1 de fevereiro de 2012

O casamento da borboleta negra- capitulo 12


-Fico feliz de você ter concordado em me ajudar num parto de unicórnio Lovely, mas pensei que você viria mais cedo.
-Sabe como é né, eu durmo tarde e acordo só depois do meio dia. Puxa então é assim que é o campo dos unicórnios? A grama é tão macia
-Diere diga a sua amiga que se ela continuar deitada no chão ela pode se pisoteada por cascos de unicórnios- Pegasus falou
-An.... Lovely, eu acho melhor você se levantar, você pode ser pisoteada por unicórnios.
-Ah Diere, não seja boba, eu também posso ser pisoteada por centauros. Zair, você tem certeza que quer vir junto? Tipo, você já viu um unicórnio de verdade?
-Não, nunca...
“Ela não sabe que eu já usei chifres de unicórnios em meus feitiços, como ela poderia saber, ela acha que eu sou um novato que nunca viu nada de magia”
-Bem essa é a primeira vez q eu ajudo num parto de unicórnio, tipo eu nunca vi um unicórnio bebê, mas dizem que eles são dourados.devem ser muito fofos, Diere pergunta para o Pegasus se ele era dourado quando nasceu.
-Sabia que não era uma boa ideia trazer uma fada da terra, Diere manda essa matraca calar a boca?- Pagasus relinchou
-Ele disse que era- Diere disse meio tímida.
-Chegamos na clareira-Diere apontou para um lugar cheio de arvores com uma entrada escondida por folhas compridas e grandes
-Alguém pode me explicar o que faz uma clareira no meio do campo?-Zair perguntou
-Bem- Diere começou, não é uma clareira de verdade já que clareiras são áreas abertas no meio na floresta e isso é uma área fechada no meio de um campo.
-Ou seja é uma escureira- Lovely disse
-Pensei que ela tinha calado a boca- Pegasus disse meio irritado
Os quatro entraram na clareira (escureira)por fora parecia varias arvores  juntas mas por dentro as folhas impedia que o vento, o frio, e a chuva entrasse. Algo que não dava para ser notado por fora ela que haviam pedras entre as árvores.
-Parece com tijolos, provavelmente foi feito por uma fada da terra, tipo, arcores não crescem somente em um lugar, e pedras não se prendem a árvores sozinhas. Cara adoraria conhecer a fada que fez isso.
-Ei Diere manda a sua amiguinha parar com o turismo e vir aqui
Pegasus deitou ao lado de uma unicórnio branca diere começou a dar as ordens:
-Lovely, você vai acalmar ela.
-Como?
-Bem, você tem poderes parecidos com o do Daniel não é? Pode  meio que hipnotizar ela como o Daniel fazia.
-Tudo bem, mas eu nunca usei esse tipo de magia, e eu não gosto muito de fazer isso...
-É só para ela ficar calma e confiar em você.
“Meu deus, como ela é burra ela não precisa pensar muito para usar essa habilidade, se bem que pensar deve ser algo difícil para ela fazer”
Lovely apoiou a cabeça da unicórnio, e disse:
-Não se preocupe, vai ficar tudo bem- ela disse
Um brilho rosa apareceu nos seus olhos  ela piscou algumas vezes e seus olhos voltaram a ser castanhos.
-Ai, como é que o Daniel consegue fazer isso,  incomoda muito.
“Você se acostuma”- Ele pensou

Um comentário:

  1. Pff escreva no meu blogue adoro o seu :( mi insina como vc fez essas fadas ali <<

    ResponderExcluir