5 de agosto de 2015

Como tudo começou- Capitulo 36

                Giovana entrou na sala sendo recebida por Giselle- Onde estava? A reunião está quase acabando.
                -Como já esta anoitecendo eu estava... Reunindo o meu exercito
                -O que?!
                Varias pessoas começara a entrar na sala se aglomerando junto ao lideres das tribos, Giovana apagou as luzes ficando na completa escuridão- Eu lhes apresento... As sombras- As pessoas que haviam entrado na sala acompanhadas de Giovana agora tinham se tornado vultos de olhos vermelhos e fundos- Almas amaldiçoadas a fugir da luz... até agora, duvido que algum impuro terá alguma chance.
                Lovely vasculhava com cuidado e silencio o quarto de Leandro, o livro de feitiços dele tinha o nome de todos os impuros e seus respectivos amuletos, era assim que Leandro controlava os impuros, mas qual era o amuleto de Leandro? Se ela o encontrasse poderia forçar Leandro a se render... Mas talvez não fosse necessário encontrar o amuleto de Leandro... Ela pegou o livro e leu com cuidado cada um dos amuletos, Leandro os guardava num cofre, ela só precisava encontrar a chave. Ou quebrar a porta do cofre como se não fosse nada, provavelmente ninguém iria ouvir se ela fosse cuidadosa, Daniel havia levado Leandro para fora por algum tempo... Tempo o suficiente para ela devolver cada um dos amuletos secretamente para os outros impuros deixando em um lugar.
                -Por que está devolvendo o amuleto de todos?
                -Hum?!-Lovely se virou para encontrar uma garota de cabelos brancos, uma das aliadas de Leandro
                -Pretende causar uma revolução entre os impuros?
                -Não, apenas pretendo das uma escolha a eles- Ela disse sendo cautelosa- Se Leandro realmente tivesse a lealdade dessas pessoas, ele não precisaria ameaçar a vida delas.
                -Dizem que ser temido é melhor do que ser amado. Eu era um bruxa muito imprudente quando conheci Leandro, achei que poderia me infiltrar entre os impuros e derrota-lo sozinha, pode não parecer mas ele é um feiticeiro poderoso para a idade dele.
                -Qual é o seu nome?
                -Katlya
                Lovely leu o livro procurando o nome de Katlya, entrou no cofre e pegou um dos amuletos que restava- A questão não é o quanto de poder ele tem, Leandro é temido pelo seu controle sobre as pessoas, no momento que ele perder tudo, ser temido não vai ser tão bom assim.- Ela disse entregando o amuleto
                -Ele vai te matar...
                -Se ele me matar, vai fazer isso sozinho.
                Ice se olhava no espelho, havia buraco horríveis em suas asas, o acido derreteu uma boa parte das asas que agora estavam moles e se despedaçando, Alex usava um pano para remover o que restou do acido tomando cuidado para não rasgar mais
                -Alex, deixa... Isso não está funcionando
                -Se deixar assim ele vai continuar corroendo e os buracos vão aumentar, acho que seria melhor arrancar tudo e deixar crescer de novo
                -Minhas asas são afiadas como uma navalha, eu vou precisar delas para lutar, quero que elas permaneçam assim quando eu encontrar a Lovely.
                -Você é uma pessoa bem rancorosa... Isso me lembra, achei que a Lovely havia quebrado o seu amuleto...

                -Ela quebrou... Mas eu não sei como... Quando eu estava sendo engolida por um dragão eu senti ódio, me senti traída, algo me dizia que eu iria sair dali e acabar com tudo isso- Ela disse olhando para a espada- Que eu deveria aceitar que a Lovely nos traiu e tentou me matar, ela pode muito bem tentar de novo, mas dessa vez eu não vou deixar ela acabar comigo. Nós iremos tomar o castelo de volta...

Nenhum comentário:

Postar um comentário