29 de maio de 2019

O Poço- Capítulo 3

Lovely não sabia como iria se livrar do fantasma de Leandro, ela não sabia nem como iria ter acesso ao livros de magia do castelo sem ninguém vê-la. Então por enquanto ela só estava voando... No meio do nada
"fantasmas não possuem te assombrar se você estiver no meio do ar certo?"

Ela se certificou de voar em um local deserto, ninguém ia para lá porque não havia nada lá. Ou era isso que ela pensava até ver um poço no meio do campo deserto.

-Um poço?- Ela se perguntou pousando.

O poço definitivamente era antigo, e tinha uma entrada onde deveria ficar a borda do poço.

- Que legal, parece até que ele leva para uma passagem secreta.

Quando olhou para dentro, ela viu uma porta de madeira redonda no chão do poço.

-Legal, mas nope, Eu não vou entrar aí de jeito nenhum...- Ela disse se virando para sair quando deu de cara com Leandro, ele abriu a boca e um grunhido estranho saiu,  o susto a fez perder o equilíbrio e cair dentro do poço.

Apesar da queda, ela conseguiu abrir as asas e evitar ferimentos graves. Quando olhou para cima ela viu o fantasma a encarando.

Ela olhou para a porta e acabou reconhecendo um dos símbolos da porta, ele impedia que fantasmas atravessassem, rapidamente sem pensar direito ela abriu a porta entrando e a fechando logo em seguida. 

27 de maio de 2019

O poço- Capítulo 2

Lovely encarava o vulto que agora não se parecia com um vulto, e sim com o feiticeiro que Lovely havia matado.

Ela correu para o seu quarto e ficou segurando a porta com as costas

"Ele é um fantasma!!!Ele é um fantasma e totalmente está aqui para se vingar!! O que eu faço??"

Ela deslizou até ficar sentada no chão,  foi então que ela percebeu que Leandro estava bem na sua frente.

-O QUE VOCÊ QUER?!- Ela disse erguendo os pulsos, mas antes que ela dissesse qualquer coisa, o fantasma desapareceu 

Ela rapidamente se levantou e começou a colocar algumas coisas em uma mochila. Quando terminou de arrumar a mochila, ela abriu uma gaveta e tirou uma boneca de dentro.

A BONECA cresceu até assumir tamanho e forma humana, e então abriu os olhos.

-Faz tempo que você não me acorda. Aconteceu alguma coisa?

-Não é nada, eu só preciso que você fique no meu lugar por um tempo.

- Tudo bem.

"Hum... as pessoas realmente acreditam em tudo quando eu minto"

-Só aja normalmente até eu voltar ok?

25 de maio de 2019

O Poço- Capítulo 1

Lovely estava nervosa. Todos achavam q ela havia esquecido de tudo,  todos achavam q ela estava sem poderes, mas isso não era verdade.

Supostamente ela deveria ter tido os poderes e as memórias removidas pela arvore das fadas, mas a árvore estava em dívida com Lovely, por ela a ter trazido de volta á vida.

"Fadas não gostam de dever favores"Ela se lembrou de uma frase de um livro.

Mesmo assim, tudo o que ela queria era esquecer, tinha muitas coisas sobre os eventos passados que ela não queria lidar agora.

"Uma hora eu vou ter que lidar com isso... Mas não agora" Ela dizia para si mesma, sem falar que a maldição que Leandro jogou nela impedia que as pessoas acreditassem em qualquer coisa que ela dissesse, a não ser que fosse uma mentira. 

"Para cada verdade que você disser as pessoas só ouvirão mentiras, para cada mentira que disser, todos ouvirão verdades, eles nunca irão ouvir o que é importante, e você nunca conseguirá falar o que eles precisam ouvir, essa é a minha maldição e que assim seja feito."

"Dava para desfazer a maldição com uma flecha, mas eles confiscaram o meu arco... Seria melhor se eu realmente tivesse esquecido de tudo"

Ela se jogou na cama "Tô tão cansada... Eu só queria dormir..." quando estava fechando os olhos ela notou a silhueta de uma pessoa parada no pé da sua cama.

"EU TÔ SOZINHA EM CASA!!!" Lovely se levantou, mas o que quer q estivesse ali, não estava mais.

"Tudo bem, tudo bem, não tinha ninguém ali..." Ela pensou em tentar dormir, mas já não estava com sono." Vou ver se tem algo pra comer..."

Ela foi até a cozinha, abriu a geladeira e ficou alguns segundos parada olhando para dentro da geladeira até finalmente desistir e fechar a porta e dar de cara com o vulto que estava no seu quarto antes.

Ela soltou um grito e caiu no chão, mas quando olhou pra cima, o vulto havia sumido.
-R-Realmente tinha alguém aqui!

Ela queria ignorar, fingir que nada havia acontecido, mas ao longo da semana ela percebeu que ignorar não adiantaria nada pois o vulto estava ficando cada vez mais nítido.

-Leandro!?

4 de maio de 2019

O Vendedor De Brinquedos- Capítulo 11

Ninguém mais chamava aquele lugar de Magictopia mais, esse nome lembrava Lovely, e era estúpido,  assim como a Lovely... Agora Giovana se referia a aquele lugar como...Casa....Embora ela quase nunca estivesse lá. 

Ela não estava a fim de pensa na garota, na boneca e principalmente na surra que eles levaram do feiticeiro, ela só queria voar e esquecer a noite anterior, no fim da contas ela acabou lembrando que Lovely ainda estava desaparecida

-No fim das contas nós não temos a menor ideia de onde ela está....

Ela nunca tinha voado pela aquela área,  não havia nada lá,  por isso Giovana ficou surpresa ao ver uma pequena construção no meio do nada

Era um poço,  ou pelo menos parecia um poço,  uma borda feita de pedras empilhadas, um telhado para proteger da chuva, a única diferença é que havia uma entrada, uma parte do poço sem pedras, no começo ela achou que o muro do poço havia desabado, mas ao se aproximar ela percebeu que o poço havia sido construído daquele jeito.  Outro detalhe eram as pedras, não eram pedras comuns, era runas e mais runas empilhadas umas sobre as outras, algumas estava desgastadas pelo tempo, mas ainda era possível ver o relevo.

-São... Runas de proteção?- Ela se perguntou, mas não tinha certeza.

Ela voou para dentro do poço e quase ficou surpresa ao ver uma porta redonda no fundo dele. Alguma coisa dizia que ela não deveria abrir a porta, mas a vontade de explorar um lugar recém descoberto era mais forte.

Ela abriu a porta mas quando ia usar a sua visão noturna para ver como era lá dentro, ela viu algo se aproximando muito rápido. Giovana entrou em panico e acabou saindo do poço sem fechar a porta.

O que estava dentro do poço saiu voando e pousou perto de Giovana. Cabelos pretos que costumavam ser longos, mas agora estavam curtos na altura do ombro, a trança caindo pela lateral do rosto ainda estava com o comprimento original, já as asas não tinham mais as pontas amarelo dourado e sim pontas lilás emoldurando um centro rosa e detalhes em espirais.

-LOVELY?!!!

1 de maio de 2019

O Vendedor De Brinquedos- Capítulo 10

Giovana não queria levar Felipe para a a casa de Giselle , mas devido às circunstâncias ela não teve escolha. Giselle tinha um pequeno apartamento no mundo dos humanos, cortesia do conselho das bruxas, e ficou bem preocupada quando Felipe apareceu dizendo que Giovana não estava enxergando 

-Ela foi atingida por um feitiço de luz,  em geral, fadas das trevas são vulneráveis a esse tipo de feitiço.- Giselle analisava os olhos de Giovana-Você vai voltar a enxergar, não se preocupe, mas foi irresponsável da sua parte abrir as asas sem motivo, fica fácil descobrir as suas fraquezas se descobrirem que tipo de fada você é. 

-No final das contas ele acabou levando até a boneca.- Felipe contou.

-Falando nisso, o rapaz da biblioteca me disse que você queria informações sobre bonecas enfeitiçadas.

-A boneca que o cara deu para a menina era de pano, mas quando rasgamos tinha um amuleto de pedra dentro.

- Era parecido com esse?- Giselle pegou um livro que estava em cima da mesa. Nele, havia uma ilustração semelhante ao amuleto que estava dentro da boneca.

- Era exatamente assim- Felipe disse apontando para o desenho.

- Isso é uma boneca guardiã. Antigamente algumas tribos de bruxas davam essas bonecas para crianças,  essas bonecas realmente agem como protetoras chegando até a matar se a criança estivesse correndo perigo.

- Isso explica os assassinatos e porquê o feitiço de rastreamento não funcionou,  não foi ele que fez essas bonecas, elas provavelmente são muito velhas, lembra? Aqueles que me criaram não fazem mais parte desse mundo,  mas porque ele daria artefatos tão perigosos para crianças humanas? - Giovana levantou da cama.

-Não sei, mas não é bom um feiticeiro ficar distribuindo objetos mágicos por ai, principalmente para humanos.

No dia seguinte Giovana resolveu sair sozinha para dar uma volta, ela é Felipe tinham passado a noite na casa de Giselle, mas ela queria caminhar para esquecer o ocorrido da noite anterior, sem falar que Giselle havia pedido que ela fosse comprar café da manhã. 

Quando estava atravessando a rua ela viu uma menina atravessar com uma pessoa... A mesma menina que havia desaparecido com o feiticeiro na noite anterior, mas o que mais assustou ela, foi que a pessoa que estava com a menina, lembrava muito a figura esculpida no amuleto.

Antes que ela pudesse se virar para questionar a menina, as duas já haviam desaparecido.

- Trouxe o seu café da manhã- Giovana disse jogando o saco de pão em cima na mesa, e abrindo a porta para sair novamente. 

-Onde você vai?

-Andar não foi o suficiente,  vou para "casa" voar.