15 de abril de 2019

O Vendedor de brinquedos- Capitulo 3

O abrigo era um prédio pequeno com alguns quartos, uma brinquedoteca, um escritório, não muito mais do que isso. Felipe havia convencido Giovana a usar uma ilusão para que os dois parecessem um casal de adultos não dois jovens aparentando ter 20 anos. A mulher responsável pelo abrigo foi muito simpática em recebê-los, Felipe inventou uma desculpa dizendo que estavam ali para investigar o caso enquanto Giovana cuidou dos distintivos que deveriam parecer reais 

-É realmente muito trágico todos esses crimes acontecendo, não consigo imaginar quem seria capaz de fazer uma coisa dessas, as pessoas de fora não fazem ideia de como é a vida de algumas crianças, muitas das crianças que são trazidas para cá vieram de lares abusivos- Disse a mulher com o cabelo preso em um coque enquanto guiava Giovana e Felipe pelos corredores 

-Soube que uma das crianças que sobreviveram foi mandada para cá. -Sim, não só elas, mas o irmão também, os dois estavam tão abalados, ela não disse uma palavra desde que encontraram ela, e o irmão parece ter distorcido os acontecimentos..

-Eles tem algum parente?- Leandro perguntou 

-Ainda não encontramos nenhum, ela parece também não querer se enturmar com as outras crianças. Geralmente ela passa o dia brincando sozinha, mas o que mais foi assustador no relatório é que ela possuía vários hematomas pelo corpo. 

 -O assassino a espancou?- Felipe perguntou franzindo a testa 

 -Não acho que seja esse o caso,- a mulher explicou- Pareciam marcas de semanas atrás, algumas já estavam se curando, mas outras pareciam recentes

 -Ela sofria abuso?!- Dessa vez foi Giovana que parecia incomodada com a situação

-Acreditamos que sim, não é raro nós recebermos crianças que viviam em lares abusivos.

-E nenhuma das crianças falou nada sobre o assassino?-Felipe continuou.
- Bem...

- Foi a boneca!!!- Giovana e Felipe trocaram olhares quando um menino que estava ouvindo a conversa gritou- Vocês estão investigando os assassinatos não é? Eu já disse que foi a boneca, ela criou vida de noite e matou os nossos pais porque eles batiam nela

-Lucas!!

-É verdade a minha irmã é uma bruxa ela trouxe aquela boneca pra casa e ela criou vida!!!

Uma das funcionárias levou o menino para outra sala enquanto a mulher se desculpava.

- Eu acho que o incidente deve ter sido tão traumatizante que ele distorceu os eventos.

-Tudo bem, mesmo uma história dessas pode ajudar na investigação...- Felipe disse agradecendo antes de irem embora.

Quando voltaram para o quarto de hotel que estavam hospedados, Giovana se jogou no sofá, exausta enquanto Felipe ligava um notebook. 

-Você acha que uma criança seria capaz de criar uma boneca que matasse toda a família? Aquela menina parecia humana. 

 -A maioria de vocês parece... - Felipe disse sem desviar os olhos do teclado enquanto digitava, mas acho que você tem razão, se fosse apenas um caso, talvez a menina fosse uma bruxa, mas são vários casos. 

-Sem falar que o garoto disse q ela trouxe a boneca de fora de casa.

 Felipe virou a tela do computador para que Giovana pudesse ler

-Bem, eu encontrei um relato nesse site de lendas urbanas e parece que o cara comprou um boneco que ganha vida durante a noite. Nós sabemos que é fácil dar vida á um objeto inanimado, fadas e bruxas usam bonecas iguais a ela para as substituírem quando precisam. Mas esse cara conta que comprou a boneca em uma loja, mas quando voltou para devolver a boneca amaldiçoada, a loja havia desaparecido, parecia que a construção nunca existiu. 

 -Pare de ler essas lendas, isso deve ter sido escrito por um idiota desocupado. 

 -Foi o que eu pensei, mas o autor do relato colocou um endereço, diz que fica no final de uma rua sem saída, rua orfanato 571, Não fica muito longe daqui podemos ir ver se essa loja realmente existe.

Nenhum comentário:

Postar um comentário