17 de junho de 2015

Como tudo começou- Capitulo 15

                “Encontre ajuda, o mais rápido possível, Ice, Diere, Giovana, qualquer um” Alex pensava enquanto corria entre as arvores.
                -Você é muito lerdo pirralho- Daniel disse derrubando Alex no chão- Lovely iria me matar se eu fizesse algo ruim com você.
                -C-como você deixa ela sozinha com aquele louco?
                -Está mais preocupado com ela do que com si mesmo?
                -Você não é uma pessoa ruim, sei que não vai me machucar, por outro lado você é um idiota por ter deixado a Lovely sozinha.
                - Tenho meus motivos, e ela deveria aprender a se virar sozinha, eu recebi ordens para te matar, se eu deixasse você escapar vivo Leandro poderia desconfiar de algo.
                -Você é o cachorrinho dele?- Alex zombou enquanto se afastava em direção a um conjunto de arvores muito próximas.- Não tenho tempo para perder com você a Criadora corre perigo.
                Aonde pensa que vai?- Daniel o seguiu e acabou percebendo que ficou preso entre os troncos- Você é burro de nascença, ou abaixou a guarda porque eu sou uma criança? Lovely disse que é muito difícil andar por entre essas arvores, mas eu sou pequeno e magro e consigo passar facilmente, ao contrario de você que é um babaca cabeçudo- Ele disse cutucando a bochecha de Daniel.- Diere, consegui- Ele disse chamando a fada dos animais.
                -Não vamos machuca-lo Daniel, só precisamos saber o que exatamente Leandro quer fazer.
                -Diga por você mesma- Ice disse erguendo a espada- Se não começar a falar agora, eu irei te fazer em pedaços... Bem lentamente
                -Nós achamos que Leandro pretende tomar o conselho de bruxas e magos e controlar uma parte muito influente da sociedade da magia.
                -Se fosse apenas isso... Nós im...impuros- Ele cuspiu as palavras com desprezo- Não temos ninguém. Leandro fez os impuros acreditarem que o único modo de sermos respeitados é destruindo as tribos, para isso ele transformará todos em impuros... E aqueles que se recusarem ou não conseguirem, serão mortos, e os humanos se tornarão escravos... Isso é o que vocês irão ganhar por nos tratarem como lixo.
                Lovely estava pensando em uma maneira de escapar, ela tocou com cuidado a base da árvore, levaria algum tempo para ela conseguir fazer uma muda, mas desde que houvesse um fragmento a Criadora conseguiria se regenerar.
                -Você sabe o que eu posso te oferecer, o que eu posso oferecer a todos vocês?
                -Não to interessada, sei o que fez com os seus supostos aliados, mesmo que eles possam subjulgar todo o conselho das bruxas, no final eles são seus escravos, não há liberdade e quando precisarem de ajuda, estarão sozinhos.
                -Sinto muito que pense dessa maneira, você nunca mais seria desprezada, todos iriam te respeitar, mas é apenas uma questão de tempo até que todos se curvem perante a mim.- Ele disse acertando Lovely e gemeu com a dor ao esbarrar com a arvore e ter a pele queimada- Já mandei sair da frente.              
                -N-não...- Ela cuspiu só para ser acertada com outra esfera de energia, Lovely se contorceu com a dor fazendo com que o seu amuleto caísse e rolasse até os pés de Leandro, ele se aproximou e começou a matar a Criadora, Lovely ainda estava ligada com a árvore, tentando colher uma muda, se apenas uma parte da arvore estivesse intacta, ela poderia se regenerar novamente. Mas a dor começou a subir pelo braço dela, como se ele estivesse sendo arrancado, lagrimas escorriam pelos seus olhos, raramente ela havia chorado por dor física.

                Ela lutou durante mais um tempo mas no final um impuro era muito mais forte que uma fada humana. Lovely sentiu seu braço queimar e viu a Criadora se desfazer no ar com seus próprios olhos “De qualquer forma eu irei te proteger, não vou deixar nada de ruim acontecer com você.” Ela quase não conseguia pensar direito enquanto segurava o próprio braço que ainda ardia por estar ligado com a arvore que foi destruída. Leandro triunfante se aproximou de Lovely e mexeu no amuleto abandonado no chão com a ponta do sapato, por fim sorriu e pisou o estilhaçando.

Nenhum comentário:

Postar um comentário