17 de agosto de 2015

Como tudo começou- Capitulo 41

                Ele começou a rir- Não eu não acho, mas nem mesmo aqueles traidores irão escapar, nem mesmo você que fez de tudo para me derrotar e conseguiu vai escapar,  e a melhor parte, é que mesmo você sendo inocente, por causa da minha maldição ninguém irá acreditar em você.- Ele continuou rindo- me diga Lovely... Você sentiu culpa ao ver o quanto Ice estava magoada, e em ver como você destruiu as asas dela?
                -... CALE A BOCA!!!- Lovely não percebeu quando apontou uma flecha para Leandro e disparou, ela não percebeu  qual flecha tinha lançado, mas ela sabia o que estava sentindo no momento... ódio...
                “Raiva é um sentimento irracional, mas o ódio não é, ele irá destruir lenta e dolorosamente, mas cuidado com a flecha de ponta mortal... Pois a mesma dor que você causar você irá sentir e depois que a raiva acaba, tudo que nos resta é o arrependimento...”
                Ela sentiu quando a flecha perfurou o coração de Leandro, ela sentiu como se algo esmagasse o seu coração, e desse um nó na garganta, sua visão ficou turva e uma imagem começou a se formar.
                “-Quero que me tragam Leandro vivo- O Mago falou sério.
                - O...q...- Lovely sentia como se estivesse num sonho. Ela viu Giselle e os outros, os lideres dos magos e das bruxas também estavam lá, mas aonde? Ela viu Giselle e os outros saírem enquanto a bruxa se aproximava do velho.
                -Nós somos amigos há bastante tempo certo, e você não costuma ser tão... piedoso...
                -Do que está falando?- Ele perguntou desconfiado
                -Não banque o velho esclerosado comigo, posso ser mais nova mas eu não nasci ontem...- Ela fez uma pausa- Acho que isso é coisa de paternidade, não importa o quanto eles se percam nós sempre iremos ama-los certo?
                -Ele é o meu aprendiz, é a minha responsabilidade tudo que ele causou...
                -Isso não explica porque fazer questão de deixar ele vivo... Francamente não vejo como ele poderia viver por conta própria no mundo dos humanos, e ir para a prisão também não me parece adequando
                -Cordelia... Posso confiar em você?
                -Sinto-me magoada com tal pergunta, depois de todos esses anos?
                -Eu irei renunciar minha posição como líder dos feiticeiros, meus poderes e lembranças e passarei a viver no mundo dos humanos.
                -MAGIUS!!!!Você enlouqueceu???! Quem vai te substituir?
                -Eu nunca gostei desse cargo nem mesmo quando eu assumi, a imagem de perfeição, os deveres, os meus estudos acabaram por perder a graça. E a única vez que me senti vivo desde que assumi, foi quando Leandro se tornou o meu aprendiz, vamos concordar, eu estou velho e já chegou a hora de me aposentar, está claro que os magos não precisam mais de mim, mas eu tenho um aprendiz para guiar.
                A líder das bruxas sorriu e disse- Sei como é... Para nós é muito fácil se afeiçoar a um aprendiz, principalmente quando não temos filhos...Acho nobre da sua parte abrir mão dos seus poderes só para não deixar o garoto sozinho.
                -Eu gostaria de voltar...- Magius disse
                -Ele... Ia cuidar de mim...?... Depois de tudo que eu fiz, de tudo que eu disse, ele ainda se importava com o que ia acontecer comigo?- Ele começou a chorar- Essa flecha, ela está me rasgando por dentro... Argh!!!- Leandro gritou segurando o peito.
                -Leandro?!
                -Eu estou morrendo...Faça alguma coisa
                -Não há o que fazer era uma flecha mortal... Eu
                -E  essa flecha ai?- Ele disse olhando para uma flecha com ponta de cristal rosa arroxeado. Lovely não havia notado que estava segurando uma flecha, nem quando ela havia aparecido.
                “Milagres não surgem do nada, eles devem surgir de sacrifícios, ou nascidos da felicidade,  ela irá consertar qualquer coisa, por isso, não deve ser desperdiçada.”
                -Não... Essa flecha deve ser usada para consertar os problemas que você causou, eu vou usar para quebrar a maldição que você lançou em mim, assim as coisas vão melhorar.
                -Você é uma fada cruel Lovely... Tudo ia ficar bem, eu não ficaria mais sozinho, morrer sabendo tudo que você perderia, que você poderia ter sido feliz... Não há nada mais cruel...
                Lovely se sentiu sendo puxada para longe enquanto ouvia alguém chamando o seu nome- Ly... Ely... Lovely!!!
                -Uh... Daniel
                -Você parecia em transe o que aconteceu?

                Lovely olhou para o corpo caído de Leandro- ...Acabou... Ele está morto...

Nenhum comentário:

Postar um comentário