15 de julho de 2015

Como tudo começou- Capitulo 27

                Giselle e Giovana foram para a escola de bruxas procurar amuletos de impuros e destruí-los, quando viram um elfo retirando um colar de coração de dentro do espelho.
                -Mais um?- Um colega dele perguntou
                -Sim, vou colocar com os outros.
                -Será que o nosso também está ai?
                Duvido, Leandro usa esses amuletos para nos controlar, se eu tivesse posse do meu amuleto, iria torcer o pescoço daquele feiticeiro.
                -Acho que todos nós pensamos assim, eu não consigo me lembrar da minha vida antes de me tornar um impuro. Eu era bem ingênuo na época que fiz esse maldito pacto... Mas acho que nesse mundo, não devemos confiar em ninguém.- Ele disse depositando o colar na sala.
                Giselle e Giovanna esperaram os dois saírem da sala e se afastarem, quando era seguro elas entraram-Será que não é perigoso nós começarmos a destruí-los agora? E se um dos guardas desse cofre for destruído e eles perceberem que estamos aqui?
                -Não se preocupe- Disse Giovana- Leandro nunca deixaria um guarda tão perto de seu próprio amuleto.  Contanto que façamos silêncio, não acho que eles vão nos descobrir tão cedo.
                -Você conhece muito sobre tradições das fadas não é mesmo?
                -Minha mestra tem um livro sobre tradições das fadas, nos dias de hoje, não é facil encontrar fadas por ai, então as tradições acabaram por não serem passadas.  Eu posso te contar algumas delas se você quiser, mesmo sendo uma impura, você continua sendo uma fada. E achei muito fofo você ter escolhido o colar da sua irmã como amuleto
                A menina olhou para Lovely confusa por um momento- Que irmã?- Ela respondeu
                “Ah, sim... eles se esquecem do seu passado ao fazer o ritual... Mesmo que ela tenha usado o colar, ela não lembra a quem pertenceu esse colar”
                -Quando você fez o ritual apareceu uma copia de você?
                -Sim, Leandro e os outros a levaram para outro lugar, disseram que iam cuidar bem dela...Lovely... Você acha que eles a mataram?
                -Você acreditaria em mim se eu fosse sincera?
                -Eu me sinto mais forte... Mas ao mesmo tempo tão vazia, você acabou de dizer que eu tinha uma irmã... Mas eu não me lembro dela.
                -Você não mudou muito, não perdeu seus sentimentos pelo que parece
                -Eu escolhi continuar como eu era, apenas perdi as minhas memórias.- A menina colocou a mão no próprio peito e fez uma expressão séria- Lovely... eu me sinto estranha..
                -Hey... Tudo bem?
                -Não... dói...Para
                -O que está acontecendo?! HEY!!! ALGUÉM!!!!
                A menina se deitou no chão- S-socorrro...Alguem... Faça parar...- Lovely viu a menina se desfazer no chão enquanto Leandro e Daniel entravam para limpar a bagunça.
                -Como isso é possível?... Ela morreu
                -Alguém destruiu o amuleto dela,  Daniel avise aos outros que estamos sendo atacados... – Finalmente se virou para Lovely dizendo- Deve ser obra de algum amigo seu. É uma pena, fadas do ar são realmente ingênuas, não é mesmo?  Ela acreditou em tudo que eu disse
                -Você é um monstro Leandro, o que pensa que está fazendo?
                -A culpa não é minha, são as suas amigas que devem estar causando isso, matando pessoas aleatoriamente apenas por serem impuros.

                -Deixe as pessoas serem o que elas são, elas não precisam de ritual nenhum para sermos todos iguais, as pessoas são precisam aprender a aceitar as diferenças.- Leandro saiu da sala sem dizer uma palavra- Ou isso tudo é apenas uma vingança pessoal sua?

Nenhum comentário:

Postar um comentário