22 de fevereiro de 2017

Rox e Ivy- Capítulo 6

Alguns dias depois outra pessoa bateu na porta de casa, Eu achava que seria Roxane arrependida, mas não... Era a minha mãe.

-Ivone, quanto tempo...

-Sim mamãe- Eu respondi em tom sarcástico.- O que a senhora quer?

-Mas que filha desnaturada... Me tratando com tanta frieza, ainda mais depois que eu já perdi uma das minhas filhas...

Meu sangue gelou, parecia que o mundo havia parado- V-Você a matou....

-O que disse querida?- Ela respondeu

-COMO VOCÊ PODE???!!!- Eu saquei a minha varinha, mas as lagrimas que começaram a se formar me cegaram, ela me derrubou usando a bengala dela e mirando a ponta para o meu rosto.

-Escute aqui sua vadia, eu não tive nada a ver com a morte daquela ingrata, ela cavou o próprio tumulo.

-Eu não acredito em você!!

-Não me importo de você acredita em mim ou não, eu só achei que você gostaria de saber que sua irmã foi morta pela sua melhor amiga...

-Ca-Catarina?- Eu gaguejei, Catarina matou Roxane.

-Que escândalo... Tudo por causa de um homem, e humano ainda por cima- Ela riu- Mas devo admitir, o rapaz era corajoso e burro também, quem se atiraria na frente de um feitiço apenas para proteger a pessoa amada.

-Ela matou Cristiano também?

-É o que eu sempre tentei ensinar para vocês, amor é uma doença, ele só trás dor e sofrimento, olhe como a sua irmã acabou... É realmente uma grande perda- Apesar de suas palavras, era obvio que ela estava debochando.

-É só isso?

-Ah, você acredita que a feiticeira estava grávida?- Ela continuou rindo- Ela deixou um humano engravidar ela e depois morreu, HÁ!!!

-Há algo de errado nisso?

-Não, para uma feiticeira? É claro que não, só seria um problema se ela fosse a próxima na linha de sucessão das anciãs. Mas uma feiticeira como líder das bruxas ou magos, é quase tão ridícula quanto a ideia de ter a criança de um humano na linha de sucessão.

-Eu não tenho filhos, eu nem cheguei a namorar com um bruxo ou sei lá o que.

-Só espero que tenha entendido a mensagem Ivone- Ela sorriu- Ainda há esperança para você, livre-se da menina e eu lhe tornarei uma das anciãs apesar dos seus patéticos poderes.

Eu não sabia porque ela queria que eu continuasse a linhagem, não faria a menor diferença para ela, mas de uma coisa eu tinha certeza Néfele não estava segura comigo, eu tinha que levá-la para longe.

Dessa vez eu tive certeza de ocultar os meus poderes para que ninguém me seguisse, eu a deixei com um casal que não podia ter filhos, eles moravam na Inglaterra em uma casa afastada da cidade grande.


Eu sabia que ela seria feliz lá, pois em uma visão, eu ouvia uma jovem de cabelos cor de mel e olhos verdes me contando onde ela morava e o quanto ela amava seus pais, mas na minha visão ela havia me dito que seu nome era Giselle.

Nenhum comentário:

Postar um comentário