9 de maio de 2011

A Borboleta negra- capitulo 1 -Giovana

Meu nome é Giovana sou uma fada das trevas, vou contar em como eu fui parar em Magictopia, na verdade essa historia é sobre a minha mestra a Borboleta negra. Mas é claro que toda a historia tem um começo e esse é o meu.
Não me lembro em que cidade eu nasci, nem os nomes dos meu pais, mas consigo me lembrar de algumas coisas, nós fadas das trevas somos consideradas as fada mais prematuras, desenvolvemos os nossos poderes muito antes da maioria das fadas. E foi assim que a minha vida começou.
Eu lembro que eu tinha um irmão gêmeo, o favorito da família, eu nunca fui o motivo de orgulho, não me dava bem com as outras crianças, e meu irmão era mais inteligente que eu, e fazia de tudo para deixar isso claro.
Quando eu tinha oito anos eu estava em cima de uma árvore quando as minhas mãos começaram a ficar quentes e formou uma bola escura, parecia uma perola negra, Eu aproximei de uma folha da árvore e começou a pegar fogo. Finalmente tinha uma coisa que eu sabia fazer e ele não. Fui correndo mostrar para a minha família, mas nada foi como eu esperava.
-G-GIOVANA!!!!! O QUE É ISSO NA SUA MÃO!!!???
-Eu não sei direito, mas é bem legal. Consigo queimar coisas, mas ela não me queima.- eu disse.
-O que aconteceu? A Giovana achou um bicho estranho de novo? Ai Giovana, agora você tem um amigo igual a você.
Tive vontade de atirar aquela bola nele, mas a minha mãe começou a gritar.
-Ela não é sua irmã, é um monstro.
Comecei a ficar com medo, e se os meus pais me vendessem para um laboratório e os cientistas fizessem testes em mim, meu desespero começou a aumentar e o teto da casa caiu sobre as nossas cabeças. Toda a minha família estava lá, eu devo ter desmaiado durante algumas horas, quando acordei já era noite. Sem ter tempo para pensar eu sai correndo de lá. E aquilo era só o começo...
Bem acho que já deu para entender que eu não fui criada como as outras fadas, cercada de amor e amigos, eu tinha uma vantagem, eu sabia ficar invisível, não me olhe com essa cara, queria que eu morresse de fome? Tive que fugir de uns malucos, acho que eles se chamavam de caçadores, e quase fui presa, bem, poder ficar invisível é uma habilidade muito útil.
Quando estava com 10 anos eu resolvi aprender a voar, subi em cima de uma árvore e comecei a bater as asas, mas acabei perdendo o equilíbrio e cai num acampamento, e não era um acampamento qualquer, era o acampamento das fadas da noite. Um grupo de fadas das trevas que tiveram que fugir de casa. E essa é historia da Borboleta negra.
A noite na cidade pode ser muito perigosa, nunca se sabe se há assassinos, ladrões, ou que outros perigos se escondem nas sombras. E a mais perigosa era a Borboleta negra, toda a lua cheia havia relatos de assassinatos cometidos por uma mulher que usava uma mascara de borboleta. A imprensa a apelidou de Borboleta negra, a policia estava procurando ela há muito tempo, ela matava pessoas muito influentes na cidade, mas a policia não era um problema para ela, se você já conheceu um caçador sabe que eles são pessoas muito influentes, assim se matarem uma fada ou outra coisa podem fazer as provas desaparecerem.
                E eles eram as vitimas da Borboleta, ela saia a noite e procurava caçadores que estivessem perseguindo inocentes. Naquela noite ela estava voltando para o acampamento e viu que tinha uma menina com o braço enfaixado.
                -Quem é ela?
                -Ela caiu aqui... E quebrou o braço, ela não fala com ninguém.
                A Borboleta negra se aproximou da menina de cabelos curtos e roxos, ela usava uma camiseta preta e um short jeans. Tinha alguns arranhões e cortes por causa da queda. A borboleta jogou seu longo cabelo para trás se sentou ao lado dela.
                -Qual o seu nome?
                A menina ficou em silencio, ela continuava com a cabeça baixa
                -Sou a Borboleta negra, uma fada das trevas, e você também é não é mesmo? Dá para perceber pelas asas.
                A menina levantou a cabeça, ela tinha olhos vermelhos, mas ainda tinha um rosto inocente de criança.
                -Meu nome é Giovana, vocês todas são fadas, não é?
                -Sim, somos como você, fugimos de casa por algum motivo, todas temos um segredo, tudo bem se não quiser contar por que fugiu.
                -Eu matei a minha família, mas foi sem querer, eu fiquei com medo e...
                -Tudo bem, as fadas das trevas possuem uma maldição, elas ganham seus poderes mais cedo, e algumas não conseguem lidar com eles, por isso somos diferentes das outras fadas. Mas como você conseguiu comida?
                -Eu sei ficar invisível, foi o único jeito que eu encontrei para conseguir comida, eu tinha dinheiro, mas fui roubada.
                -Você deve ter passado por muita coisa, mas aqui você não pode roubar, vou te ensinar como uma fada consegue comida, e outras coisas – Ela disse materializando um batom roxo.
                “Eu me tornei aprendiz da Borboleta negra, ela me ensinou como voar, me defender de caçadores, e alguns poderes das fadas das trevas, ela era como uma mãe, uma mãe que tinha orgulho de mim. Fadas que fogem de casa não precisam de um nome secreto, afinal, não vamos na escola, nem temos uma vida normal, tudo que aprendemos é com as outras fadas, mas nós ganhamos alguns apelidos, ela era chamada de borboleta negra por que usava uma mascara de borboleta para esconder seu rosto e matar caçadores que perseguiam inocentes, eu ganhei o apelido de harpia, não sei muito sobre historia, mas harpia significa avassaladora, e era assim que me chamavam quando eu saia com a Borboleta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário