11 de fevereiro de 2017

Rox e Ivy- Capítulo 1

Se você perguntar para qualquer bruxa com mais de 40 anos sobre quem foi Roxane, ela simplesmente vai dizer que Roxane descendia de uma longa linhagem de bruxas malignas muito poderosas.

Uma bruxa talentosa que enlouqueceu e morreu por amor...
Ninguém viu a menina antes da bruxa, antes do poder e antes da obsessão.
Nossa mãe nunca nos amou...Mas mesmo assim posso dizer que a minha infância foi repleta de felicidade... Pois eu tinha uma irmã...

 Roxane e eu  fomos criadas pelas servas e empregadas de nossa mãe. Quando eu completei 3 anos e já sabia escrever com perfeição, minha mãe me deu um livro em branco que a partir daquele dia seria o meu livro de magia, esse foi o único presente que ela me deu em toda a minha infância.

Todos os dias eu pedia para uma das empregadas preparar alguns sanduiches enquanto Roxane colocava os nossos livros de magia dentro de nossas bolsas, junto com algumas canetas e nós saímos de casa sem que nossa mãe descobrisse, de qualquer forma desde que nós voltássemos, ela não se importava.

-Nuvens- Ela disse.

-Sonhos não definidos...

-Como assim?

-Sei lá... Quando eu olho para as nuvens, eu só vejo um amontoado de coisas brancas flutuando no céu, mas quanto mais eu olho mais elas parecem tomar forma, como se fossem objetivos que eu ainda não defini.

-Entendo... Para mim eu sinto como se as nuvens fossem preocupações que eu gostaria de mandar para longe... Diga algo abstrato dessa vez.

Quando bruxas são jovens e ainda não desenvolveram poderes, elas escrevem palavras e o que elas significam nas primeiras paginas do seu caderno. Isso de certa forma reflete em como nós vemos o mundo

-Amor- Eu disse.

-Amor?...- Ela passou um bom tempo concentrada, pensando, não era como se ela não soubesse a definição, ela apenas não sabia dizer o que aquilo significava para ela, realmente nenhuma de nós recebeu qualquer demonstração de amor. – O que é amor para você Ivone?

-Para mim?- Eu sabia o que era amor, eu já havia sentido- É você querer que uma pessoa seja feliz. - Eu sabia o que era amor, pois eu tinha alguém que eu queria proteger... Você.

Nossos dias seguiram assim ao longo dos anos, escondidas da humanidade na casa da líder das bruxas, esse era o nosso mundo e a nossa prisão.

Mas um dia Roxane estava encarando o horizonte com uma séria expressão- Quero ver o mundo lá fora.

-Enlouqueceu? Há humanos lá fora, e eles podem nos matar, sem falar que se eles não nos matarem, a mamãe com certeza vai.

-Ivone, no ano que vem nós iremos para a escola de bruxas, no futuro você vai substituir a nossa mãe como uma das três lideres das bruxas malignas, e bruxas malignas não recebem ordens de ninguém. - Ela disse caminhando em direção aos limites da propriedade, eu a segui com medo de que ela se perdesse, afinal, eu era a mais velha.

Assim que atravessamos os limites, a nossa casa que estava há alguns metros atrás de nós desapareceu imediatamente.- Nossa casa... Ela sumiu!!

-Deve ser a barreira que impede que humanos e outras bruxas encontrem a nossa casa.

-Sim, eu sei, mas como nós voltamos?- Eu dei alguns passos para trás tentando voltar, mas nada aconteceu.

-Eu já vi isso num livro de feitiços, nossa casa é cercada por uma barreira, qualquer estranho que tente passar por ela será teletransportado para o outro lado sem nem perceber. Como ela distorce um pouco o espaço é um feitiço muito difícil de fazer.

-Como fazemos para voltar? Deve ter alguma forma de entrar certo? Mamãe faz isso todos os dias.

-Acho que é uma palavra... Um dia quando nós estávamos brincando de esconde-esconde, eu  estava nos limites da barreira e ouvi a voz da mamãe dizendo “Manifestat Absconditum”


No momento em que Roxane pronunciou essas palavras, nós vimos uma silhueta de portal se formar bem perto de onde estávamos. - Essa deve ser a entrada- ela disse fincando um pedaço de pau no chão e amarrando um lenço vermelho na ponta para marcar a localização da barreira - Pronto, assim fica mais fácil de encontrar o lugar- Poucos segundos depois o portal desapareceu- Agora podemos explorar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário