26 de setembro de 2011

Safira, a ave caçadora- Capitulo 2

-Para onde ele foi?- Eu perguntei
                -Ele fugiu pela janela enquanto você esfregava o meu focinho no chão.
                Olhei para a janela que agora estava aberta e vi que ele estava longe voando em direção a montanha. Sai voando atrás dele mas ele estava realmente longe. A montanha dos dragão estava se aproximando e começou a ficar frio, foi quando eu me lembrei por que raposas fadas não vão para a montanha dos dragões, pois nossas asas congelam. Comecei a cair e rolar pela neve e perdi Taiff de vista.
                -Ahhhhhhhh e agora? É impossível eu conseguir encontrar o Taiff aqui.
                Eu comecei a ver uma mancha branca correndo pela neve, eu ainda estava tonta por causa do tombo, quando eu consegui voltar ao normal dois olhos azuis estavam me olhando.
                -Você está bem?- Ela me perguntou.
                Era uma raposa fada do ártico, ela possuem asas mais resistentes, são brancas como a neve e tem olhos azuis.
                -O que uma raposa fada da floresta faz por aqui?
                -Estou procurando um filhote de dragão europeu, ele se chama Taiff.
                -Ele é órfão?
                -Sim, ele é, por quê?
                Dragões filhotes devem tomar muito cuidado nessa área da montanha, aqui é o território das aves caçadoras.
                -Aves caçadoras?
                -São pássaros, do tamanho de uma arara, mas tem o comportamento de aves de rapina, talvez até pior, como aqui é muito frio elas podem caçar coisas muito maiores que elas, sem o perigo de apodrecer, algumas conseguem caçar dragões. Elas são muito mais fortes do que parecem.
                -Mas eu tenho que encontrar o Taiff, ele não sabe se cuidar ainda, nem cuspir fogo.
                -Tem alguma idéia de para onde ele foi?
                -Ele queria ver o tumulo da mãe, mas eu não faço idéia de onde seja.
                - Eu sim, como eu disse, aves caçadoras são muito fortes, mas comer um animal morto poupa trabalho, deve estar no ninho de alguma delas. E dragões tem um ótimo faro.
                -Você fala com tanta naturalidade, não está preocupada?
                -Por aqui você deve manter o sangue frio.
                -Isso não é difícil- Eu disse tremendo de frio
                -Estou dizendo que se entrar em desespero irá morrer, mantenha a calma... Espera, estou ouvindo alguma coisa
                Eu levantei as minhas orelhas e também escutei, parecia uma conversa, mas o vento era mais alto, eu não conseguia ouvir direito, nós duas corremos na direção do som, quando eu avistei Taiff, quando estava prestes a gritar o nome dele, a outra raposa me segurou.
                -Espera, olhe! Uma ave caçadora.
                Olhei para aquela direção e vi uma ave de penas azuis, o interior das suas asas era branco e seu bico parecia uma pedra, ela tinha uma calda longa e delicada.
                -Ela é bonita.
                -Não se engane, aquela é a Safira, uma das aves caçadoras mais perigosas.
                -Nós temos que salvar ele.
                -Ela não vai matá-lo, não agora. Safira engana as sua presas e as leva para o seu ninho.
                Eu levantei as minhas orelhas para escutar a conversa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário