29 de junho de 2015

Como tudo começou- Capitulo 20

                Giovana e Felipe tinham ficado invisíveis e entrado nos tuneis de metro, foram até o fundo e lá Giovana apagou todas as luzes dos tuneis, até que era impossível dizer se ainda estavam em um túnel.
                -Fique perto de mim, eu não sei se isso vai dar certo...
                -Vejam... a fada das trevas voltou e nos trouxe comida- Uma voz estridente parecia falar bem próxima de Felipe, isso o fez estremecer.
                -O que te tornou assim?- Giovana perguntou ignorando o comentário da sombra- Como você morreu?
                -Primeiro, acho que vou estraçalhar esse rapaz e...- Ele não conseguiu terminar a frase com Giovana o esmagando contra o chão.
                -Eu sou uma fada das trevas, sombras são apenas marionetes nas minhas mãos, apesar de demorar muito tempo para eu conseguir dominar essa habilidade contra amaldiçoados como vocês. Você não sente dor há séculos certo? Como é ter minhas unhas te rasgando como se fosse papel?
                -O que você quer de nós?- Felipe começou a sentir como se mais sombras estivessem os cercando.
                -Alguma coisa os tornou assim, quero saber o que foi.
                -Foram vocês. A guerra de vocês trouxe a nossa desgraça, Há muito tempo dois feiticeiros juraram duelar até a morte. Um deles criou uma maldição confusa e irreversível, uma maldição eterna que se espalha como uma doença e apodrece tudo que toca.
                -Parecido com um zumbi ou lobisomem, uma maldição que pode se espalhar entre inocentes. Algo que não se deve desejar nem ao pior inimigo.- Felipe murmurou
                -Algo que só um feiticeiro pode criar... os feiticeiros possuem a capacidade de criar. E a única cura seria a morte, a luz pode destruí-los- Giovana disse pensativa.
                -Mas a dor é tão penetrante que não poderíamos simplesmente nos matar.
                -O que você quer?- Ela perguntou à sombra
                -Matar todos os seres que vivem na luz para que eles sintam nossa dor
                “Isso... Era a resposta que eu procurava”- Eu perguntei o que você realmente quer. Sentir a luz do sol novamente?- Ela disse segurando a garra da sombra.
                - O que está fazendo?
                -Posso lhe oferecer um corpo humano, posso lhe oferecer a luz do sol- Ela dizia enquanto as sombras se transformavam e ganhavam forma humana- Não há como fugir já que posso controlar as trevas, Felipe, ligue a lâmpada.
                Felipe retirou uma garrafa arredondada e a sacudiu até que começasse a emitir um brilho forte e claro iluminando o túnel.
                - Essa lâmpada funciona por magia, então não há como vocês apagarem.

                Agora no lugar das sombras, haviam pessoas comuns, com roupas e aparência normais.- Minhas ilusões ultrapassam os limites físicos, elas podem ser tocadas e protege-los da luz. Vocês podem ter vidas normais se me ajudarem nessa guerra, ou eu posso retirar a ilusão e deixar que sejam destruídos.- Ela sorriu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário