15 de novembro de 2014

Como tudo terminou- capitulo 10

                -Aff... Eu sou uma prima horrível, uma péssima amiga, uma fada patética e não sei nem ao menos desfazer um nó... quase... CONSEGUI!!!- Ela disse se levantando enquanto o resto dos nós se desatavam sozinhos- Ok, se eu correr ainda dá tempo de ajudar eles.- Ela andou ainda fraca até a porta segurando o arco e flecha, quando abriu a porta ela deu de cara com Daniel, atirou uma flecha e o segurou antes que caísse no chão- Porque sempre que eu estou conseguindo escapar você aparece?- O arrastou até a cama e disse- Hum você ainda consegue falar, a paralisia vai passar daqui há um tempinho... Vou indo!!!!- E saiu correndo pela porta.
                Ao passar por um corredor todo ornamentado ela encontrou uma porta que chamou a sua atenção, dentro da sala havia um altar com um livro grande e grosso, havia uma estrela rachada na capa do livro.
                -Cara... O livro de feiticeiro do Leandro... Giselle sempre diz que para se derrotar um bom feiticeiro, você deve conhecer os feitiços que ele usa- Ela disse tirando o livro do altar- Huffg... Pesado... Vamos testar uma coisa... vamos ver se eu me lembro... Parva Parua Parvum- Ao dizer isso o livro encolheu para o tamanho de um chaveiro- Nem acredito que deu certo... Puxa, a Ice tem razão, falar em latim faz você se sentir muito estranho...- Ela saiu e deu de cara com Marina- Ahhhh!!! Qual é o teu problema? O que estão fazendo aqui???!!!
                -Viemos te buscar, mas eu achava que estaria amarrada ou algo do tipo.
                -Hunf... Não sou tão inútil assim, eu consegui escapar numa boa- “Só demorou mais do que deveria”- Ela disse escondendo o livro entre as pétalas da sua roupa- Marina... Desculpe...Achei que você estava errada todos esses anos, que você gostava de me infernizar e dizer as pessoas que não deveriam confiar em mim porque você gostava de me ver triste ou sozinha. Mas você estava apenas tentando proteger as pessoas de mim, não é mesmo?
                Marina parecia um tanto quando surpresa, depois voltou ao normal passou por Lovely em silencio e falou friamente:
                -Vamos sair daqui.
                Ice mal conseguia se manter de pé, Gabriela não tinha sequer um arranhão, ela estava segurando Alex pelos cabelos, ela o arrastou até se aproximar de Ice que segurava firmemente a espada, ela tentou golpear usando a espada mas não conseguia mexer o braço e deixou ela cair.
                -Você ficou muito forte nesse curto tempo Alex- Gabriela dizia erguendo a cabeça dele enquanto juntava a espada de Ice- Vou lembrar carinhosamente de você sempre que olhar para a sua cabeça decapitada. Mas primeiro... A fada.
                -Mas não vai mesmo!!!- Ele disse arrancando a espada de Gabriela e cortando o braço direito dela, ele largou a espada em choque- Gabriela... Me desculpe... eu...- Ice puxou Alex pelo braço e juntou a espada o mais rápido possível.
                -Deixa de ser babaca!!! Consegue correr? Me carregue até a sala de espelhos o mais rápido possível. E se disser que eu sou pesada, eu te mato.
                A sala dos espelhos não tinha muita coisa de especial, apenas as paredes, o chão e o teto estavam cobertas com vários espelhos que refletiam apenas uma coisa, a porta de entrada, o mais assustador era que os reflexos pareciam olhar todos para o mesmo lado, como se eles estivessem te seguindo com o olhar. Alex colocou Ice no chão, não havia como ela ganhar naquele estado e com todo o poder que Gabriela possuía.
                -Vamos lá, feche os olhos –Ice disse fazendo um dois com os dedos, ela tocou nos nas pálpebras de Alex e ele não conseguia mais enxergar nada, depois ela fez o mesmo consigo mesma.
                -Nós vamos morrer não vamos?- Ele perguntou

                -Pare de reclamar, pelo menos você possui um sonar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário