faça de sonsa, pode enganar a todos com essa inocência, mas nós dois sabemos que você faria de tudo para que ninguém descobrisse que você não se importa com ninguém alem de si mesma.
                -Calma cara, você fala como se eu estivesse cometendo um crime.- Ela disse olhando para os lado confusa e assustada.
                -Alguma vez você já sentiu amor de verdade por alguma pessoa?
                Lovely pensou em Daniel, em Melody, Diere, Kaila e Ice, não tinha certeza sobre Daniel, já que não confiava completamente nele.
                -Esses não servem, você já pensou que o único motivo de você sentir amor por alguma fada era por causa do sangue que corre em suas veias?- Ele disse segurando o pulso dela
                -EI!! Me larga!!!
                -Sangue de fada, o mesmo sangue que liga todos os tipos de fadas existentes que fazem com que elas sejam quase como uma só.
                “O mesmo sangue que pode nos destruir com apenas uma gota”- A sombra pensou.
                Lovely gravou as unhas no braço do velho e entrou em desespero quando viu que seus braços estavam sangrando. O velho soltou o braço dela e Lovely recuou alguns passos colocando a mão no braço.
                -Seu coração é frio como o chão de concreto dessa cidade, a fadinha que vive falando sobre a frieza da fada do gelo, tem um coração mais frio que o próprio inverno.
                -Eu... sei- ela disse olhando para baixo.
                “Amor é para personagens de romances, o coração frio nunca se machuca ou se magoa, você nunca se magoou de verdade porque nunca teve um coração de verdade”
                -Eu sempre quis tratar todos com bondade, mas sempre pensei em torturas horríveis quando alguém me tratava mal, sempre fui vingativa, no fundo eu sempre fui cruel, talvez eu deva abraçar o meu verdadeiro ser...

28 de agosto de 2012

Poções: Ambrosia

Ai ai... Passei a tarde ontem pesquisando sobre a poção da amizade, engraçado que vários blogs falam que a poção da amizade leva alecrim, mas ninguém resolveu colocar a receita. Por isso eu resolvi pesquisar sobre Ambrosia.
Da primeira vez que ouvi falar desse prato foi num livro de mitologia grega, nele dizia que a Ambrosia era o prato dos deuses, ela dava imortalidade a eles. No livro que eu li dizia que ela era feita da fé dos mortais, ou seja os deuses era imortais porque os humanos acreditavam neles, acho que foi isso que o livro quis dizer.
Ela tinha o poder de curar e conceder a imortalidade, os mortais que experimentavam, tinham a sensação de extrema felicidade (parece chocolate) e podia ressuscitar os mortos só ao colocar na boca.
Porem se consumido em excesso a pessoa iria explodir (parece chocolate mesmo) em chamas.
Seu nome significa divino, imortal.
Existe uma receita para se fazer esse doce, mas eu não vou postar hoje, se quiserem que eu poste é só dizer nos comentários.

27 de agosto de 2012

Sombras no metro de São Paulo- Capitulo 4


                Diere saiu do trem e não percebeu os detalhes na ilusão das sombras, eles podiam imitar rostos de pessoas, mas não podiam criar rostos.
                -Lovely!! Ice!! Giovana!!! Elas sumiram!! Como elas sumiram?
                Diere viu uma garota parecida com a Lovely de costas, ela se aproximou dizendo:
                -Nossa, que susto, achei que eu tinha me perdido... Sabe onde estão as outras?
                -A Ice disse que tinha uma missão...
                -E porque ela não me chamou? Eu faço parte da equipe dela.
                -Ela disse que você vai atrapalhar. E acho que ela tem razão, o Alex é forte, e a Tama faz poções, mas e você? Pode falar com os animais, alem de ser uma ótima isca, afinal você parece uma donzela indefesa. Bem eu tenho que ir, vou assumir o trono como rainha, e é melhor eu parar de falar com pessoas normais.
                -Pensei que éramos amigas...
                -Uma rainha deve ver todos iguais, não posso ter amigos...
                Diere começou a cair num abismo escuro e varias pessoas que ela conhecia começaram a aparecer na frente dela, primeiro Pegasus.
                -Porque nunca mais apareceu nos treinos?
                -Eu... estava ocupada
                -Que seja, já consegui uma nova aprendiz, muito mais experiente que você, um fada dos animais selvagem.
                -Porque estão todos se afastando?
                -Não estamos nos afastando, é você que nos abandonou...
                Depois Horkeus apareceu com Taiff no colo
                -Vou leva-lo para a sala dos cavaleiros, tenho certeza que ficará muito melhor lá.
                -Vocês vão colocar uma sela nele!
                -Você mima ele demais, ele ficará melhor com a gente.
                -Taiff, vem- Diere disse abrindo os braços, mas o dragão desceu do colo de Horkeus e virou de costas para Diere caminhando ao lado de Horkeus.
                -Ninguém precisa de mim... Todos estão indo embora...
                “Você não precisa deles também” – Uma voz sussurrou no ouvido dela- “Amizade é uma mentira, todos eles queriam alguma coisa em troca, e quando conseguiram, eles te abandonaram”
                -Tem razão, não vou deixar ninguém passar por cima de mim, de agora em diante eu vou fazer de tudo para alcançar os meus objetivos,sem me importar com os outros.

26 de agosto de 2012

Mitologia:Hidra de Lerna


Hidra de Lerna
A Hidra de Lerna é um animal da mitologia grega,
a Hidra possui corpo de dragão e nove cabeças(algumas hitórias falam em 7 ou até mais cabeças)de serpente.
Quando se corta uma de suas cabeças,duas crescem em seu lugar e ela tem um veneno tão perigoso,que só da pessoa respirar perto dela,já morrerá envenenado.
A Hidra costumava ser encontrada no pântano de Lerna.

O nome Hidra  é derivado do grego hýdor,"água",Sânscrito udrá- "animal aquático"...



25 de agosto de 2012

Sombras no metro de São Paulo- Capitulo 3


                Conforme o trem passava correndo pelos tuneis um som agudo e muito algo ecoava no vagão. Parecia um grito de desespero, Giovana prestou muita atenção no som, e ouviu mais gritos agudos junto daquele, não era só o trem que estava fazendo aquele som, mas as outras estavam distraídas demais para notar qualquer coisa. Lovely estava olhando pela janela, um vulto passou voando.
                -O que foi isso?- Ela perguntou olhando para o lado de fora
                -É agora...- Giovana disse sacando a adaga
                A luz do vagão se apagou durante alguns segundos, as lâmpadas do lado de fora também estavam apagadas, Lovely e Ice se abraçaram e soltaram um grito. Quando a Luz acendeu de novo Giovana soltou um suspiro de alivio e guardou a adaga rapidamente. As portas se abriram quando chegaram na próxima estação, mas alguma coisa estava muito errada e Giovana teve certeza disso, aos poucos ela foi percebendo os detalhes, a estação não tinha nome, as paredes e as placas não tinham nada escrito, ela olhou para as pessoas da estação e elas estavam sem rosto. Elas haviam caído na armadilha, Giovana estava sozinha na estação cheia de pessoas sem rosto. Uma delas se aproximou e começou a formar uma espécie de rosto que mais lembrava uma caveira, olhos fundos com um ponto vermelho, talvez as pupilas? Quem sabe? Uma boca cheia de dentes pontiagudos, a criatura começou a falar com uma voz aguda que podia estourar os tímpanos.
                -Bem que eu havia sentido uma presença familiar, venham ver meus irmãos, Giovana, a fada das trevas está aqui.
                O resto das pessoas começaram a mostrar a sua verdadeira forma e formar um circulo em volta de Giovana.
                -A quanto tempo não a vemos, 10 anos talvez? Não vemos o tempo passar mesmo. Da primeira vez que nos vimos você era apenas uma menininha e não quis se juntar a nós...
                -Gosto de ter meus órgãos dentro do corpo
                O monstro começou a rir bem alto com aquela voz, e disse:
                -Nós não temos mais órgãos, mas mesmo assim devemos agradecer por trazer fadas novas para a nossa casa, sabe... Hoje em dia nem a noite mais é escura, as pessoas não tem mais tanto medo do escuro.
                -Você não vai contar a historia da sua vida vai?
                -Não, só estou te atrasando...
                Giovana acabou se lembrando que estava com Lovely e as outras, todas estavam presas em uma espécie de ilusão, e se não acordassem, estariam mortas. Giovana deu um leve sorriso:
                -Agora lembrei- Ela disse- Vocês precisam quebrar o espírito delas, os poderes de uma fada estão muito ligados com o espírito delas, e esse poder pode matar vocês, mate ela por dentro para ela perder os poderes.
                -Infelizmente você já escapou de nós uma vez, e não podemos mais te matar por dentro, mas as suas amigas...

22 de agosto de 2012

Sombras no metro de São paulo- Capitulo 2


                Diere já estava esperando na entrada do metro, Lovely e Ice desceram do ônibus e olharam para a parte de cima do ônibus mas não viram Giovana. Ficaram olhando para todos os lados para ver se encontravam ela, quando a viram se aproximar correndo vestindo roupas sujas e rasgadas, assim como o seu cabelo estava sujo.
                -O QUE ACONTECEU COM VOCÊ??!!!!? Caiu do ônibus?!!!!
                -Estava conseguindo dinheiro para pagar a passagem do metro.
                -Foi procurar pedras preciosas numa mina por acaso?- Ice perguntou olhando ela de cima para baixo.
                -Não sei se eu quero saber como ela conseguiu o dinheiro.- Lovely disse olhando nervosa para os lados
                -Me vesti de mendiga e pedi esmola na rua, relaxa Lovely, eu assaltei ninguém- Ela disse tirando a poeira do cabelo
                -Ok, vamos entrar no metro antes que vocês resolvam me deixar louca.
                Lovely logo que passou pelas catracas correu até o ultimo vagão do trem dizendo que geralmente quase ninguém entrava nele. Ela estava certa, tirando elas só havia um homem dormindo em um dos bancos.
                -Não acha perigoso nós ficarmos sozinhas aqui?
                -Um pouco, mas qualquer coisa a gente sai correndo, e em ultimo caso usa os nossos poderes.- Lovely disse
                -Você vai ser coroada rainha, não deveria agir mais responsavelmente?- Ice perguntou
                -Deveria, mas esses serão os últimos dias que vou ter para ser a Lovely irresponsável, ai vou ter q ficar andando na linha, e morrer de tédio.
                -Qual seria a pior coisa que poderia acontecer com vocês- Giovana disse olhando seria para o lado de fora do metro.
                -Para mim- Lovely começou- Seria descobrir que estou sem dinheiro logo antes de comprar o meu lanche.
                Giovana parou de prestar atenção, sabia que elas não iam levar a pergunta a serio, o jeito era torcer para que nada de ruim acontecesse...

21 de agosto de 2012

Plantas: Alecrim

Alecrim ou Rosamarinus officialis, seu nome cientifico significa orvalho do mar. Geralmente cresce em solo de origem calcária.

Cultivo:
Ele não gosta de solos muito úmidos e nem de excesso de matéria orgânica, Precisa de um solo com boa drenagem e bastante luz. Pode ser colhida em qualquer época do ano, apesar de alguns preferirem na primavera.

Na medicina:
O alecrim pode ser aplicado como chá, infusão, inalação, pomadas, óleo, ou até mesmo capsula.
O uso interno como chá por exemplo, é usado contra gazes, tosse, e prevenção de doenças com Alzheimer. E o uso externo para tratar reumatismos
Há outros usos como tratamento de asma, anemia, bronquite, menstruação dolorosa, estresse, febre e também é usado como tônico cardíaco.



Na Magia
 É usado contra o mau olhado e pesadelos, quando colocada na fronha do travesseiro, e para atrair um amor quando colocado num patuá (não faço a menor ideia do que seja um patuá, mas parece que é um amuleto do Candomblé.
Seu planeta regente é Mércurio (era para eu ter adivinhado isso sem ler) é a erva do amor, da amizade, da juventude eterna, e da alegria de viver (fiquei com vontade de rir quando li isso).
Tocar na pessoa que você ama com essa planta faz com que ela te ame para sempre, e é usada em poções da amizade (preciso pesquisar sobre isso)

Na Culinária:
Fica muito bom quando usado para temperar carnes, como frango, carneiro e porco, manteiga, molhos em geral e batatas.
Jogar alguns ramos sobre o fogo do churrasco dá aroma a carne.
Há também um vinho com alecrim (depois que a Lovely fez 18 anos ta virando alcoólica sem nem beber), onde se coloca um pouco da planta numa garrafa de vinho tinto e deixar durante 21 dias bem fechado e selado com parafina, deitado e num lugar escuro. Depois tomar com um pouco de mel, esse vinho ajuda a clarear as ideias.

Outros usos:
Inseticida, colocar alguns ramos nas roupas evita o ataque de traças.
Cosmético: como chá ele nos cabelos deixa os fios mais saudáveis e evita a calvície, alem de escurecer os cabelos, e na pele restabelece o ph natural, també é usado na produção de perfumes

E ai? gostaram do novo formato do post de plantas? Bem mais organizado, se não gostarem eu volto para o estilo antigo. Eu sei que a Diere já fez um post sobre alecrim, mas estava meio que sem ideias...(Canta, Maria, a melodia singela, canta que a vida é um dia, que a vida é bela minha maria...)

Fontes:
http://www.criasaude.com.br/N2407/fitoterapia/alecrim.html
http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/alecrim/alecrim-1.php
http://www.astral.oxigenio.com/jardim_aromatico/jardim_alecrim.htm
http://plantas-medicinais.net/alecrim-beneficios-do-uso-medicinal-do-alecrim.html
http://jardimdamagia.blogspot.com.br/2009/07/alecrim-nome-cientifico-rosmarinus.html

20 de agosto de 2012

Sombras no metro de São Paulo- Capitulo 1


                -Nem acredito que vamos passar a tarde juntas fazendo compras!!!- Lovely dizia dando pulinhos e batendo as asas- Vou mostrar todos os meus lugares favoritos, a Liberdade, a Praça da Árvore, o Shopping...
                Ice estava arrumando a bolsa tentando ignorar Lovely
                -Você sabem mesmo como chegar lá?- Ela resolveu perguntar- Você não é muito boa em encontrar lugares.
                -Não seja boba Ice. Eu sou ótima em encontrar lugares, o problema é que sou ótima em me perder.
                Ice soltou um suspiro e continuou a arrumar as coisas. Giovana apareceu na porta da sala comendo uma maçã.
                -O que as duas estão fazendo?
                -Nós vamos fazer compras, quer ir com a gente Giovana?- Lovely perguntou.
                -Hum, vou voltar para um mundo cheio de humanos? Não, valeu.
                -Vamoooooos, vai ser divertido, nós vamos andar de ônibus, metro, ver lojas...
                -O que tem de bom em andar de ônibus... Espera, você disse que íamos andar de metro? Acho que eu vou ir junto...
                Giovana já havia passado por muitas coisas quando tinha que sobreviver na cidade, mas havia uma coisa que ela queria esquecer, infelizmente ela não podia se esquecer disso, não agora.
                -Só por curiosidade, a Kaila vai?
                -Não, ela tem aula.
                -Então nesse caso eu vou mesmo.
                -Credo, a Kaila não é tão chata assim, ela é tão fofa- Lovely disse
                -Eu não acho ela fofa- Ice disse- Depois ela começa a ficar muito chata
                -Tudo bem, a gente vai se encontrar com a Diere na entrada do metro, vamos logo...
                Lovely e Ice estavam dentro do ônibus Ice olhou para os lados procurando Giovana e depois perguntou para Lovely onde ela foi parar.
                -Ela teve um imprevisto e teve que ficar de fora.- Lovely disse olhando para cima distraída e um pouco preocupada.
                Ice acompanhou o olhar dela até o teto do ônibus e viu uma pequena abertura com uma adaga presa.
                -Ela está no teto do ônibus????!!!!- Ice disse tentado falar baixo
                -Eu ia pagar a passagem dela, mas ela se recusou, disse que não gostava do cheiro dos humanos... Acho que ela se referia ao perfume ou desodorante.
                -Mas isso serve pra deixar as pessoas menos fedidas.
                -Foi o que eu disse, ai ela respondeu “ Pois não está dando certo”, ai eu comecei a rir.
                -Quando vocês falaram isso?
                -Quando você tava no banheiro.

19 de agosto de 2012

Mitologia: Dama da meia noite


A dama da meia noite,é uma jovem vestida com um vestido vermelho ou branco.
Ela não aparece a meia noite,mas ela desaparece a meia noite.
É a alma penada de uma jovem,bonita e sedutora,que se aproxima dos homens solitários,
 deixando-os encantados.
Quando ela encontra um homem solitário,se aproxima, e logo pede para  que ele a leve para casa,o homem encantado aceita,mas então,ela o convida para entrar,mas logo que o homem percebe que é um cemitério,ela desaparece e o sino da igreja toca,avisando que é meia noite.

18 de agosto de 2012

Diere, um anjo?- Capitulo 6


-Ice!!! Isso era realmente necessário? Eu tava tentando resolver essa missão sem violência, faz parte de uma tarefa que Llana me deu, por isso eu trouxe a Giovana.
-Ah, eu não tava aguentando mais, ele merecia apanhar.
Lovely soltou um suspiro e se virou para Diere:
-Diere, que bom que você está bem!!!
-Diere... Esse..Esse é o meu nome!!! Eu sou Diere a fada dos animais!
Depois de explicar toda a historia, descobrir onde fica a base de pesquisas e Giovana apagar a memória deles, Lovely e Agenor estavam embaixo da árvore conversando.
-Isso explica porque os animais gostam dela, e porque ela pode ter habilidades de vários animais.- Agenor dizia olhando para cima
-É, acho que por causa da queda ela esqueceu como usar os seus poderes.- Lovely disse colocando flores no cabelo
-Existem outros como vocês?
-Ah! Um monte!!
-...Vocês vão levar a Diere embora?
-Ela pode visitar vocês quando quiser, mas não sei se vocês vão se lembrar dela...
-Como assim- Agenor disse se levantando indignado- O que vocês vão fazer com a gente?
-É complicado, nem todas as fadas querem que humanos tomem conhecimento da nossa existência, há algumas exceções, mas com pessoas como aqueles dois caçadores  andando por ai, fica difícil.
-Não podem fingir que nunca nos conhecemos?
-Podemos, mas existem criaturas que podem ler mentes, ou ver o futuro, não sei se daria certo, mas te garanto que Diere não vai se esquecer de vocês.
-Mas eu não quero me esquecer dela...
-Você vai embora Diere? Por queeeee?- Elisa disse jogando um pedrinha no rio.
-Eu vou voltar para visitar vocês, sinto muito mas acho que não vou poder falar um oi para a sua mãe. Mas saiba que ela está sempre perto de você- Diere disse sorrindo.
-Vou sentir a sua falta-Ela disse tristonha.
Agenor apareceu no rio e se sentou do lado de Diere, Elisa deu uma risadinha e foi embora correndo.
-Lovely me contou que eles podem apagar a nossa memória...
-Eu não queria que ela tivesse contado isso.
-Tudo bem... Não importa que decisão eles tomem, nunca vou me esquecer de você, para mim você será sempre o meu anjo.

15 de agosto de 2012

Diere, um anjo?- Capitulo 5


-Tinha umas pessoas procurando por você, mas eu já disse que você não passou por aqui- Elisa disse colocando a cesta de frutas no chão.
-Elisa!!- Um homem disse do lado de fora
-É o meu pai, se enconda- Ela disse baixinho- Oi papai!!
-Elisa, eu vou ter que sair de novo, já avisei o seu irmão, a janta já está pronta, você só precisam esquentar, eu sei que tenho saído muito esses dias, mas está difícil de encontrar um emprego para nos mudarmos.
-Mas eu gosto de morar aqui.
-Nós já falamos sobre isso, e não vá dormir tarde, você tem aula amanhã
-Tudo bem- ela disse meio chateada.
O pai dela saiu e Elisa voltou para continuar conversando com Diere, Mas quando ela se levantou as asas haviam encolhido para dentro das costas.
-Suas asas? O que aconteceu com elas?
-Hum?- Diere disse de virando, ela se espreguiçou e as asas apareceram de novo.
-Você pode esconder as suas asas quando quiser?
-Acho que posso...
-Isso é ótimo!!!! Você pode morar com a gente!!  Você gosta do meu irmão não gosta?
-Annnn.... Sim... acho que sim...
-Meu irmão também gosta de você, apesar dele não demonstrar.
-Que bonitinho, é mesmo uma pena estragar a festinha de vocês-Um homem disse entrando no celeiro, ele estava acompanhado com o outro caçador
-É o homem que estava procurando por você, e-ele tem uma arma.
“garras de lobo”Diere ouviu ecoar na sua mente, ela escutou um uivo e sua mão se transformou em uma pata e avançou em cima de um deles, o outro apontou a arma para Diere, mas Elisa pulou nas costas dele. Agenor ouviu os gritos das duas e correu para o celeiro.
-Quem são vocês? O que querem com ela?
-Isso não é da sua conta garoto, se eu fosse você pegava a sua irmã se mandava daqui e  fingir que nada aconteceu- Ele disse tirando Elisa das costas dele e jogando ela no chão.
Diere percebeu e ouviu novamente: “pele de dragão” um escudo de escamas se formou por cima dela como uma armadura. O caçador atirou, mas as balas nem arranharam a “armadura” dela.
-Porque querem machucar o anjo?
-Isso? Um anjo? Essa é boa- Ele disse rindo alto- A espécie dela está muito longe de ser um anjo!!!
-Não importa o que ela seja, é a garota mais incrível do mundo
De repende o caçador levou uma pancada e caiu no chão. Atrás dele estava Ice

14 de agosto de 2012

Receita: Vinho de dente de leão

Há um tempo atrás eu havia feito um post sobre dentes de leão, e havia falado sobre um vinho feito com a flor, bem eu encontrei uma receita:

Ingredientes:
7 litros de flores
7 litros de água
2 ¹/2 laranjas costadas em 4
1 limão cortado em 4
1 raiz pequena de gengibre ralada
1kg e 200g de açúcar
1pacote de levedura seca

Preparo:
Colha as flores e deixe no sol do meio dia para os bichinhos saírem e elas darem uma leve secada. Depois coloque em um recipiente de cerâmica e cubra com a água, tampe e deixe por 24 horas.
Coe para um caldeirão esmaltado, adicione as laranjas, o limão e o gengibre. Ferva por 30 minutos, coe e coloque o açúcar. Desligue o fogo e deixe esfriar, quando estiver morno junte a levedura, previamente dissolvida em duas colheres de sopa do liquido.
Cubra e deixe fermentar por mais ou menos 7 dias. Despeje em garrafões e deixe em repouso por um mês. Depois é só decantar para garrafas menores.

Fontes:
http://meuquintal.blogspot.com.br/2007/12/dente-de-leo.html
http://abrawicca.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=133&Itemid=154

13 de agosto de 2012

Diere, um anjo?- Capitulo 4


                -Elisa, você ainda não falou sobre a sua mãe, ela está viajando?
                -Ela morreu há dois anos.
                -Ah... Eu sinto muito...
                -Tudo bem, quando você voltar para a sua casa pode dar um oi para ela? As vezes eu sinto falta dela... Acho que nós já podemos sair- Ela disse subindo uma escada de corda.
                Lá longe um dos caçadores estava observando com um binóculo do alto de um morro.
                -Achei!! Sabia que eles estavam escondendo alguma coisa.-ele disse guardando o binóculo.
                Enquanto isso, Alex, Lovely, Ice e Giovana estavam passando por lá.
                -Foi uma ótima ideia pegar uma roupa da Diere e dar para o Alex farejar.- Lovely disse- Mas estou surpresa por você querer nos ajudar, Giovana. Você não gosta de ficar muito tempo no mundo dos humanos.
                -É uma oportunidade para eu testar uma habilidade que venho aperfeiçoando, apagar a memória. Se encontrarmos os caçadores posso fazer com que eles se esqueçam que nos viram, posso até fazer com que eles esqueçam  que são caçadores.
                -Não tudo bem, só faça com que eles esqueçam que nós existimos. E você Alex? Já estamos chegando?
                -Acho que sim. Ela está em algum lugar dessa fazenda- Alex disse se apoiando na cerca
                -Ótimo- Giovana disse subindo na cerca- Vamos entrar.
                -Não, não podemos invadir a fazenda, isso não é certo, vamos tocar a campainha e falar com os donos
                -Táaaaa- Giovana disse descendo da cerca- Odeio esse seu politicamente correto.
                Uma menina apareceu no portão olhando séria para eles
                -Oi – Lovely disse- Você viu uma garota de cabelo crespo, geralmente preso num rabo de cavalo?
                -Ela gosta de animais- Giovana disse
                -E pode se trasnformar em um- Ice disse
Lovely ficou olhando brava para Ice. A menina se assustou e ficou seria novamente.
-Não conheço ninguem assim- E voltou correndo para casa
-Ela está mentindo-Giovana disse.
-Ok, vamos fazer do seu jeito Giovana.

12 de agosto de 2012

Mitologia: Banshee


Banshees são fadas da mitologia Irlandesa,também conhecidas como a Senhora da Morte e a Branca Senhora das Dores.
Ela pode aparecer de três formas:uma jovem,um dama imponente, ou uma bruxa idosa. São conhecidas porque quando a morte de uma pessoa se aproxima,ouve-se um choro no quarto,durante a noite.Porém as Banshees só podem lamentar a morte se 5 importantes famílias Irlandesas: os O'Neills,O'Briens,O'Connors,O' Gradyz e os Kavanaghs.
Ela também pode aparecer como uma lavadeira,ela lava uma roupa manchada com sangue,da pessoa que irá morrer.è uma mulher de cabelos longos,e olhos vermelhos de tanto chorar...

Se quiser saber mais sobre as Banshees : http://www.religicionario.com.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=2113:mitos-da-irlanda-banshee&catid=72:abcde&Itemid=43

11 de agosto de 2012

Diere, um anjo?- Capitulo 3


                No dia seguinte Elisa e Agenor foram ver como Diere estava lá no celeiro. Para a surpresa deles varios animais estavam dormindo ao lado dela.
                -Bom dia- Ela disse abrindo os olhos meio sonolenta, que caras são essas?
                -Tem um gato no seu colo, e um monte de pássaros no teto- Elisa disse olhando para cima.- E o gato não esta tentando pegar nenhum deles.
                Os animais perceberam a presença dos dois ali e saíram correndo do celeiro, Agenor e Elisa tiveram que tomar cuidado para não pisar em nenhum.
                -O que foi isso?- Agenor perguntou confuso.
                Mais tarde os dois caçadores de antes passaram na fazenda de Agenor e Elisa, Elisa estava colhendo flores e algumas frutas para levar para a fada, quando os dois homens perguntaram sobre Diere para ela. Elisa disse para esperar e foi correndo chamar o irmão.
                Agenor estava com Diere debaixo de uma arvore bem nos fundos da casa, os galhos estavam cheios de pássaros e alguns pousavam na mão de Diere.
                -Incrivel, como consegue fazer isso?
                -Eu não sei, parece que eles gostam de mim, e eu também gosto deles- Ela disse acariciando o passarinho.
                -Acho que vou te chamar de anjo, nós não sabemos o seu nome mesmo.
                Elisa chegou correndo e quase tropeçou.
                -Tem dois homens perguntando sobre uma garota de cabelos crespos e roupas que nem a sua, você os conhece?
                “Dara disse que existe uma base onde eles estão desenvolvendo uma tecnologia capaz de saber a diferença entre nós e humanos normais, vamos capturar esses dois, interrogar eles e entrar na base disfarçados para destruir a tal arma- Ice explicou
                Alex olhou para Diere mas quando ia falar uma coisa o teto da casa dos caçadores se rachou e ele caiu bem em cima de um deles”
                -Eu não sei... Mas algo me diz que não podemos confiar neles, acho que querem me machucar.
                Agenor foi até a frente da fazenda falar com os caçadores enquanto Elisa encontrava um lugar para esconder Diere.
                -Eu sempre me escondo aqui, é um pouco pequeno, mas acho que você entra- Ela disse entrando em um buraco no chão
                As duas caíram em uma camara bem espaçosa as parede eram feitas de pedras empilhadas uma nas outras.
                -Isso existem bem antes da nossa família começar a morar aqui, acho que era um poço ou algo assim- Ela disse acendendo uma vela.

9 de agosto de 2012

Tradições de aniversario

Meu aniverdario esta chegando e resolvi pesquisar um pouco sobre as tradições mais comuns, como assoprar a vela e fazer um pedido.

Dizem que a tradição de fazer um pedido ao assoprar a vela vem da antiga Grécia. O gregos faziam oferendas para acalmar a ira dos deuses. Eles costumavam fazer pasteis redondos a base de mel e pão na forma da lua cheia e colocavam velas em cima para representar o brilho da lua e ofereciam a deusa Ártemis e faziam um pedido, ao soprar as velas o fumo levaria o pedido até a deusa. Uma tradição feita no sexto dia de cada mês
Outra versão sobre a origem dos bolos de aniversario vem da Alemanha. No natal as pessoas faziam um pão doce na forma do menino jesus. Anos depois começou a ser usado em comemorações de aniversários, o bolo tinha uma vela a mais do que a idade da criança, isso representava a luz da vida. A criança tinha que apagar as velas de uma vez só e fazer um pedido que só seria realizado se ela não contasse para ninguém.

Fontes:
http://simceros.ning.com/profiles/blogs/qual-o-problema-de-se-fazer-um
http://bellsblog.wordpress.com/2009/01/08/porque-sopramos-velas-no-aniversario/
http://mundoestranho.abril.com.br/materia/como-surgiu-o-costume-de-apagar-velas-em-bolos-de-aniversario

8 de agosto de 2012

Diere um anjo- Capitulo 2


                Enquanto isso os outros estavam andando pela área onde haviam visto Diere pela ultima vez.
                -APOSTARAM CORRIDA???!!!!!!- Lovely gritou- Ficaram loucos??!! Quando isso pareceu uma boa ideia?
                -Na hora que a gente estava voando desesperados e gritando parecia muito divertido apostar uma corrida.
                -Lovely olha, são aqueles caçadores que estavam nos perseguindo- Alex apontou.
                -Ajam naturalmente, vou tentar enganar eles.- Ela balou baixo sem olhar para Alex
                -Bom dia moça- disse um deles, nunca a vi por aqui antes por acaso a senhora viu uma menina de cabelos crespos e usando roupa marrom, 13 anos mais ou menos?
                -Não, sinto muito mais não vi.
                O homem agradeceu e foi embora.
                - Pelo menos sabemos que eles não encontraram ela ainda.- Alex disse
                -Ei, Alex, eu ia te perguntar isso há um tempo, mas sempre esqueço. você gosta da Diere?
                -Eu? Não, ela é uma amiga
                Lovely deu um sorrisinho e começou a pular
                -Você gosta sim!!!
                -Vai te catar Lovely!!!!
                -Mais um perguntar... Você também gosta da Ice?
                -AHHHHHHHHH- Ele gritou batendo a cabeça numa árvore- Vamos voltar pra casa antes que eu acabe ficando louco!!!
                -Espera ai- Ice gritou lá na frente- Encontrei uma coisa!!!!
                Ice chegou correndo junto com Tama carregando uma borboleta de cristal amarela.
                -O amuleto da Diere- Alex disse- O que está fazendo aqui?
                -Ela deve ter perdido, mas a pergunta é: Porque não voltou para busca-lo?

7 de agosto de 2012

Poções: Arroz de Afrodite

Pois é... To sem criatividade para posts então resolvi pegar uma das minhas receitas antigas e postar aqui.

Ingredientes:
1 ¹/2 xicara de arroz
1 Ramo de brocolis cortado em ramos
¹/4 xicara de azeite de oliva
1 punhado de cebolinha picada
1 pimentão vermelho cortado em cubinhos
1pitada de sal
1 cubinho de curry (eu usei karê suave)
¹/2 colher de cha de pimenta do reino
3 colheres de sopa de vinagre de vinho branco (eu usei o vinagre que tinha)
1 ¹/2 colher de chá de açucar

Como fazer:
Coloque 3 xicaras de água para ferver, quando estiver fervendo jogue o arroz e o brocolis e deixe ferver por 20 minutos. Escorrao e reserve.
Numa frigideira coloque o azeite para esquentar, acrescente o pimentão, a cebolinha, o sal e a pimenta. Refogue por 2 minutos e depois coloque o curry deixando por mais um minuto. Tire do foto e acrescente o vinagre e o açucar.
Despeje o arroz e misture bem.

Acho que esse prato combina bem acompanhado de alguma carne.

Fontes:
Acho q foi nesse site, mas não lembro direito: http://magiasefaznacozinha.blogspot.com.br/2009/07/arroz-de-afrodite.html

6 de agosto de 2012

Diere, Um anjo?- Capitulo 1


                -Perdemos ela Lovely.- Tama disse
                -Como assim perderam ela? Como conseguiram perder ela?- Lovely dizia balançando Tama.
                -Estavamos fugindo deles e de repente ela sumiu.
                -A essa hora ela já deve estar morta.- Ice disse cruzando os braços- Era uma missão perigosa, e a culpa é sua, se não estivessem tão ocupado para pegar essa missão a Dara não teria mandado a gente. Francamente mandar crianças para espionar caçadores?
                -Não, a Diere ainda está viva, eu tenho certeza- Alex disse.
                -Pois é- Continuou Tama- Fadas dos animais são incomuns, provavelmente estão fazendo experiências com ela.
                -Não quero saber a gente vai achar ela- Lovely disse decidida- Onde a viram pela ultima vez?
                Diere estava deitada em um monte de feno olhando para um buraco que avriu no teto de uma celeiro, suas asas doíam, mas não tanto quanto a sua cabeça, ela havia batido a cabeça com a queda e não lembrava quem era, de onde veio e nem como havia chegado ali, sem contar o fato de que não conseguia se mexer. Uma menininha chegou puxando um garoto pelo braço, ela devia ter uns 7 anos e os garoto uns 13
                -É um anjo,Gen, eu disse, ela tem asas!!
                -E-ela t-tem asas!!!-
                -Eu falei- A menina disse soltando a mão dele e se aproximando de Diere
                -Qual o seu nome?
                -Meu nome....? Eu não lembro... Ai, minha cabeça está doendo muito- Ela disse tentando se levantar...
                “-Vamos apostar corrida!!!- Ice dizia
                -Ei!!! Esperem por mim!!!!
                -Não deixem eles escaparem!!!!- Um caçador disse disparando uma bala que pegou na asa direita de Diere.”
                Os dois ajudaram Diere a se levantar,tinha alguns arranhões nos braços por causa da queda.
                -Meu nome é Agenor, essa é minha irmã Eliza. De onde você veio?- Ele perguntou.
                -Eu não lembro, acho que estava voando quando fui atingida e cai.
                -Ela tem um machucado na asa.
                Os dois levaram Diere para a casa deles para cuidar dos machucados dela.
                -Nosso pai saíu e só volta de noite. Você conhece outros anjos lá no céu?- A menininha dizia se apoiando na mesa.
                -Elisa, pare de incomodar a garota, ela não é um anjo- Ele disse olhando confuso para as asas dela.
                -O que mais ela poderia ser?

5 de agosto de 2012

Mitologia:Boto

A lenda surgiu na região amazônica.É um jovem bonito,charmoso,que encanta as mulheres,então quando elas finalmente se apaixonam,ele leva a jovem para a beira de um rio, e a engravida,então,antes que o sol nascesse, ele voltava para o rio e se transforma em boto.
Dizem,em alguns lugares do país, se um rapaz chega de chapéu em uma festa,pedem para que ele tire o chapéu,para terem certeza de quê ele não é o boto.

4 de agosto de 2012

Alex e o Lobisomem- Capitulo 15


                -E quanto a Marina? Ela já foi embora não foi?
                -Já, mas acho que no fundo ela ficou preocupada, talvez ela queria ser a sua amiga.
                -Duvido- Ela disse se levantando- É muito estranho ver você como um amigo.
                -Digo a mesma coisa, pelo menos tive minha revanche, e ganhei.
                Lovely deu um sorrisinho e disse:
                -É o que vamos ver na próxima lua cheia. Adeus Daniel...
                -Adeus Lovely.
                O sol estava nascendo quando os raios de luz tocaram o lobisomem, ele começou a se transformar de volta em um menino.
                -Você precisava matar ele?- Alex perguntou para a mulher.
                -Eu não matei ele- A mulher respondeu pegando o garoto semi desmaiado no colo- Só dei um tranquilizante.
                O menino se mexeu um pouco no colo dela e abriu os olhos- Mamãe?
                -MAMÃE????!!!
                -shhhhhhh, descanse meu amor, você teve uma noite agitada.
                -Você é a mãe dele?
                -Sou, meu marido era um lobisomem, depois que Juan nasceu eu sai a procura de uma fera que estava atacando pessoas,quando matei a fera, o destino resolveu me ensinar uma lição.
                -Você descobriu que seu marido era o lobisomem, e que seu filho também seria.- Diere completou
                -Uma vez por mês durante a lua cheia ele se transforma em um monstro selvagem e violento, nada pode curar, nada pode dete-lo.
                -A não ser a morte – Ice disse olhando para a espada
                -Desde aquele dia passei a matar somente criaturas que causassem algum mal a humanos. Um dia Juan vai se tornar forte demais para conviver com outras pessoas
                -E vai sofrer o mesmo destino do pai.- Tama continuou
                -Isso é um aviso para você pequeno vampiro- ela disse olhando para Alex- Não há cura para a sua doença, muitos caçadores já tentaram, mas nenhum conseguiu encontrar uma cura que não seja a morte.- Você e Juan serão o que são para o resto das suas vidas, criaturas como vocês podem ter saído de contos de fadas, mas na vida real as coisas são diferentes-Ela disse se virando e indo embora.
                Alex engoliu seco, Diere se aproximou dele e disse:
                -Ela está errada, nós vamos achar a cura para você e para ele também.

3 de agosto de 2012

Amuletos: Diamante Hope

Ouvi falar do Diamante Hope e resolvi fazer um post sobre ele.
Sua historia começa quando um mercador francês, Tavenier, o trouxe da Índia, Ele foi retirado da mina de Kollur. Diz a lenda que ele havia sito roubado de um templo hindu em homenagem a deusa Sita, a pedra estaria cravada em uma estatua representando os olhos da divindade.
O Diamante foi vendido para o rei Luis XIV da frança e foi cortado de acordo com o gosto da realeza. Ele foi passado por varias pessoas da realeza, até que na revolução francesa ele foi roubado e desapareceu durante alguns anos e reapareceu em 1812 (mas só foi confirmado ser o verdadeiro em 2005)
Seu nome veio de Henry Philip Hope, que o comprou para a sua coleção de pedras preciosas.
Atualmente está exposto no Museu de Historia Natural do instituto Smithsonian.
O motivo principal dele vir parar aqui no blog é por causa de uma suposta maldição...
Basicamente a lenda conta que por causa do roubo do templo, os sacerdotes jogaram uma maldição a todos que tocarem a pedra, todos que possuíram a joia, ou tiveram suas vidas arruinadas, ou morreram de forma trágica.

1 de agosto de 2012

Alex e o lobisomem- Capitulo 14


                Lovely não tinha certeza do que aquela flecha fazia, estava com medo, aquela provavelmente era uma flecha de medo, mas o que ela fazia? Ela lançou a flecha para descobrir. Ela acertou o braço, mas estranhamente não aconteceu nada, o braço dele nem chegou a sangrar. Lovely  tentou fazer outra flecha mas essa era a única que formava, Lovely lançou varias vezes a flecha mas não fazia nada. Depois ela tentou usar os seus poderes, mas eles não funcionavam.
                “Uma flecha de medo não funciona contra o inimigo, ela acerta a própria pessoa que lançou, cada flecha que ela lança a enfraquece, por isso ela parece cansada, e por isso não consegue usar os seus poderes” Daniel pensou “Se ela continuar assim, vai acabar se matando”
                Raizes começaram a brotar do chão rachando o concreto, as raízes tentaram tirar o arco de Lovely, mas por reflexo ela lançou mais uma flecha, dessa vez um corte apareceu perto do pescoço dela. Daniel fez com que as raízes segurassem o braço dela, quanto mais flechas ela lançava mais cortes apareciam, sem falar o fato de que ela não parava de se debater “Teimosia de fada da terra” ele suspirou consigo mesmo.
                -Lovely fica calma, para de se debater-Ele dizia tentando acalma-lá
                Lovely já não conseguia mais se mexer, as raízes apertavam os pulsos dela, Daniel se aproximou com cuidado, ela estava exausta, talvez por causa das flechas ou por estar lutando tanto para se soltar.
                -Você se acha tão forte, quase se matou agora. Olhe para si mesma. Estava tão distraída que nem percebeu que estava se machucando ao lançar as flechas.
                -Ahhhhhh claro, e você também não vai me machucar.
                Ele segurou no pescoço dela e chegou bem perto. Deu um meio sorriso e a beijou.
                -Não vou... Não agora.
                Lovely olhou confusa para ele, para tirar as duvidas ele mostrou a cicatriz que ice havia feito.
                -Não pode ser...- Ela disse espantada, depois ficou com raiva e deu um soco no braço dele
                -AI!! Ficou louca? Por que isso?
                -Eu quase morri naquele dia, babaca.
                -Desculpa, eu não sabia que Susti estava lá. E nem que os outros iriam me seguir e invadir Magictopia.
                -Mas fico feliz que esteja bem- Ela disse abraçando ele
                -Vamos deixe eu ver os cortes- Ele disse segurando o braço dela.
                Em um momento a ferida havia se fechado.
                -Onde aprendeu a fazer isso?
                -Quando tem que se virar sozinho acaba aprendendo algumas coisas uteis, produzir sua própria comida, aprender a curar de ferimentos leves.
                -O que vamos fazer? Leandro irá te procurar não é?
                -Creio que não, desde que eu não fique no caminho dele e cumpra alguns trabalhos, eu posso fazer o que eu quiser. Mas vou cuidar para que eles fiquem bem longe de Magictopia.
                Daniel soltou um suspiro ao se levantar
                -Ultimo dia de lua cheia, queria ter essa conversa antes, poderia passar o resto do tempo me divertindo.