22 de fevereiro de 2012

O casamento da borboleta negra- Capitulo 21


                Ice correu em direção a Leandro e deu um soco nele, ele deu alguns passos para trás e esfregou o rosto.
                -Muito forte para uma fada humana da sua idade, talvez queira se juntar a nós.
                -E você é muito chato para a sua idade. Não sei como entraram aqui, mas sei como vão sair...Roxos!!!
                Giovana levou os noivos até a sala da diretora Dara.
                -Dara, estamos sendo atacados
                -São caçadores?
                -Pior
                -O QUE RAIOS PODE SER PIOR???
                A parede da sala de Dara foi derrubada, uma garota de cabelos vermelhos surgiu do meio da poeira que foi levantada, Dara ficou espandada ao ver um par de asas vermelhas saindo das costas dela.
                -Definitivamente, isso se encaixa como alguma coisa pior... Giovana cuide dela, vocês dois, comigo...
                A garota andou em direção a Giovana, confiante e com um sorriso no rosto, enquanto Dara fugia.
                -Uma fada... poque não estou surpresa? Ah, esqueci, nada me surpreende... Quem são vocês, e o que querem? – Giovana perguntou
                -Você acha mesmo que eu vou falar? Está vendo essas marcas nas minhas asas? Cada uma delas é uma irmã que eu matei, o que a faz pensar que pode me derrotar?
                -Esta vendo esses espinhos nas minhas asas? Serve para rasgar asas de fadas como você. Não me importa quantas fadas você deve ter matado, você ainda não me matou- Giovana disse abrindo as asas dela e avançando contra a outra fada.
                -Para onde estamos indo?- Borboleta negra perguntou
                -Para o arsenal da escola, todos os tipos de armas e amuletos mágicos que os alunos criaram.
                -Então aqui é como a galeria de colagem de macarrão?- Luis disse
                -É, mais ou menos- Dara disse passando um esmalte verde nas unhas e depois raspando na parece- A diferença é que macarrão não é acido
                A parede começou a derreter, Dara jogou um esmalte branco para a Borboleta e uma espada para Luis.
                -Essas são as melhores, foram criadas pela Lovely, pela Tameria e pela Marina, Maçã acida, escudo diamante e espada sonora, é melhor irmos logo, não querem perder a diversão não é?
                De volta ao salão estava uma bagunça, Ice lutava contra Leandro usando a sua espada.
                -Sua espada deve ter algo de especial, minha espada pode contar qualquer coisa, menos outros objetos mágicos, e o fato de existirem fadas humanas entre vocês me diz que vocês são como nós.
                -Melhor não deixar que essas fadas ouçam você as chamando de humanas, é uma ofensa enorme para nós sermos relacionados com vocês.
                -Então, são fadas normais? Estranho, pensei que fadas normais fossem extremamente pacificas e são pequenas.
                -Não- ele disse rindo – vamos dizer que não somos nem um nem outro... Somos melhores, mais fortes.
                -Está parecendo a minha biografia... - Ice zombou- Bem, você com certeza não é mais forte que eu
                -É, não se pode ser bom em tudo, pelo menos não tenho ouvidos tão sensiveis- Ele disse raspando a lamina da sua espada na de ice o que criou um som agudo e irritante. Ice soltou a sua espada, se ajoelhando, colocando as mãos nos ouvidos e gritando.
                -Só para você saber, eu posso controlar o som, esse barulho vai ficar ecoando nos seus ouvidos até eu me cansar, mas não se preocupe, isso vai passar... em breve- Ele disse se preparando para acertar as costas de ice com a espada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário