4 de junho de 2017

Contos: A gratidão da garça

Há muito tempo em uma terra distante, vivia um jovem camponês, por viver na pobreza, seu único sustento vinha dos vegetais que cultivava em suas terras.

Um dia ele encontrou uma garça à beira da morte presa em uma armadilha, sentindo pena do animal o jovem a alimentou, cuidou de seus ferimentos e a libertou, antes de voar para longe a garça emitiu um canto como forma de agradecimento.

Alguns dias depois em uma noite fria de inverno, uma bela jovem bateu na porta do camponês pedindo abrigo, é claro que o rapaz deixou a moça passar a noite, e naquela mesma noite os dois se apaixonaram.

A jovem logo pediu para se tornar sua esposa, porém com medo de não conseguir sustentar sua amada o rapaz disse:"Eu sou muito pobre, não poderei cuidar de você", mas a jovem simplesmente sorriu e disse: "Não se preocupe, apenas construa um quarto de tecelagem para mim que eu irei produzir um tecido muito raro" ela fez uma pausa antes de continuar "No entanto, ninguém deve me ver trabalhar, nem mesmo você"

O homem concordou e sua esposa de trancou no quarto de tecelagem trabalhando sem parar durante três dias, no ultimo dia ela saiu do quarto carregando a mais bela peça de tecido que o rapaz havia visto, era delicado, brilhante, suave e decorado com temas exóticos, o batizando como "Mil penas de tsuru". Quando levou a peça para a cidade os comerciantes brigaram pela peça, cada um oferecendo uma quantia maior, o camponês voltou para casa com um saco cheio de moedas de ouro.

E assim os dias foram se passando, ela se trancava no quarto por três dias e saía com uma nova peça que era vendida por um alto valor, com isso os dois passaram a viver com conforto, embora a moça estivesse cada vez mais magra.

Um dia ela disse ao marido que teria que ficar um tempo sem tecer pois estava exausta e com dores, o rapaz acreditou nela, mas a sua ganância falou um pouco mais alto já que ele havia se endividado um pouco na cidade, ele insistiu para que a jovem tecesse só mais uma peça antes de descansar. no inicio ela se recusou, mas após muito persistir o marido conseguiu convencê-la de fazer mais uma peça.

Três dias se passaram e a esposa não havia saído do quarto ainda, o rapaz conseguia ouvir o bater do tear, mas o tecido nunca ficava pronto, com o passar dos dias o homem ficou cada vez mais preocupado, até que no sétimo dia ele quebrou a sua promessa e espiou por uma fresta na porta.

Ali, tecendo a peça estava, não uma jovem, mas sim uma garça, a ave arrancava as próprias penas e as usava para tear a peça. Esse tempo todo a sua esposa era a garça que ele havia salvo, voltando para casa o rapaz sentiu-se culpado por obrigar sua esposa a trabalhar mesmo estando tão cansada e amaldiçoou seu próprio egoismo.

Na manhã seguinte a jovem entregou a peça com uma expressão triste: "Eu queria lhe agradecer por ter salvado a minha vida, mas agora que você viu a minha verdadeira forma, eu não posso mais viver aqui com você" Se transformando em garça novamente a jovem voou para longe para nunca mais ser vista deixando seu marido em lágrimas.

Fontes:
http://cultura-japonesa.blogspot.com.br/2011/01/lenda-do-tsuru.html
http://www.cacadoresdelendas.com.br/japao/tsuru-no-ongaeshi-a-lenda-do-tsuru/
http://sunvera.deviantart.com/art/Tsuru-no-Ongaeshi-510319695

Nenhum comentário:

Postar um comentário