30 de julho de 2011

Existe o amor verdadeiro - capitulo 8

Enquanto isso Giovana e Ice armavam um plano para destronar Emil antes mesmo dele ser coroado, Lovely só tinha saído há um dia e ele já estava criando novas leis.
                -Ice- Giovana começou- Sei que nós nunca nos damos bem, mas eu sei que você odeia tanto esse cara quanto eu.
                -É verdade, você acredita que ele vai proibir o uso de magia?
                -E que vai proibir os moradores de voltar para as suas casas? Bem eu não tenho casa, mas as outras tem...
                As duas pararam, alguém estava se aproximando,Ice se encostou na parede e fez sinal para que Giovana fizesse o mesmo. O salão secreto da escola ficava escondido por uma parede, só as pessoas mais próximas de Lovely sabiam onde ficava, geralmente era usado para coisas bobas como fazer lanches ou fofocar, mas agora Ice e Giovana estavam usando para armar uma revolta.
                -No três- ice cochichou- Um... dois... TRÊS!!!!
                As duas pularam em cima do intruso, as luzes se acenderam e Diere entrou logo depois no salão.
                -O que vocês estão fazendo com a Giselle?!
                As duas olharam para a garota de cabelos castanhos, sem perceber elas haviam atacado Giselle.
                -QUEREM FAZER O FAVOR DE SAIR DE CIMA DE MIM!!!!
                -O que vocês estão fazendo aqui?- Ice disse se levantando.
                -Armar um plano para destronar aquele folgado- Diere disse- Acredita que ele quer proibir dragões, só por que o Taiff mordeu ele, e eu não vou nem contar o que ele fez com a Kaila, tudo que representa um perigo para ele, é proibido, pobre Kaila, ele prendeu ela numa sela, eu nem sabia que existiam selas aqui.
                -Não existiam, ele criou
                -E a culpa é toda minha, eu sinto muito. -Giselle disse arrependida
                -Mas, espera, se ele foi mordido por um dragão ele não deveria morrer?- Ice perguntou
                -Essa é a pior parte- Diere disse- Ele arrancou o chifre do Pegasus.
                -Como ele fez isso? O pegasus é o unicórnio mais arrisco do mundo.
                - Foi um feitiço, ele criou homens de pedra antes de proibir a magia e fez com que eles  caçassem um unicórnio negro.
                -Isso é horrível, o chifre é onde fica a memória e a historia dele, a Lovely era mandona de vez em quando, mas ela nunca faria isso, esse cara é um maluco- Disse Ice
                -E mesmo que nós consigamos destroná-lo, a Lovely ainda corre o risco de perder os poderes. -Diere falou
                -A Lovely que se dane, eu não vou perder o meu quarto de gelo. -Ice disse

27 de julho de 2011

Existe o amor verdadeiro - capitulo 7

Ao dizer isso a garota se espantou, e o leve feitiço que ela havia feito para se parecer feia foi quebrado. Os olhos dela se tornaram violeta o cabelo dela agora era brilhante e saudável, a pele dela que antes descascava como se tivesse sido queimada agora estava mais limpo.
-C-como você sabe? Você é uma caçadora?
-Não se preocupe, eu também sou uma fada, uma fada das flores, com muitos problemas, Meu nome é Lovely,Lovelina Lótus, e o seu?
-Siel, meu nome é Karim Siel, mas qual é o seu problema?
                Lovely contou tudo sobre Emil e o desafio, e que se ela não conseguisse iria perder os poderes e seria expulsa.
                -Mas você parece jovem demais para ser uma fada madrinha.-Lovely disse
                -É, na verdade, eu sou só uma aprendiz, eu tenho que ajudar uma garota, uma garota que mereça a minha ajuda.
                -Eu tive uma idéia, vamos encontra uma menina que mereça a sua ajuda, e fazer com que ela se apaixone por alguém.
                -É uma boa idéia, depois da aula a gente se encontra na saída ok?
                Depois da aula Lovely teve que dar uma desculpa para a sua amiga de por que não podia ir para casa com ela.
                Karim estava de novo com o disfarce, era assim que ela evitava que pessoas fossem legais com ela só por causa da aparência. Era um truque bem comum e simples que as fadas madrinhas faziam.
                -Lovely!!!
                -Shhhhhhh, me chame de Tati.
                -Ah, desculpe Tati.

25 de julho de 2011

Existe o amor verdadeiro - capitulo 6

No dia seguinte Ela estava na escola procurando alguém que pudesse ajuda-lá, ela viu um casal abraçados, tirou um frasco da mochila e um um brilho meio ofuscado e púrpura apareceu dentro dele.
-Hum, eles só se amam pela beleza-Ela disse soltanto um leve suspiro.
Lovely olhou para um casal que era da sala dela, no ano passado ela era apaixonada por aquele garoto, ele se chamava Caio, pois ele era gentil, mas agora era um idiota, a namorada dela também gostava de irrita-lá, Karen.
“Só por que eles são chatos comigo não significa que não possam amar”- ela pensou abrindo novamente o frasco.
Um brilho agora cor de rosa apareceu dentro do frasco.
-Hum- Ela disse sorrindo- Quase lá, mas falta algo especial.
A garota olhou para Lovely com e estranhou o fato dela estar olhando para eles.
-O que foi, Tati? Está vendo fadas por acaso? –Ela disse se mostrando superior.
“Acho que já sei o que falta, mas eu não posso dar isso a eles”-Ela pensava, se levantou e foi andando. O garoto se levantou foi até ela dizendo
-Ela te fez uma pergunta, não vai responder?
-“Não tenho tempo para isso”- ela dizia a si mesma, enquanto desviava do garoto.
-Maluca- O garoto dizia enquanto Lovely se afastava.
Na maioria das vezes Lovely teria socado a cara dele, mas ela não podia se distrair, sua cidade e suas amigas estavam em perigo. Lovely voltou a realidade quando ouviu uma voz.
-Você é um idiota, me deixa em paz.
Caio estava irritando uma garota, já que Lovely resolveu ignorá-lo, a garota não era bonita, na verdade ela era muito feia, parecia até que ela era feia de propósito. Lovely podia ignorar Caio, mas não podia ignorar alguém que precisasse de ajuda.
-Deixa ela em paz.
-Tá bem, fica com a sua amiguinha, ela é estranha que nem você.
Depois que Caio foi embora a garota olhou para ela e disse.
-Obrigada.
-De nada, não liga não, ele pode ser muito chato as vezes, mas se prestar atenção você vai ver que ele é uma boa pessoa.
-Eu sei- Ela disse- Dá para ver pelo jeito que ele trata a namorada. Mas... Você precisa de alguma coisa?
-Como assim?
-Um desejo? Um sonho?
Lovely pensou um pouco “aparência estranhamente feia, consegue ver o interior das pessoas, e esta perguntando se eu tenho um sonho”.
-Você é uma fada madrinha.

24 de julho de 2011

Existe o amor verdadeiro - capitulo 5 (atrasado)

-É verdade Giselle? Ele pode fazer isso?
                Giselle lia um enorme livro de leis de Magictopia, nele continha as antigas leis criadas pelas antigas moradoras.
                -Infelizmente ele pode.-Giselle disse fechando o livro
                -Mas eu e Kaila também temos direito a uma parte do trono, não é?-Ice perguntou
                -Tem, mas se Lovely não conseguir, vocês podem ser expulsas do castelo.-Ela continuou.
                -Argh!!! Quando eu encontrar a pessoa que trouxe ele para cá eu vou...-Lovely disse
                -Errrrr...-Giselle interrompeu- Fui eu
                -O QUE? GISELLE!!!!-Todas gritaram espantadas
                -Foi sem querer, eu era a garota que ia se encontrar com ele, a gente conversava por cartas, mas ele sempre dizia que magia era uma coisa ridícula, então resolvi provar o contrario, não sabia que ele iria tentar se tornar rei.
                Todas ficaram em silencio durante um tempo, até que Giovana falou:
                -É impressão minha ou a Giselle errou pela primeira vez na vida?
                -E ai Lovely- Diere disse desviando do assunto- O que você vai fazer?
                -Ora, não vou deixar um babaca controlar a minha cidade e tirar os meus poderes. Vou arrumar as minhas malas,e só vou voltar quando eu conseguir encontrar a prova de que o amor existe.
                -Ou eu posso matar ele- Giovana disse
                -Isso não vai me impedir de perder os poderes.
                -Mas vai poder se vingar.
                Lovely fez uma mochila aparecer na sua mão se aproximou do portal e disse:
                -Eu vou voltar em uma semana, eu prometo
                Lovely entrou no portal que ficava na biblioteca e que dava para a sua casa. Uma menina estava sentada de frente para o computador.
                -Já voltou?-Ela perguntou
                -Aconteceu uns problemas, e tive que voltar mais cedo hoje, aconteceu algo que eu deveria saber?
                -Nada, hoje eu passei o dia inteiro no computador, como sempre, e a sua mãe esta assistindo novela.
                -Você já pode ir dormir.
A garota se transformou numa boneca e Lovely a guardou na sua gaveta, ela tinha sido criada para subtituir Lovely enquanto ela estivesse em Magictopia, ela foi criada para agir exatamente como uma humana, por isso era um pouco diferente de Lovely, e para que ninguém notasse a diferença entre as duas Lovely voltava uma vez ou outra para baixar as suspeitas. Lovely foi até a sala dar boa noite, colocou o pijama e foi dormir.
-Amanhã eu vou começar a minha busca.

21 de julho de 2011

Existe o amor verdadeiro - capitulo 4 (atrasado)

Durante o jantar Giselle e Giovana estavam com a boca cheia, então passaram um bom tempo sem se xingarem. Lovely colocou uma garfada de purê de batata na boca, Emil que estava sentado de frente para ela enrolando o macarrão começou a fazer perguntas.
                -Por que você se chama Lovely?
                -Por que sou a fada do amor.
                -E o amor existe? Ou é só uma ilusão?
                -Claro que existe.
                -Prove-me.
                -Você ama a sua mãe, a sua família e os seus amigos não é?
                -Isso não é amor.
                -Então é o que?
                -Eu estive lendo uns livros sobre leis deste lugar, e se um elemento não existir a fada que possuir esse elemento imaginário irá perder os poderes.
                -Como assim?-Lovely dizia um tanto incomodada com aquelas perguntas
                -Vou te explicar de um outro jeito, se em sete dias você não me trouxer a prova de que o amor verdadeiro existe, você perderá os seus poderes, e eu poderei governar essa cidade do jeito que eu quiser.
                Aquilo pegou Lovely de surpresa, num momento ela estava jantando tranquilamente e no outro estava sendo ameaçada de perder os seus poderes. Emil simplesmente levantou e foi para o seu quarto, antes de sair da sala de jantar ele se virou e disse:
                -Aliais, é uma pena que você não vai mais poder viver aqui, a comida estava deliciosa. Aliais, tenho que fazer grandes mudanças por aqui.

18 de julho de 2011

Existe o amor verdadeiro - capitulo 3

Diere estava ensinando Taiff a cuspir fogo e Giselle estava lendo quando as outras chegaram junto com Emil. Lovely estava bem alegre, sempre gostava de visitas, Giovana se sentia indignada por ter que dividir o mesmo teto com um humano, Ice estava mau humorada por ter que aturar um garoto durante alguns dias, já Kaila se mostrava indiferente.
                -Oi gente, quem é esse?-Diere perguntou.
                -Ele se chama Emil, A diretora disse que a gente teria que hospedar ele até ela descobrir quem foi o responsável por trazê-lo aqui.-Giovana disse
                -Dizem que pode ter sido uma garota da escola- Ice continuou
                - Ele me parece inofensivo- Giselle disse.
                -Foi o que eu disse, mas a Dara continua preocupada
                -Eu estou me sentindo um prisioneiro- Emil disse- Não tem um lugar onde eu possa ler, um biblioteca?
                -Eu gostei dele- Giselle disse
                Giovana revirou os olhos e disse:
                -Atrás daquela porta gigante.
                Emil entrou e passou o dia todo lendo, quase na hora do jantar, enquanto Lovely e Ice preparavam a comida, Kaila jogava vídeo game, Giselle, Diere, Giovana conversavam.
                -Eu gostei dele, já era hora de aparecer alguém que tivesse bom gosto. Que lesse um pouco ao invés de passar o tempo todo no computador ou assistindo televisão.
                -Não se esqueça do vídeo game- Kaila dizia sem tirar as os olhos da tela.
                -Bom gosto? O que ler tem de bom?-Giovana disse
                -Depende de que tipo de livro você lê, você deveria tentar, sei que você não sabe ler nem escrever direito, mas é muito importante, e eu posso te ajudar...
                -Bla,bla, bla, quando eu quiser ler eu peço para alguém ler para mim.
                Giselle revirou os olhos e resmungou algo como: “eu estou falando com um asno”
                -Eu ouvi isso Giselle, e mais uma coisa, eu não confio nesse garoto, nenhum humano merece a minha confiança.
                -Os meus pais são humanos, se você não sabe, e você também.
                Diere assistia as duas brigarem, na linha que a discussão seguia elas iriam começar uma guerra civil. Diere desceu as escadas e foi até a cozinha.
                -Ice, Lovely, a comida já ta pronta, acho que as duas lá em cima vão se matar.
                -Já Diere, já está pronta, pode chamar todo mundo

16 de julho de 2011

Existe o amor verdadeiro - capitulo 2

                Todas estavam espantadas, nenhum humano tinha conseguido entrar em Magictopia.
                -Eu não entendi- Samanta disse- Qual o problema de um humano conseguir entrar em Magictopia?
                -Da ultima vez caçadores entraram e destruíram Magictopia, por isso fizeram uma barreira para impedir que humanos entrem- Ice explicou
                -Mas como?- Lovely disse
                -É por isso que me mandaram te chamar, ninguém sabe como ele veio parar aqui.
                -Então é melhor irmos logo, eu estou curiosa- Kaila dizia enquanto subia as escadas.
                Na sala da diretoria era uma sala redonda, com uma mesa no centro e cadeiras encostadas na parede, tinha duas portas, uma que em que se entrava e outra que dava para o quarto da diretora havia um garoto e ao lado Giovana cuidava para que ele não fugisse, a diretora, Dara, estava nervosa, apesar de ser uma pessoa calma.
                -Lovely, ainda bem que chegou, não faço a menor idéia de como esse garoto chegou aqui, ele estava surtando no pátio da escola, Giovana o tranqüilizou...
                -Você quis dizer nocauteou- Disse Ice
                Giovana olhou para Ice e a esnobou, Ice deu um sorriso se sentindo vitoriosa por ter conseguido irritar a outra.
                -Que seja- Dara disse revirando os olhos
                -Ele não parece ser perigoso, por que me chamou aqui?
                -Mesmo que ele não seja perigoso, que saber como um humano conseguiu chegar aqui. Nós perguntamos para ele, mas ele disse que não sabe- Dara disse
                -Na minha opinião- Giovana começou- Ele está mentindo, aposto que ele é um caçador.
                -Espera- disse o garoto, eu nem sei do que vocês estão falando. E vocês disse que iria chamar a rainha desse lugar, isso é uma garota.
                -Isso tem nome, mal educado, e é Lovely, e eu não sou exatamente uma rainha, mas por algum motivo sempre me chamam quando tem problema.
                -Qual é o seu nome, Kaila perguntou
                -Emil Rian, Mas pode me chamar de Emil menininha
                -MENININHA?-Kaila disse ficando nervosa
                -Bem Emil-Dara começou- Você pode ficar aqui durante um tempo, mas tem certeza que não se lembra como veio para aqui?
                -Eu me lembro que estava esperando uma garota, e ai eu vim parar aqui.
                -Garota? Que garota?
                -Uma menina que me mandava cartas, a gente tinha marcado um encontro, mas por que eu estou respondendo, eu que deveria estar perguntando, que lugar é esse? E por que as pessoas voam?
                -Se chama Magictopia, e aquelas pessoas eram Bruxas e fadas voando, se não estivesse ocupado gritando também veria sereias- Giovana disse.
                -Lovely, tem um quarto para o nosso hospede no castelo de vocês?-Dara disse
                -NO NOSSO CASTELO???!!!-Todas gritaram

13 de julho de 2011

Existe o amor verdadeiro - capitulo 1


                -Feliz aniversario Lovely- disse Kaila
                -Obrigada Kaila, mas o meu aniversario é só no mês que vem, ainda falta bastante tempo.
                -Mas você não vai estar aqui, então estou adiantando.
                Lovely estava no pátio da escola, tomando o lanche, tudo estava muito tranquilo , ela tinha enfrentado um fantasma no meio do mês, mas desde que ela e Ice tinham derrotado os monstro que habitavam Magictopia, aquele era um lugar muito seguro.
                -Ei, Kaila, quer ver a Ice lutar? Dizem que uma amazona veio estudar aqui, e ela é muito forte, quase tão forte como a Ice.
                -Tá, pode ser legal
                Dentro da escola, havia uma arena onde os alunos lutavam, Ice estava lutando contra uma menina com uma tiara de penas, Ice estava com a sua espada, e a outra menina estava com uma espada feita de jade, a menina transformou a espada num arco e flecha e prendeu Ice na parede, ela apontou o arco virando uma espada novamente e disse:
                -Parece que eu ganhei.
                Lovely foram ajudar a tirar Ice da parece e disseram:
                -Nossa! Essa foi a primeira vez que eu vi alguém derrotar a Ice, que espada é essa?
                -Não é exatamente uma espada- Ela disse transformando a espada num colar de jade-Muito prazer, meu nome é Samanta.
                -Meu nome é Kaila, essa é a Lovely, e essa pendurada na parede é a minha irmã Ice.
                -Puxa essas flechas são bem difíceis de se tirar, Kaila, vem me ajudar- Lovely disse
                -Deixa que eu tiro- Samanta disse
                Samanta puxou as flechas como se estivesse arrancando pétalas de flores
                -Eu não disse que ela era forte Kaila?
                Diere chegou descendo as escadas e quase saiu rolando degraus abaixo.
                -Diere, o que aconteceu? Você ta legal?
                -Eu estou bem, mas aconteceu um coisa muito estranha... Um humano conseguiu entrar em Magictopia.
                -O QUE?!!

11 de julho de 2011

Kushisake a mulher de boca rasgada- capitulo 4

-Então foi isso que aconteceu? Como vamos descobrir como derrota-lá sem a Giselle?-Diere disse
-Eu não sei, acho que foi por isso que ela foi atrás da Giselle, de algum modo ela sabia que Giselle iria descobrir algum modo de derrota-lá.
As duas pararam de conversar, elas ouviram um barulho vindo do quarto de Lovely, passaram pelo corredor entrando no quarto, Melody dormia tranquilamente ao lado da cama, elas subiram as escadas e viram que em cima da escrivaninha havia um lápis escrevendo sozinho.
“Lovely, Diere, é a Giselle, escutem, nós estamos num lugar estranho, não ouço, não vejo, nem sinto nada, a kushi sake esta se alimentando dos nossos poderes, se vocês não conseguirem derrota-lá nós iremos desaparecer, eu li num livro que ela esta num tipo de transe ela não percebe o que esta fazendo, Você tem que chamar a atenção dela, talvez ela acorde. Se isso não for o suficiente faça o feitiço abaixo”
-Giselle é um gênio, vamos, eu tive um idéia... Diere?
Lovely se virou e viu a kushi sake parada perto da escada, ela parecia que estava sorrindo com aquele enorme corte, Lovely sentiu um arrepio só de pensar.
- cinco já foram, falta apenas uma, e você? Me acha bonita?
Ela olhou para os olhos dela, tinha um tom meio verde, Lovely precisava desviar do assunto de algum jeito.
-Por dentro você é horrível.
-Como assim?
-Você traiu o seu marido, por isso ele cortou o seu rosto.
Alguma coisa mudou, ela levantou os olhos e gritou fazendo as janelas tremerem.
-EU NÃO FIZ NADA!!!!
“Acho que estou conseguindo,ou cavando o meu tumulo”-Ela pensava
-Se você não fez nada, então porque está nos atacando?
Uma voz começou a soar pelo quarto e um homem apareceu atrás da kushi sake.
-Não escute ela, mate- a agora, foi ela que disse que você me traiu
Lovely percebeu, ela estava fazendo isso por que o ex marido mandava, provavelmente havia enlouquecido antes de morrer. Antes que Lovely pudesse fazer alguma coisa a Kushi sake tirou uma tesoura e jogou, a tesoura cortou a asa de Lovely, agora ela não poderia voar. Kushi sake pegou a tesoura e se aproximou lentamente de Lovely, mas Melody apareceu bem na hora e começou a lutar contra a fantasma.
Lovely pegou os ingredientes do feitiço que Giselle mandou, e começou a fazer um desenho, suas mãos estavam tremendo, mas ele não precisava ser perfeito. Melody foi lançada contra a parede, a mulher se aproximou dela ela virou o desenho que sugou o fantasma do homem, aprisionando ele lá dentro.
Os cortes na boca da mulher se curaram, e ela começou a desaparecer, estava livre. Com um leve sorriso ela disse:
-Obrigada.
Quando Lovely abriu os olhos todas estavam olhando para ela.
-Nossa Lovely, nunca vi você dormir durante uma historia de terror- Ice disse
Lovely olhou meio confusa e perguntou:
-Vocês estão bem?
-Claro que estamos, você é que está meio estranha -Disse Giovana
Lovely continuava confusa, será que ela tinha sonhado tudo aquilo? Ela olhou para um papel que havia em sua mão, era o desenho de um homem, um calafrio percorreu a espinha.
-É a sua vez de contar uma historia-Giselle disse
Ela se levantou e começou a contar sobre o seu estranho “sonho”, kushi sake, a mulher de boca rasgada.

8 de julho de 2011

Kushisake a mulher de boca rasgada- capitulo 3

A biblioteca de Magictopia tinha todos os tipos de livros, escritos por todas as antigas moradoras de lá, Giselle passava o dia lendo aqueles livros, e nunca chegou a ler todos.
-Deve ter algum livro aqui falando sobre como se pode derrotar um fantasma- Dizia Giselle
-A minha prima pode estar morta...-dizia Lovely
-Ela não está morta, diz aqui: Alguns fantasmas aprisionam fadas ou bruxas para se alimentar dos seus poderes
-Ótimo, melhorou muito, ela só está servindo de jantar.
-Quer ficar calma Lovely? Agora pegue aquele livro que está lá em cima -Giselle disse apontando
Lovely abriu as asas e voou até o alto da estante, ela acabou derrubando um livro que Giselle pegou e começou a folhear o livro, a expressa dela mudou, parecia que tinha encontrado o que queria, mas antes que pudesse dizer a Lovely que tinha encontrado a Kushi Sake apareceu na porta e a levou embora junto com o livro.
-Giselle, ta aqui o livro...Giselle? Onde você está?
Nenhuma resposta, Lovely percebeu o que tinha acontecido ao ouvir um grito agudo vindo da mesma sala que ela estava, o fantasma ainda estava lá...
Lovely correu pelas escadas o mais rápido que podia, ela chegou no quarto de Diere e ela estava com Taiff no colo, ela explicou o que aconteceu.
Enquanto isso kaila e Giovana estavam tentando acordar Chay
-Vamos Chay, você precisa acordar.
Uma sombra entrou no quarto de Kaila, as duas perceberam, mas o quarto estava muito escuro.
-Kaila!-Disse Giovana- Acenda todas as tochas do seu quarto.
As tochas acenderam iluminando o quarto inteiro e confundindo o fantasma, Kaila a acertou com uma bola de fogo, ela desapareceu por um tempo.
-Kaila, continue, vamos despista-la- Giovana dizia enquanto jogava esferas de energia.
A porta do quarto se fechou Kaila puxou com toda a força, mas tinha algo errado, a porta estava trancada, as tochas do quarto se apagaram. Giovana conseguia ver no escuro já que era uma fada das trevas a ultima coisa que viu foi o fantasma voando em sua direção.

6 de julho de 2011

Kushisake a mulher de boca rasgada- capitulo 2

Lovely observava um vulto passar pela porta do quarto e virar o corredor, seu coração batia forte e ela quase não conseguia respirar, ela tinha que avisar as outras, Giselle tinha dito que a maioria dos fantasmas não eram perigosos, mas e se aquele fosse?
Chegou na sala ofegando todas se viraram olhando para ela.
-Que cara é essa Lovely?-Ice disse- Está pálida.
-Preciso falar uma coisa...
Lovely contou sobre o vulto que tinha visto entrar pela janela e ir para o corredor.
-Mas nunca entrou um fantasma aqui no castelo.-Kaila disse
-Exatamente, é por causa de um feitiço que eu coloquei nas paredes e nas janelas do castelo. Mas a janela do quarto da Ice estava aberta.
Todas olharam para Ice.
-O que foi? Eu esqueci, e sem falar que foi o que Giselle disse, a maioria dos fantasma é inofensiva...
Ice parou de falar, ela olhava para a porta. As outras se viraram e viram uma mulher parada na porta, ela usava uma mascara cirúrgica, ela olhou para Ice e perguntou:
-Eu sou bonita?
Ice olhou para ela um pouco assustada e disse:
Ela tirou a mascara mostrando um rasgo na boca dela.
-Kushi sake...-Giselle falou baixinho
-Mesmo assim?
Ice tremeu um pouco e disse:
-Sim...
A mulher parecia que estava sorrindo, ela abriu a boca soltando um grito agudo, atravessou Ice fazendo-a desaparecer.A mulher evaporou no ar depois.
-O QUE ERA AQUILO?- Kaila disse assustada
-Ela se chama Kushi Sake-Giselle disse-É o fantasma de uma mulher. Ela pergunta para as pessoas se ela é bonita, se a pessoa responder que sim ela tira a mascara e pergunta de novo, se a pessoa responder que não, ela te mata, se ela responder que sim ela entende como sarcasmo e te mata do mesmo jeito.
-E O QUE ELA FEZ COM A ICE?-Lovely perguntou
-Eu não sei, pela resposta da Ice ela devia ter sido esfaqueada, mas a Ice simplesmente sumiu, eu não tinha visto isso na lenda, talvez ela seja diferente com pessoas como nós.
-Eu estou com medo -Diere disse
-Precisamos ir para a biblioteca, deve ter algum livro que fale como derrotar um fantasma.-Gisele disse
-Kaila, Diere, Giovana- Disse Lovely- Precisam pegar Melody, Taiff e Cháy nos quartos. Eu vou com Giselle pesquisar.

4 de julho de 2011

Historia de terror

Durante o inverno em Magictopia existe um costume em que as melhores amigas se reúnem para contar historias de terror e comer guloseimas, é claro que tudo fica mais divertido quando Lovely resolve fazer biscoitos.
Naquela noite fria Lovely, Ice, Kaila, Giselle, Giovana e Diere estavam reunidas na sala de estar do castelo, era uma sala grande com estrelas pintadas no teto arredondado, tinha uma teve grande que estava desligada, varias almofadas e pufes espalhados pelo chão, Lovely estava num pufe em formato de flor enrolada num cobertor, Kaila estava se escondendo debaixo de um cobertor, Giselle estava contando uma lenda assustadora que existia na cidade em que morava, Ice e Giovana também estavam com medo, mas não queriam demonstrar.
De repente todas ouviram passos vindos do corredor, uma mão apareceu na porta da sala e todas soltaram um grito.
-Por que estão gritando? –Diere disse, ela tinha ido na cozinha para pegar os biscoitos, todas estavam tão entretidas que haviam se esquecido dela.
-Por nada não Diere, a gente achou que você era um fantasma- Lovely disse
Diere começou a rir e disse:
- Bem, eu já coloquei o Taiff para dormir e trouxe mais biscoitos, esses biscoitos são deliciosos!
-Obrigada- Disse Lovely ainda ofegante por causa do susto.
-Não precisam ter medo, a maioria dos fantasmas não são perigosos, alguns gostam de dar sustos, mas é muito difícil encontrar fantasmas que queiram machucar pessoas.- Disse Giselle.
-Se humanos conseguem ser maus, por que os fantasmas não...-Giovana dizia até que Ice enfiou um biscoito na boca dela.
-ICE!!! QUE IDEIA É ESSA????!!!!
-Ah! Cala a boca, a gente devia estar se borrando de medo e não discutindo sobre a natureza dos fantasmas.-Disse Ice
-Eu preciso ir ao banheiro- disse Lovely- Não terminem a historia sem mim
-Tudo bem, eu conto para a Diere a parte que ela perdeu.
Lovely tinha que passar por um longo corredor que passava pelo quarto de Ice, Kaila, Diere até chegar no seu quarto.
Na volta ela sentiu um vento muito frio vindo do quarto de Ice, “O quarto da Ice não é tão frio assim” ela pensava, “Tem alguma coisa errada”
Lovely entrou no quarto, a neve que caia magicamente no quarto estava voando no rosto dela, geralmente a neve caia tranquilamente no quarto, mas agora ventava muito. Ela espremeu os olhos para enxergar alem da neve e viu que a janela que ficava em cima da cama estava aberta.
Ela correu para fechar a janela, mas ela era muito grande e pesada, quando estava quase fechando ela sentiu algo raspar na sua cabeça, a janela finalmente fechou, mas já era tarde de mais, alguma “coisa” tinha entrado...

2 de julho de 2011

Diere a fada dos animais- Capitulo 5 - A montanha dos dragões

                A montanha dos dragões era um dos lugares mais frios de Magictopia, as únicas plantas que cresciam lá eram os lírios do inverno, flores que Lovely usou para fazer a espada de Ice. Diere estava com o dragão no colo, Lovely havia dito que ele precisava do fogo da mãe, do contrario morreria de frio naquele lugar.
                -Onde é a sua casa?-Diere perguntou
                O dragão não sabia falar, ele era muito pequeno, apontou para um vale ao norte. Diere deu um passo, mas escorregou, ela soltou o dragão que como tinha asas começou a voar, se Diere não abrisse as asas ela iria morrer, não sabia como fazer isso, “ eu não consigo...” ela pensava. Mas antes que atingisse o chão, asas de gavião brotaram de suas costas e ela levantou vôo.
-Uau, eu tenho asas, eu posso voar.
Diere voltou para onde o dragão estava e os dois seguiram em direção ao vale, mas eles não estavam preparados para o que iam encontrar.
Quando estavam bem perto já dava para ver a cabeça da mãe no meio da neve, os dois correram para perto da mãe, foi quando Diere percebeu que ela estava morta se ajoelhou ao lado do filhote que chorava a perda da mãe e viu que ela tinha um corte igual ao que o filhote tinha, mas ela não tinha o antídoto, provavelmente foi atacada por outro dragão, isso explica por que o filhote estava ferido.
-Não se preocupe, nunca vou te abandonar... Taiff- ela disse pegando ele no colo
O filhote olhava por cima do ombro de Diere vendo a mãe desaparecer no meio da neve