18 de julho de 2015

Como tudo começou- Capitulo 28

Durante a noite Lovely pensava sozinha sem conseguir dormir- Diere vai morrer, ela não pode ficar naquela caverna por muito tempo..
-Lovely... Sou eu- Daniel disse entrando na sala, ela fingiu estar dormindo- Eu sei que está acordada
-Hunf! O que você quer?!- Ela disse sem se mover, Daniel sabia que ela estava sem os poderes por isso entrou na cela e soltou as correntes- Doí?
-Um pouco...- Ela disse esfregando os ferimentos- Nós temos que...
-Não! Nós precisamos sair daqui rápido, vou te levar para um lugar bem longe, ninguém irá nos encontrar.. Nós podemos.
-NÃO!!!!- Ela gritou- Eu não quero!!!
-O que você quer dizer com isso, Leandro já venceu, eu posso te tirar daqui.
-Ninguem estará seguro, pessoas irão morrer se essa loucura continuar. O que ele quer?
Daniel se sentou ao lado dela e suspirou- Eu não sei muito sobre ele, mas parece que Leandro não foi criado como nós, vivendo perto de humanos, ele viveu entre magos. Aconteceu alguma coisa para ele ser expulso e ter tanto rancor por outros magos ou bruxas.
-Nada faz sentido. Não acho que destruir o amuleto iria fazer com que os poderes desaparecessem.
-Por que?
-Essas pedras dizem o que nós somos, mas não podem dizer quem somos... Como os nossos antepassados usavam magia antes de criarem os amuletos..Eu acho que o amuleto está cravado na minha alma antes mesmo de nascer.
Lovely sentiu o seu peito quente e seu braço começou a arder- O que foi?! Aconteceu alguma coisa?- Daniel segurou o braço dela com cuidado- A criadora... Você estava perto dela, um fragmento ficou preso no seu braço.- Ele retirou a lasca, era branca como o tronco da criadora, mas não brilhava tanto, ela estava manchada de sangue. Quando Lovely tocou na lasca, entrou em transe.
“Um arco branco puro ligado ao meu coração por linhas de sangue, e flechas instáveis como os meus sentimentos, ele é uma verdadeira coroa, e toda a vez que eu lançar uma flecha, eu saberei o que o meu alvo esta sentindo, a angustia de não poder se mover causada por uma flecha de tristeza, o desespero da morte causado por uma flecha de raiva, a libertação causada por uma flecha de felicidade, qualquer coisa que eu dispare, eu poderei sentir. Este arco feito com a madeira da arvore das fadas puras, e cordas vermelhas do meu sangue, faz parte de mim, como se fosse uma extensão da minha alma”
Lovely recobrou a consciência, com um arco nas mãos, ela o observou com cuidado e o trasformou em um prendedor de cabelo, um coração de cristal com uma asa de folhas prateadas.
-Isso é?... Um amuleto?
-Isso significa que, quebrar o amuleto não te faz perder os poderes como todos pensavam...
-Tenho a impressão que Leandro esta enganando a todos os outros impuros, e eu tenho um plano para derruba-lo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário