4 de julho de 2015

Como tudo começou- Capitulo 22

                Leandro olhava pela janela do castelo em Magictopia pensativo, pensando no passado. “Feiticeiros possuem o dom e a maldição de criar, nem sempre suas experiências acabam em resultados agradáveis, mas eles são considerados muito especiais”- Meu... mestre me dizia isso, mas no fundo eu sabia que ele me desprezava, magos e bruxas temem os feiticeiros, pois eles não podem prever nosso movimentos, aposto que vocês mataram muitos feiticeiros durante os séculos, é por isso que feiticeiros são raros? Especiais?... Bem, meu feitiço pode fazer com que nos tornemos tão poderosos quando éramos há 1000 anos atrás, o que você tem a dizer sobre isso, mestre?
                -Os lideres dos magos e bruxas estão desaparecidos, não há nenhum sinal de magictopianos fora os que nós capturamos, qual será o próximo movimento?
                -Quero ver como eles iram reagir- Ele disse andando na direção de uma bola de cristal- Quero que me mostre os lideres.- A imagem formada era um pouco escura, sendo possível ver apenas silhuetas.
                -Consegue ver ele- Daniel perguntou
                -Quem?
                -O seu antigo mestre, ele era um dos lideres dos magos certo? Ele era como um pai para você não era?
                -Olhe como fala, nunca se esqueça de que você é o meu servo.- De repente ele parou, olhando fixamente para a bola de cristal- Parece que algo aconteceu, enquanto essas múmias estão discutindo, alguns resolveram se mover. Acho que posso tirar vantagem de uma certa fadas dos animais.
                “Acho que se passaram alguns dias desde que Lovely deixou Diere na fazenda, eu não voltei lá, nem voltei para o nosso refugio, também não vi a Lovely, talvez ela tenha desaparecido, não tenho certeza do que eu devo fazer, me sinto meio que traído pela Lovely, a não tem graça voltar para a base se Diere não vai estar lá, aliais acho que eu não sou bem vindo lá de qualquer maneira” Alex pensava consigo mesmo, ele estava há algum tempo andando pelos arredores da fazenda, decidindo se ia ver Diere, até que avistou uma figura familiar, Horkeus e Edru –O que eles estão fazendo aqui?- Alex se aproximou dos dois e tocou o ombro de Edru.
                -AH! Enlouqueceu moleque?!!!Eu poderia ter te matado!!!
                -O que estão fazendo?
                -Viemos procurar vocês, varias pessoas desapareceram sem dar noticia, alguns estavam ficando preocupados.
                -Diere deve estar nessa fazenda, foi aqui que a Lovely a deixou
                -E você sabe onde a Lovely está?
                -Não... Nós nos separamos.
                -Hum, pelo menos nós sabemos sobre a Diere, vamos até a fazenda.
                Alex esperava encontrar Diere tendo um momento romântico com aquele garoto, isso realmente o irritava, ele não queria ir até a fazenda, mas também não queria dar explicações para Horkeus. Infelizmente, o que eles encontraram na fazenda não chegava nem perto de ser uma cena romântica.
                Alex quase não reconheceu os corpos atirados no chão, dois deles provavelmente eram dos pais, Agenor...Esse era o nome daquele rapaz, ele estava abraçando uma menina pequena, Elisa, a irmã dele, provavelmente ela tinha sido morta antes do irmão, Alex se ajoelhou no chão passando a mão pela própria testa- Por que? Por que fariam uma coisa dessas?Onde estava Diere? Ela viu uma cena dessas? Ela não merecia ver algo assim. Oh céus, eu espero que ela esteja bem.
                -Quem está ai?- Uma voz veio do andar de cima, era uma bruxa seguidora de Leandro- Sabia que se eu ficasse aqui eu poderia encontrar mais magictopianos.- Ela disse com um sorriso. Mais duas pessoas apareceram no alto da escada.
                - Que historia é essa?! O que foi que vocês fizeram com essas pessoas!!??? E onde está a fada que estava nessa Ca...- A bruxa deu um tapa no rosto de Horkeus

                -Você não tem o direito de nos interrogar, acha que uma espada e um escudo te faz especial? Vamos ver o quão orgulhoso vai estar quando quebrarmos todos os seus ossos- Ela sorriu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário