13 de maio de 2012

Cultura de fada- Capitulo 3


                -E quanto as fadas do fogo?- Lovely perguntou
                -Ah, sua prima caçula é uma fada do fogo não é? Como você a descreveria?
                -Adorável e incrivelmente sincera, mas isso talvez seja porque o elemento oculto dela é a sinceridade, assim como o meu é o amor. –Ela disse dando um sorriso rápido.
                Llana colocou a mão na testa e continuou.
                -Fadas do fogo são decididas, e não deixam que qualquer um mande nelas assim, e sempre dão a opinião delas, diria que elas são o contrario das fadas do ar. Mas são um pouco travessas, e adoram pregar peças.
                -Ah eu também adoro, principalmente quando a Kaila me ajuda ah colocar pimenta na comida do castelo e depois nós duas saímos correndo para fugir de uma ou duas pessoas que possam ter ficado com raiva...
                - Você às vezes é muito irresponsável
                -Puxa... Acredita que essa é a segunda vez que eu escuto isso?
                -É meio difícil de acreditar que é só a segunda vez.
                -Mas mestra Llana. Existem vários outros tipos de fadas alem dos quatro elementos principais.
                -Bem, como você já deve saber há ramificações dentro das quatro famílias, eu sou uma fada das arvores, por isso pertenço a família da terra. Mas acho que você está falando das fadas dos animais ou as fadas das trevas não é? As fadas da luz se originaram da família do fogo, e você sabe que fadas das trevas tem uma relação complicada com humanos, na verdade elas são muito recentes, dizem que a primeira fada das trevas era uma fada da luz, seu coração escureceu e se tornou pedra, por isso humanos não gostam de fadas das trevas e por isso fadas das trevas não gostam de humanos, o que é irônico, já que fadas das trevas são as que melhores se adaptaram para viver entre os humanos.
                -Ou seja, para viverem sozinhas roubando a lá Robin Hood.
                -Continuando... As fadas dos animais sempre estiveram separadas, as selvagens e as domesticas.
                -Não sei, mas algo esta me dizendo que isso explica porque a Pegasus não gosta do jeito da Diere.
                -Bem pelo que você me contou esse unicórnio foi criado por uma fada dos animais, não é mesmo?
                -É
                -As fadas dos animais domesticas, são gentis e doces, os animais obedecem elas por amor e amizade, mas nem sempre eles as respeitam. Uma fada domestica não ve nenhum problema em animais que comem carne, mas elas odeiam ver animais brigando por comida ou território. Já as selvagens seguem a lei da selva, matar ou morrer, ou seja, animais brigando por território é normal, faz parte das leis da natureza, sabe aquela coisa de fortalecer a espécie.
                -Ah sei, espera, então é por isso que o Pegasus é tão chato com a Diere? Talvez a Feile fosse uma fada dos animais selvagem, e a Diere é uma fada dos animais domestica, isso explica a natureza tão gentil dela. Gostei desse livro, parece um livro de moda de fadas.
                -É muito mais do que isso, depois de descrever cada fada o autor fala sobre toda a historia das fadas.
                -Autor? Era um homem?
                -O livro foi escrito por um cara chamado Ariosto, ele devia ter alguma ligação com as fadas da época.
                -Nome estranho, parece nome de um feitiço, sei lá.
                -Bem a origem das quatro famílias principais é um mistério, existem varias historias contando como elas surgiram, dizem que a primeira fada do fogo nasceu da lava no centro da terra o lugar mais quente do planeta, um pequeno brilho de esperança, depois que a superfície esfriou, rios começaram a ser formados.
                -Ai, surgiram as fadas da água!!- Lovely disse animada

Nenhum comentário:

Postar um comentário