21 de outubro de 2018

Contos: Os dois Caçadores e a Saiona

Um conto de terror Venezuelano com um leve toque meu para o mês do terror

Certa vez dois caçadores decidiram passar alguns dias acampando nas montanhas, levaram bastante comida e caminharam o dia inteiro até o anoitecer, então,  acenderam uma fogueira, armaram suas redes e começaram a esquentar a comida e conversar um pouco, até que um dos caçadores resolveu falar sobre a sua namorada

-Ela é tão linda, seus olhos negros, sua voz tão delicada, sua pele...

-Ei!- Disse o outro- Pare de falar de mulheres compadre, não vê que estamos no meio da montanha?

-E daí? Não estou falando de qualquer mulher, estou falando da minha doce namorada, não estou sendo infiel

-Mesmo assim- Alertou o caçador-Você irá atrair a Saiona.

Assim que o segundo homem pronunciou o nome da Saiona, ele ouviram um assovio e passos vindo de longe e chegando cada vez mais perto até quem uma luz surgiu no meio da escuridão, e quanto mais se aproximava mais ela assumia a forma de uma bela mulher.

-Boa noite- Ela disse se aproximando da fogueira e sentando ao lado deles

-A Saiona!!- Um dele disse com um fio de voz com medo que ela escutasse.

Já o outro caçador estava encantado com a beleza da jovem, tudo nela o fazia se lembrar de sua amada, os olhos, o cabelo, o sorriso, tudo. Quando a fogueira estava começando a apagar, ele arrumou um espaço em sua rede e convidou a moça para dormir junto com ele, enquanto o seu amigo apavorado foi dormir na outra rede.

No meio da noite, sem conseguir pegar no sono sabendo que a Saiona estava bem ao seu lado, o caçador começou a ouvir gotas pingando, esticando a mão para fora da rede e tocou na rede de seu amigo para avisa-lo da chuva. Ela estava encharcada... Não só isso, ela que estava pingando... Levando as mãos até o rosto ele sentiu um cheiro metálico... Sangue.

Pulando da rede ele pegou uma lanterna e acendeu. Lá dentro da rede, estava o seu colega, pálido e coberto com o próprio sangue, com os olhos branco virados para o céu. Ele estava prestes a gritar quando viu uma mão ossuda agarrando na borda e uma caveira se levantando da rede, com duas chamas brilhando no lugar que seus olhos deveriam ficar, ela era a Saiona!!

Ele correu pela mata desesperado com a criatura atrás dele assoviando e chamando para a morte. Quando ele já podia sentir as chama de seus olhos tocando a sua nuca, ele avistou um córrego, o homem se jogou na água de braços abertos fazendo o sinal da cruz.

A caveira ficou olhando para ele, parada, e então com a mesma voz da moça ela chamou

-Venha...Venha...Venha..

O homem desviou o olhar e começou a rezar, a voz da caveira ela hipnotizante, mas ainda assim assustadora

-Venha... Venha... Venha...

Aquela voz fez a oração morrer em seus lábios e seus braço amolecerem, e então, quando a Saiona parecia prestes a pular em cima do homem, ele ouviu o canto dos galos, amanheceu! Ele estava salvo! A Saiona começou a gritar de frustração até que seu corpo desapareceu, como se tivesse evaporado no ar...

Fontes:
http://e-medonho.blogspot.com/2015/03/saiona.html
Neide T. Maia Gonzáles, Contos de assombração. São Paulo: Ática, 1995.

Nenhum comentário:

Postar um comentário