15 de agosto de 2015

Como tudo começou- Capitulo 40

                Não havia dor, ela abriu os olhos e não pode acreditar, a espada havia atravessado o seu peito, mas não doeu, e nem havia sangue, apenas uma sensação de que algo estava atravessando o seu corpo, como um fantasma, ou um certo tipo de calafrio.
                -Realmente uma espada que nunca irá me trair, ela não pode ser erguida por outra pessoa alem de mim, e não corta ou fere se não for a minha vontade. Infelizmente eu acho que vou precisar dela para matar o seu mestre, Leandro. E depois os outro impuro, deveria estar grata por eu ter mostrado tanta misericórdia com você.
                -Ice... Você não pode matar os impuros, nem todos são monstros sedentos de poder, eles não são diferentes de nós, me escuta, sua idiota!!!
                -Eles são completamente diferentes de nós, e você também, Lovely você escolheu o seu lugar nessa guerra, você é realmente uma pessoa desprezível, agora que Leandro está prestes a ser derrotado, você tentando voltar para o nosso lado?
                -É isso... Certo? Não importa o que eu diga você não vai acreditar... Deixe me dizer uma única coisa... Eu... Eu te odeio, eu gostaria que você morresse!!! Desse modo eu poderia governar essa cidade sozinha!!! E verdade Ice, eu pretendia ficar do lado que vencesse essa guerra e assim conseguir subir no trono.
                -Nossa conversa acaba aqui- Ela disse com lagrimas nos olhos e arrancando a espada- Adeus Lovely...
                Quando Ice se virou para ir embora, Daniel entrou no salão e a atingiu na cabeça
                -Você está bem? Ele perguntou quebrando uma das pedras de gelo.
                -Fique aqui e cuide dela- Lovely disse olhando para Ice desmaiada- Eu vou atrás de Leandro.
                Lovely entrou em uma sala escura com varias colunas, era difícil de enxergar, mas era o único caminho que Leandro poderia ter seguido.
                -Vamos acabar com isso logo.
                -Você descobriu o mesmo que eu....
                -Do que você está falando?
                -Não se pode retirar os poderes de uma pessoa quebrando o amuleto.
                -O amuleto não guarda os nossos poderes, ele apenas nos lembra sobre a nossa tribo.- Lovely assentiu, como se já esperasse o que viria
                -Mas nos dias de hoje ninguém mais lembra disso, os amuletos se tornaram o bem mais preciosos de pessoas como nós, depois que eu concordei em apagar a minha personalidade criativa, comecei a ficar cada vez mais frustrado comigo mesmo q minhas criações. Então eles acharam melhor quebrar o meu amuleto e apagar as minhas memórias, eles conseguiram quebrar o meu amuleto, mas eu fugi.
                -Com o tempo você descobriu que não havia perdido os poderes.
                -Eu achei injusto o modo como eles governavam, mentindo, arrancando os poderes de quem não seguisse suas regras, não acha cruel? Houve até uma limpeza nos arquivos das bruxas, eles queimavam ou rasgavam livros que continham feitiços que eles não aprovavam.
                Lovely parecia indignada, e soltou um riso sarcástico- Aqueles que deveriam ser os guardiões do conhecimento... Chega a ser bem engraçado para falar a verdade
                -Por isso eu resolvi me vingar, trazer de volta o brilho dos feiticeiros... compensar as injustiças.
                -E pretendia fazer isso obrigando as pessoas, quantos dos impuros foram forçados a se unir a você? Quantos escolheram  se juntar a você? Isso não está certo!!!
                -Cale a boca, eu sei o que eu estou fazendo.

                -Leandro, os magos vão chegar a qualquer momento aqui, você acha mesmo que você vai conseguir escapar dessa vez?

Nenhum comentário:

Postar um comentário